DA REDAÇÃO: Safra 2013/14 – Produtores iniciam o plantio da soja em Guaíra (PR)

Publicado em 17/09/2013 16:14 e atualizado em 17/09/2013 17:01
768 exibições
Safra 2013/14: Plantio da soja já começou na região de Guaíra (PR). No município, a saca do grão é negociada a R$ 63,00, valor que cobre os custos de produção. Área cultivada com a oleaginosa também deve aumentar, cerca de 10%, uma vez que os produtores tendem a migrar do plantio do milho para a soja nesta safra.

O vazio sanitário terminou no último domingo (15) em várias regiões produtoras do país. Em Guaíra (PR), os produtores rurais já deram início à semeadura da soja. A previsão é que até o momento, cerca de 5% da área destinada ao plantio da soja já tenha sido cultivada. Os agricultores ainda esperam mais chuvas para intensificar a semeadura do grão.

As previsões climáticas indicam precipitações em bons volumes para o próximo final de semana. Segundo o presidente do Sindicato Rural do município, Silvanir Rosset, os agricultores da região estão animados com o início do plantio, mas, principalmente, pelos bons preços da soja.

Em Guaíra, a saca do grão é comercializada a R$ 63,00, valor que cobre os custos de produção. “Os valores são excelentes, especialmente, para os produtores que negociaram os insumos antecipadamente. Já os que deixaram para a última hora talvez paguem mais caro, em função da valorização do dólar e a rentabilidade não seja tão boa”, explica Rosset.

Como em várias regiões produtoras do país, na cidade, os produtores rurais também devem migrar do plantio do milho para a soja. Com isso, a área destinada à semeadura da oleaginosa deve apresentar um incremento de 10%. 

“Os preços do milho estão mais baixos, então os agricultores devem migrar para a soja, que está com valores favoráveis. Então, esse é o momento de investir e ver se conseguimos uma rentabilidade”, afirma o presidente. 

Nesta safra, os produtores da região esperam colher entre 60 a 65 sacas de soja por hectare. Entretanto, o desenvolvimento da produção ainda dependerá das condições climáticas. 

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário