DA REDAÇÃO: Safra 2013/14 – Produtores de Tapurah (MT) iniciam o plantio da soja, mas ainda aguardam a regularidade das chuvas

Publicado em 20/09/2013 10:28 e atualizado em 20/09/2013 14:30
508 exibições
Safra 2013/14: Produtores rurais iniciam o plantio da soja na região de Tapurah (MT). Até o momento, cerca de 50% da safra já foi negociada antecipadamente, com preço médio de R$ 45,00. A expectativa é que sejam colhidas até 54 sacas de soja por hectare. Armazenagem ainda é a grande preocupação dos agricultores nesta safra.

Na região de Tapurah (MT), o vazio sanitário terminou no último domingo (15) e alguns produtores já aproveitaram para iniciar o plantio da soja. Porém, a grande maioria dos agricultores deve esperar até a primeira semana do mês de outubro, para começar a semeadura do grão.

O presidente do Sindicato Rural do município, Silvésio de Oliveira, o produtor deve priorizar o cultivo da soja. Tradicionalmente, os agricultores antecipam o plantio da oleaginosa, para fazer a semeadura do milho safrinha em seguida. Entretanto, com os baixos preços do grão, os produtores irão aproveitar a melhor época do plantio com a soja. Além disso, até meados de outubro as previsões climáticas indicam poucas chuvas para a região.

Até o momento, cerca de 50% da próxima safra já foi negociada antecipadamente, com preços entre R$ 45,00 até R$ 50,00 a saca. E as projeções inicias indicam uma produtividade média em torno de 54 sacas de soja por hectare nesta safra.

Apesar do cenário positivo, os produtores estão atentos ao aparecimento da helicoverpa na região. Na visão do presidente, o grande problema é que o agricultor não sabe qual a maneira correta de combater a praga, uma vez que os produtos disponíveis no mercado não são eficientes no controle da lagarta.

“Estamos trabalhando junto do Governo para que novos produtos sejam liberados, mas se isso não acontecer rapidamente, poderemos ter sérios prejuízos nesta safra e também aumento nos custos”, destaca Oliveira.

Do mesmo modo, a falta de infraestrutura logística no MT também preocupa os agricultores. Assim como em várias regiões do estado, em Tapurah os armazéns não são suficientes para estocar a produção. E, segundo previsões do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária), o estoque de passagem de dezembro para janeiro será de mais de 10 milhões de toneladas de milho no estado.

E diante dos baixos preços do grão não há negociação na cidade. Na localidade, a saca do milho é comercializada a R$ 7,00, valor bem abaixo dos custos de produção, de R$ 12,00. “A grande preocupação é saber se o mercado irá reagir, mas sem dúvidas vamos o passar o ano com quase 50% da safrinha não negociada”, destaca o presidente. 

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário