DA REDAÇÃO: Safra 2013/14 – Em Alta Floresta (MT), produtor realiza últimos preparos no solo para iniciar o cultivo da soja

Publicado em 01/10/2013 16:29 e atualizado em 01/10/2013 17:25
618 exibições
Safra 2013/14: Chuvas já chegaram à região de Alta Floresta (MT), mas agricultores realizam os últimos preparos no solo para iniciar o cultivo da soja. Nesta safra, produtores de arroz devem migrar para o plantio da oleaginosa. Conclusão das obras na BR 163 deve facilitar o escoamento da produção de grãos.

As chuvas já chegaram à região de Alta Floresta (MT), mas os produtores realizam os últimos preparos no solo para iniciar o cultivo da soja. A expectativa é que a semeadura do grão comece na próxima semana. 

Nesta safra, os produtores de arroz da cidade devem migrar para o plantio da soja. Do mesmo modo, os pecuaristas também deverão investir no cultivo da oleaginosa. “Com a morte súbita da braquiária, reforma da pastagem, o pecuarista deve migrar para a agricultura e plantar soja para ter mais essa atividade”, destaca o presidente do Sindicato Rural da cidade, Valdemar Gamba. 

A situação é decorrente dos bons preços da saca do grão e a conclusão das obras na BR 163, que irá facilitar o escoamento da produção de grãos, através do Porto de Santarém. Devido à distância dos portos, os fretes ficam mais altos, situação que acaba comprometendo a rentabilidade dos produtores. 

A expectativa é que nos próximos dois anos, haja um incremento na capacidade de exportar do Porto de Santarém. Atualmente, são embarcadas 3 milhões de toneladas de grãos pelo porto, número que deve chegar a 15 milhões de toneladas. 

Por outro lado, a estimativa é que sejam colhidas, em média, 50 sacas de soja pro hectare. Entretanto, com os altos investimentos, os produtores esperam ultrapassar esse número. Já os preços giram em torno de R$ 50,00 a saca, o que na visão do presidente, é um bom valor e cobre os custos de produção. 

“Com a conclusão da BR 163 e o investimento no Porto de Santarém, acreditamos que teremos muito sucesso na produção agrícola na região de Alta Floresta”, diz Gamba.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário