DA REDAÇÃO: Cafeicultor de Varginha-MG faz experimento e constata perdas em suas lavouras

Publicado em 24/03/2014 13:25 e atualizado em 24/03/2014 18:14 777 exibições
Café: Produtor rural fez levantamento de dados para descobrir a porcentagem de perda do café. Grãos estavam perfeitos por fora, mas, ao colocá-los na água, foi possível constatar as deficiências.

A situação das lavouras de café continua preocupando produtores, que começam a estimar suas perdas. Um deles é Luiz Furlan, de Varginha-MG, que conseguiu constatar um grande número de grãos “bóia” e mal desenvolvidos. “Essa foi uma maneira inovadora, logicamente em razão das alterações de clima que nós tivemos durante este período de janeiro e fevereiro, que é quando ocorre a formação dos grãos de café”.

Furlan explica que, externamente, os grãos estão perfeitos, mas quando colocados na água, é possível avaliar se estão preenchidos. “Os cafés que boiaram demonstraram alguma deficiência... Ao cortá-los, encontramos um grande número de grãos condenados”.

O produtor lembra ainda que a venda do café para o mercado externo ficará comprometida com uma safra de baixa qualidade. “Não se exporta grãos defeituosos... Só exporta os grãos 100% perfeitos”. 

O experimento de Furlan mostra que, entre 100 grãos testados, 53% afundaram e 46% boiaram. Ele também encontrou em sua lavoura grãos com coração negro, na qual a semente fica preta e completamente comprometida. 
 

Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário