DA REDAÇÃO: Soja – Em Soledade (RS), clima seco reduz em até 10 sacas a produtividade das lavouras

Publicado em 16/04/2014 11:12 e atualizado em 16/04/2014 14:43 441 exibições
Safra 2013/14: Clima seco reduz em até 10 sacas por hectare a produtividade das lavouras de soja em Soledade (RS). Ataque da Helicoverpa também comprometeu o rendimento das plantações. Cerca de 80% da área já foi colhida e preços giram em torno de R$ 62,00 a saca. Milho é negociado entre R$ 28,00 e R$ 30,00.

As lavouras de soja e milho foram castigadas pela ausência de chuvas e as altas temperaturas na região de Soledade (RS). No caso da oleaginosa, a colheita já alcança 80% da área cultivada e a produtividade média está 10 sacas por hectare abaixo das expectativas dos produtores rurais.

Em algumas localidades, que não foram beneficiadas pelas chuvas, a produtividade média está entre 25 a 35 sacas por hectare. Já as regiões que receberam as precipitações, o rendimento das plantas atinge até 45 sacas por hectare, ainda assim, abaixo das estimativas dos agricultores. 

O presidente do Sindicato Rural do município, José Samir Lamaison, afirma que, além desses problemas, o ataque da Helicoverpa também foi intenso nesta safra. “Os produtores não estavam habituados a trabalhar com essa praga, então em algumas regiões tivemos perdas acentuadas”, relata. 

Paralelo a esse cenário, as lavouras de milho também foram afetadas pelas adversidades climáticas. A colheita do cereal ainda não começou, no entanto, os agricultores já trabalham com projeção de recuo no rendimento das plantas. Já os preços, de ambas as culturas, seguem mais altos e cobrem os custos.

A saca da oleaginosa é negociada a R$ 62,00 na região, no caso do milho, as cotações trabalham entre R$ 28,00 a R$ 30,00. Contudo, o presidente destaca que as vendas estão mais lentas. “Cada produtor deve fazer as suas contas, mas sempre aconselhamos travar parte da produção e especular com o restante”, diz Lamaison. 

Trigo

Após o término da colheita da soja e do milho, os produtores gaúchos devem investir na cultura do trigo. Aos poucos, os agricultores têm comprado os insumos e sementes para a próxima safra. A incerteza ainda é em relação ao clima, uma vez que, segundo o presidente do sindicato, as previsões não indicam um clima favorável. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário