ENTREVISTA: Confira a entrevista com Henrique Jambiski - Advogado - Lybor Landgraf

Publicado em 21/05/2014 14:44 578 exibições
Agronegócio: apesar dos bons resultados no campo, altas taxas de juros comprometem a renda do produtor e ainda não permitem o fim do endividamento. Na divulgação do Plano Safra na última segunda-feira (19), aumento veio em 18%, enquanto as expectativas eram de uma redução nessas taxas. Custo das medidas, portanto, deverá ser de R$ 890 milhões para o agronegócio brasileiro.

1 comentário

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Sr. João Olivi, ainda sobre a entrevista do advogado Dr. Henrique Jambiski. Num dado momento ele citou que agronegócio no Centro-Oeste vai muito bem, mas no Sul está uma calamidade.

    Dentro da capacidade dos meus neurônios, “enxergo” que:

    A maioria das propriedades agrícolas se restringe a produção de grãos, ou numa linguagem mais técnica, produzem commodities.

    Qual é a definição de commodities? Uma resposta bem simples: É um produto que tem uma padronização universal. A soja ou milho do Brasil é igual ao da China, EUA, Argentina, Austrália e de qualquer lugar do mundo.

    Subentende-se que os volumes também são do tamanho do mercado (grande) e, fica sujeito a economia de escala. O modelo fundiário do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná são de propriedades pequenas e médias em sua maioria.

    No Paraná, há décadas, existe uma tendência na redução do número de proprietários, ou seja, os pequenos e médios estão sendo “incorporados” aos grandes. Porque isto acontece? Será que os volumes de commodities produzidos por estes produtores não pertencem ao conjunto “da escala”, ou a sua área está aquém do “primeiro módulo”, ou seja, só a partir desta área que a atividade gera renda.

    A partir desta premissa é só uma questão de tempo, para que os “peixes grandes” engulam os “peixes pequenos”.

    ....”E VAMOS EM FRENTE” ! ! !....

    0