DA REDAÇÃO: Milho – Em Goiatuba (GO), estiagem pode afetar potencial produtivo das lavouras plantadas fora da janela ideal

Publicado em 22/05/2014 10:18 e atualizado em 22/05/2014 15:45 352 exibições
Milho: Em Goiatuba (GO), estiagem já dura 20 dias, situação pode prejudicar potencial produtivo das plantas, que foram cultivadas fora da janela ideal, cerca de 20% da produção. Ainda assim, produtividade média das lavouras deve alcançar 105 sacas por hectare. Parte dos produtores negociou o produto antecipadamente, entre R$ 18,00 a R$ 22,00.

Na região de Goiatuba (GO), as lavouras de milho safrinha estão há 20 dias sem chuvas. E não há previsões de precipitações para os próximos 15 dias na região. A situação já preocupa os produtores rurais, especialmente, os que finalizaram o plantio do cereal fora da janela ideal, cerca de 20%, segundo explica o presidente do Sindicato Rural do município, Paulo Henrique Garcia.

Diante desse cenário, a expectativa é o rendimento das lavouras fique entre 80 até 100 sacas de milho por hectare. Em contrapartida, as lavouras cultivadas dentro da janela ideal, a perspectiva de produtividade é positiva, em torno de 140 sacas por hectare, uma vez que a fase de pendoamento dessas plantas aconteceu em abril, que registrou boas chuvas. 

Ainda assim, a projeção é que a safra deste ano seja maior do que a do ciclo anterior, já que os produtores aumentaram a área cultivada. “A região não tinha tradição com o plantio do milho, mas sim com o sorgo. Porém, com os investimentos feitos na semeadura do cereal, estamos tendo resultados e a expectativa é de uma boa safra”, afirma o presidente. 

Já em relação às pragas, o presidente destaca que os produtores rurais da região também enfrentam problemas com as pragas, principalmente com a lagarta do cartucho, decorrente da perda da resistência das tecnologias. Entretanto, o problema é pouco menor, pois os agricultores têm investido em áreas de refúgio, conforme destaca Garcia. 

Ainda na localidade, os produtores fizeram pré-fixação do produto entre R$ 18,00 até R$ 22,00. “Estamos avançando aos poucos na comercialização, mas acredito em um mercado estável com tendência de alta no final do ano. E a perspectiva é de rentabilidade aos produtores nesta safra”, diz o presidente. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário