DA REDAÇÃO: Suíno – Aumento no preço do farelo de soja ainda não impacta custos de produção

Publicado em 29/05/2014 10:50 e atualizado em 29/05/2014 16:46 332 exibições
Suíno: No RS, preço pago ao produtor pelo quilo do suíno vivo é de R$ 3,31. Enquanto que os custos de produção giram em torno de R$ 2,85 a R$ 2,90. Por enquanto, aumento no valor do farelo de soja não impacta dos custos, já que houve uma redução no preço do milho, que é utilizado em maior proporção na composição da ração.

No RS, apesar do aumento nos preços do farelo de soja, de R$ 1.092,50 para 1.136,66 para pagamento à vista, a valorização do produto ainda não afeta os custos de produção dos suinocultores. Isso porque, a cotação do milho, outro importante componente na fabricação de ração e utilizado em maior quantidade cerca de 70%, registrou um recuo nos valores e baixou de R$ 27,08 para R$ 25,90.

Segundo o presidente da Acrsus (Associação dos Criadores de Suínos do RS), Valdecir Folador, o preço do quilo do suíno vivo pago ao produtor é estável de R$ 3,31. Já os custos de produção do quilo giram em torno de R$ 2,85 a R$ 2,90. Ainda assim, as expectativas para o setor são positivas, já que no inverno, a perspectiva é que haja um aquecimento na demanda no mercado interno.

“A tendência é que no inverno o consumo de carne suína seja melhor. Para esse ano, a expectativa é preços melhores e uma margem positiva aos produtores. Nesse momento, não vejo alguma coisa que possa atrapalhar esse momento de rentabilidade, a não ser que tenhamos algum acidente sanitário, que possa prejudicar as exportações. Fora isso, a perspectiva é de um cenário positivo e de ganhos aos suinocultores”, explica Folador.

Outra variável que também pode influenciar as cotações do suíno são as exportações brasileiras. Atualmente, a Rússia é o principal destino da carne do Brasil, seguido de Hong Kong. O presidente ainda destaca há a possibilidade de abertura do mercado japonês, situação que se confirmada poderá contribuir para melhor rentabilidade dos produtores. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário