DA REDAÇÃO: Milho – Em Sinop (MT), estiagem pode ocasionar perdas de até 50% nas lavouras cultivadas fora da janela ideal

Publicado em 11/06/2014 10:39 e atualizado em 11/06/2014 15:53 535 exibições
Milho: Em Sinop (MT), lavouras cultivadas fora da janela ideal de plantio podem apresentar perdas de até 50% na produtividade devido à estiagem. Região ficou cerca de 40 dias sem chuvas. Preços giram em torno de R$ 13,00 a saca, mas a perspectiva é de cotações mais baixas. A expectativa é que o Governo tenha que intervir no mercado.

Após 40 dias de estiagem, as chuvas retornaram à região de Sinop (MT) na última semana. Entretanto, as precipitações não contribuíram para as lavouras do milho safrinha, que estão em fase final de maturação. Ao contrário, a preocupação os produtores, é que a situação possa ter afetado a qualidade do cereal.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato Rural do município, Antônio Galvan, cerca de 25% das plantações foram cultivadas fora da janela ideal de plantio e podem registrar perdas de até 50% na produtividade devido à estiagem. “Se observarmos, as lavouras cultivadas entre 10 a 11 de fevereiro apresenta melhores condições do que as plantadas no final de janeiro, essa é uma situação atípica na região”, relata.

Por enquanto, a expectativa é de perdas na produção da safrinha, porém, ainda não é possível quantificar, já que a colheita do cereal está no início. Em todo o estado, a colheita do milho já alcança 1,5% da área cultivada nesta safra, segundo informou o Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária) no último boletim. 

Preços

Assim como em outras regiões do país, as cotações do cereal baixaram de R$ 18,00 para R$ 13,00 nos últimos meses. E a expectativa das corretoras da região é de preços ainda mais baixos. Ainda segundo o vice-presidente do sindicato, a expectativa é que o Governo tenha que intervir mais uma vez no mercado. “Realmente, com esses preços será necessária à intervenção do Governo no mercado, mas grande parte dos produtores rurais que optaram por contratos de opções, AGF ou prêmios de escoamento ainda não receberam os prêmios”, diz Galvan. 

Além disso, o valor não cobre os custos de produção e está próximo do preço mínimo fixado pelo Governo, de R$ 13,56 a saca. 

Frete

Outra grande preocupação dos produtores é em relação aos preços dos fretes. Em Sinop, os valores praticados até o Porto de Paranaguá baixaram de R$ 320,00 até R$ 340,00 para R$ 220,00 a R$ 200,00. “Porém, se voltar a subir, com o aumento na demanda por caminhões, poderemos ter preços próximos aos do ano passado, de R$ 8,00 a saca”, destaca o vice-presidente.

Diante desse cenário, Galvan sinaliza que os produtores poderão, em um primeiro momento, segurar a produção à espera de preços melhores. No entanto, o vice-presidente destaca que, os agricultores devem estar atentos aos custos com armazenagem e aponta que a única solução para a região Central do país é o investimento na infraestrutura logística.

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário