DA REDAÇÃO: Trigo – Excesso de chuvas ainda atrasa o plantio na região de Ijuí (RS)

Publicado em 08/07/2014 10:57 e atualizado em 08/07/2014 14:49 478 exibições
Trigo: Plantio segue atrasado na região de Ijuí (RS) devido ao excesso de chuvas. Até o momento, cerca de 80% da área foi cultivada. Lavouras que foram plantadas também são afetadas pelas precipitações. Cenário pode prejudicar o cultivo da soja mais adiante.

O excesso de chuva permanece atrasando o plantio do trigo na região de Ijuí (RS). Nos últimos 60 dias, o volume de precipitações foi superior a 800 mm na localidade. Até o momento, em torno de 80% da área que será destinada ao cereal foi cultivada. Como as precipitações deram uma trégua a partir desta segunda-feira, a expectativa é que os 20% restantes sejam plantados nos próximos 10 dias.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Ércio Luiz Eickoff, os produtores tinham até o dia 10 de julho para fechar o cultivo do cereal na região. Entretanto, uma medida do Governo, que deverá ser reportada oficialmente essa semana, irá prorrogar a data para até o dia 31 de julho.

Apesar da situação, o presidente também destaca que o cenário poderá atrasar o plantio mais adiante. “Temos em torno de 60 dias para cultivar a soja, e o trigo plantado agora deverá ser colhido em meados de novembro. Já a oleaginosa deverá ser cultivada entre o dia 20 de outubro até o mês de novembro”, explica Eickoff.

Além disso, as precipitações excessivas também prejudicam as lavouras que já foram cultivadas. O presidente sinaliza que as perdas em adubação são grandes, situação que pode prejudicar o desenvolvimento da cultura na fase reprodutiva. Consequentemente, parte dos produtores, que cultivam o trigo com recurso próprio, poderá reduzir a área do cereal. 

TEC

Em relação à retirada da TEC para a importação de 1 milhão de toneladas do cereal fora do Mercosul até meados de agosto, o presidente diz que o setor vê a medida com desânimo. “O Governo não conhece a realidade do produtor rural, ou não tem interesse que nós aumentemos a produção do cereal”, acredita Eickoff.

Perdas na safra de verão

Ainda é preciso ressaltar que, na safra de verão, as perdas na soja ficaram entre 30% a 40% devido à falta de chuvas e as altas temperaturas registradas no início do ano. “Por isso, o produtor resolveu aumentar a área cultivada com o cereal, justamente porque o produtor vem de perdas na safra de verão”, finaliza o presidente. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário