DA REDAÇÃO: Trigo - Com excesso de chuvas, produtividade das lavouras pode ser menor nesta safra em Lagoão (RS)

Publicado em 25/07/2014 11:07 e atualizado em 25/07/2014 16:37 428 exibições
Trigo: Com excesso de chuvas, produtividade das lavouras pode ser menor nesta safra em Lagoão (RS). Incremento previsto de 19% na área cultivada em todo o estado não deve ser confirmado. Enquanto isso, negócios são lentos e preços giram em torno de R$ 28,00 a R$ 29,00 a saca.

O excesso de chuvas continua preocupando os triticultores da região de Lagoão (RS), somente essa semana, as chuvas chegaram a 100 mm em algumas localidades. Desde o mês de maio, as precipitações têm aparecido em todo o estado e prejudicado o avanço do cultivo do cereal. Em virtude da situação, o Governo até prorrogou a data de plantio para 30 de julho, incialmente, os produtores tinham até o dia 10 de julho para finalizar os trabalhos nos campos.

Ainda assim, o produtor rural do município, Rudinei Luis Erpen, destaca que o incremento na área cultivada previsto em 19% em todo o estado não deve se confirmar. “O trigo cultivado no final de julho será colhido em novembro, situação que pode prejudicar o plantio da soja. Começamos o cultivo da oleaginosa a partir de 20 a 25 de outubro, realizar a semeadura em dezembro não é interessante, pois pode afetar o potencial produtivo do grão”, destaca o produtor.

Além disso, as chuvas em excesso também comprometeram a germinação da cultura. Nesta safra, o stand de plantas está menor e o com a umidade, as lavouras estão mais suscetíveis às doenças, como a ferrugem e a giberela. Situação que pode ser agravada com as chuvas previstas em setembro. 

Retirada da TEC

Por outro lado, os produtores enfrentam problemas com a comercialização do produto da safra anterior. Os negócios são pontuais, já que a saca do produto gira em torno de R$ 28,00 a R$ 29,00, valor abaixo do preço mínimo. E com a retirada da TEC para a importação de 1 milhão de toneladas do produto fora do Mercosul até meados de agosto.

“Depois da isenção da tarifa no ano passado, os preços do trigo recuaram em torno de 60%, principalmente no PR e SP. Com toda essa situação, o triticultor está desanimado, estamos cada vez mais conscientes de que não é uma cultura para pensar em rentabilidade”, diz o produtor rural.

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário