DA REDAÇÃO: Milho – Produtores finalizam plantio em Ijuí (RS), mas preços preocupam

Publicado em 26/09/2014 10:53 e atualizado em 26/09/2014 15:58 369 exibições
Milho: Em Ijuí (RS), produtores finalizam o plantio do milho, mas preços preocupam. Cotações giram em torno de R$ 18,00 a R$ 20,00 e deixam margem ajustada aos agricultores. No caso do trigo, a continuidade das chuvas pode ocasionar perdas na produtividade das lavouras. Preços também estão mais baixos, entre R$ 25,00 a R$ 26,00 a saca.

Em Ijuí (RS), o plantio do milho já está praticamente encerrado. Boa parte da produção da localidade é destinada para a silagem, uma vez que a atividade leiteira cresceu na região. Nesta safra, os produtores aumentaram a área destinada ao cereal em áreas de irrigação. Em contrapartida, nas áreas de sequeiro o grão têm perdido espaço para a soja.

Ainda assim, o presidente do Sindicato Rural do município, Ércio Luiz Eickoff, destaca que os preços do cereal também preocupam os agricultores. A saca é cotada entre R$ 18,00 a R$ 20,00, mas com o aumento nos custos de produção, os valores deixam uma margem ajustada aos produtores, conforme sinaliza o presidente. 

Trigo

No caso do trigo, o excesso de chuvas permanece como principal fator de preocupação desde o início do ano. “As lavouras perderam adubação e as precipitações afetaram, principalmente, a fase de enchimento de grãos. Daqui a pouco teremos os primeiros resultados e a expectativa é que essa situação afete a produtividade das lavouras”, destaca Eickoff.

Além do clima, os preços baixos também deixam os triticultores apreensivos. Atualmente, a saca é cotada entre R$ 25,00 e R$ 26,00 e, nesses patamares, os agricultores terão que colher, em média, de 45 a 50 sacas de trigo por hectare, para cobrir os custos de produção. Porém, a média de rendimento na região não ultrapassa 40 sacas por hectare.

Soja

Os produtores deverão iniciar o plantio da oleaginosa no final de outubro e novembro. “Mas a comercialização do grão nos preocupa, os negócios estão parados, já que temos um aumento nos custos de produção e os preços caíram”, afirma Eickoff. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário