No Oeste da Bahia, ausência de chuvas nos próximos dias pode atrasar o plantio do milho.

Publicado em 21/10/2014 09:52 e atualizado em 21/10/2014 14:17 321 exibições
Safra 2014/15: No Oeste da Bahia, previsões climáticas não apontam chuvas nos próximos dias, situação que pode atrasar o plantio do milho. Área destinada ao cultivo do cereal deve registrar uma redução de 10%. Na soja, preços giram em torno de R$ 48,00 e, apenas 20% da safra foi negociada, volume abaixo do registrado em anos anteriores, ao redor de 35%.

Na região Oeste da Bahia, as previsões climáticas não apontam chuvas para os próximos dias, situação que pode atrasar o plantio do milho da safra de verão. Nesta segunda-feira (20), a localidade recebeu em torno de 20 mm até 25 mm de precipitações, porém, o volume foi insuficiente para que os produtores conseguissem jogar as sementes nos campos.

“As chuvas só deverão aparecer no final do mês, segundo as previsões. Mas o ideal seria iniciar o cultivo do milho a partir do dia 20 de outubro. E devido ao atual cenário para o mercado, a área destinada ao milho deve registrar uma queda de 10% nesta safra. O algodão, semeado no final de novembro, também recuar em 5%”, conforme destaca o engenheiro agrônomo, Armando Ayres de Araújo.

Comercialização

Além do clima, a comercialização também deixa os produtores baianos apreensivos. Isso porque, os preços da soja para entrega no dia 30 de abril giram em torno de R$ 48,00 a saca, valor que deixa uma margem ajustada aos agricultores. 

“Os negócios estão lentos, até o momento cerca de 20% da safra foi comercializada antecipada, entretanto, em anos anteriores, o percentual ficava entre 35% a 40%. E se não tivermos uma melhora no atual cenário, será uma safra muito apertada e o produtor dependerá da produtividade das lavouras para cobrir os custos”, afirma Araújo.

Enquanto isso, no caso do milho a comercialização também permanece lenta e os preços continuam próximos de R$ 20,50 a saca do cereal.

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário