Soja: Sem chuvas há mais de 30 dias, produtores de Nova Mutum (MT) interrompem plantio

Publicado em 24/10/2014 10:07 e atualizado em 24/10/2014 15:17 221 exibições
Safra 2014/15: Sem chuvas há mais de 30 dias, produtores interrompem plantio da soja em Nova Mutum (MT). Apenas 15% da área foi cultivada, contra 50% registrado no mesmo período de 2013. Com a situação, alguns produtores já cancelam as compras das sementes de milho para a próxima safrinha. Comercialização da soja ainda está travada, já que os preços giram em torno de US$ 17,00 a saca.

A região de Nova Mutum (MT) está há mais de 30 dias sem chuvas, com isso, os produtores rurais foram obrigados a paralisar o plantio da soja. A expectativa é que as precipitações retornem nos próximos dias e os agricultores consigam dar continuidade à semeadura da oleaginosa, que até o momento, chega a 15% da área estimada, contra 50% no mesmo período de 2013. A janela ideal de cultivo do grão termina no próximo dia 20 de novembro.

Na visão do presidente do Sindicato Rural do município, Luiz Carlos Gonçalves, caso as chuvas cheguem logo, os produtores poderão terminar a semeadura dentro do prazo. “Temos tecnologia para isso, mas a grande preocupação é que quando as precipitações atrasam, elas podem ocorrer mais adiante e poderemos ter problemas no momento da colheita”, destaca.

Paralelo a esse cenário, a antecipação do aparecimento das pragas nas plantações também é uma apreensão aos agricultores. O presidente sinaliza que, o período mais seco contribui para o surgimento das lagartas, que podem comprometer a produtividade. “E com esse atraso no plantio, poderemos ter uma concentração do ataque das pragas”, explica Gonçalves.

Além disso, a situação também afeta a janela ideal de plantio do milho safrinha. Consequentemente, parte dos produtores está cancelando ou até mesmo diminuindo as compras de sementes para a próxima safrinha, conforme ressalta o presidente do sindicato. 

Comercialização

Com o atual cenário, as vendas antecipadas permanecem lentas na localidade, assim como, em outras regiões do país. A queda nos preços também ajuda no travamento dos negócios, as empresas oferecem em torno de US$ 17,00 pela saca da soja. “Porém, esse valor não cobre os custos de produção e o agricultor irá segurar as vendas”, diz Gonçalves. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário