EXCLUSIVO: Falta de chuvas no Brasil põe em alerta a oferta mundial da próxima safra

Publicado em 14/09/2010 13:51 e atualizado em 14/09/2010 16:07
636 exibições
Café: novos modelos matemáticos da meteorologia deixam alarmados os cafeicultores: chuvas de valor agronômico só deverão chegar ao sul de Minas em novembro. A próxima florada está sob risco. Preços sobem mais de 500 pontos em N. York.

 

Enquanto os preços do café continuam em disparada nas principais bolsas internacionais, a oferta do produto corre o risco de ser reduzida no próximo ano safra por causa das severas influências climáticas da La Niña na América Central e no Brasil. Novos modelos matemáticos da meteorologia apontam que as chuvas regulares só deverão chegar ao sul de Minas Gerais em novembro.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

O superintendente de comércio exterior da Cooxupé, Joaquim Libânio afirma que todas as atenções estão voltadas agora para o mercado climático que já aponta prejuízos na próxima florada no Brasil, já que é esperada para 2011, ano de ciclo baixo da safra, ano de bianualidade. Somado a isso existe o fato de que apesar de o governo colombiano acreditar que a produção de café volte ao normal, cafeicultores, cooperativas e indústrias de lá não apostam na reversão das perdas.

 

Com isso, a tendência é de que a oferta para atender a demanda mundial pode estar comprometida e os preços cada vez mais influenciados por esses fundamentos para continuar em ascensão.

 

A Cooxupé aconselha aos cafeicultores brasileiros, diante do cenário de está sendo formado, a compassar as suas vendas, participar dos negócios a fim de aproveitar os bons preços e assim se capitalizar para a próxima compra de insumos e tratos agricultáveis da safra. No entanto, Libânio projeta que a tendência será de que os preços altos farão com que o produto necessite vender cada vez menos sacas para cobrir seu custo de produção.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário