EXCLUSIVO: Fundos puxam altas e demanda é fundamental para sustentar preços

Publicado em 14/09/2010 18:57
745 exibições
Soja: termina o periodo de vazio sanitário em MT. Preços sobem, puxados pelo milho dos EUA, que apresenta menor produtividade. Disputa por área com o trigo pode melhorar ainda mais os preços da oleaginosa.

 

A participação dos fundos puxou fortes altas no preço das principais commodities agrícolas no mercado internacional. A cotação da soja, apesar de sem novidades, é sustentada pelos altos preços do milho que tende a subir mais após o relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) declarar quebra na produtividade americana.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

O cenário de demanda por grãos é fundamental para segurar os preços nos atuais bons patamares, no entanto, o mercado se orienta a partir de agora pelo clima. Na América do Sul, o fenômeno climático La Niña já dá sinais de prejuízo para a próxima safra. No interior do Brasil, produtores registram atraso no plantio do ano safra 2010/11 porque as chuvas atrasam 15 dias já.

 

Portanto, apesar da demanda mundial aquecida, ainda não é possível calcular se a área plantada com milho no Brasil poderá ser maior. O diretor da CentroGrãos, João Birkhan acredita que a única onda negativa que poderia derrubar os preços internacionais seria novamente uma quebra na economia, como aconteceu a pouco.

 

Segundo ele, a oportunidade de preços favorece ao produtor continuar participando do mercado, bem como, pensar em negociar até 35% da nova safra a fim de garantir lucros. No entanto, as informações do USDA foram precipitadas e o mercado deve aguardar quebra também na produtividade da soja americana.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário