EXCLUSIVO: Mercado do feijão dispara com baixa oferta do produto

Publicado em 22/09/2010 11:23 e atualizado em 22/09/2010 16:30
554 exibições
Feijão: menor oferta faz preços dispararem. Estoques para abastecer a população até dezembro é muito menor do que a demanda. Consultor aconselha vendas compassadas e assegura que R$ 200,00 não é limite para os preços do feijão carioca.

 

Os preços do feijão disparam no mercado interno com a menor oferta do produto. A expectativa fica por conta da praça de São Paulo, onde se comercializa a saca por R$ 220,00 e safra está ameaçada devido a estiagem na região. Os estoques para abastecer a população até dezembro é muito menor do que a demanda.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Segundo Marcelo Lüders, diretor e operador de mercado da Correpar, o feijão carioca deve bater R$ 250,00 ainda este ano por causa da seca em São Paulo. Os números cada dia mais surpreender e a espera é para que valores batam o recorde de 2008 quando o produto alcançou a máxima de R$ 270,00 e R$ 8,00 pelo quilo do produto ao consumidor.

 

O aumento dos preços no mercado doméstico pode fazer com que o consumidor substitua a variedade carioca pelo feijão preto que hoje é comercializado entre R$ 120 e R$ 130,00 a saca em São Paulo. É possível que a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) entre no mercado para atender parte da população com o feijão mais barato que adquiriu através de leilões. Lüders alerta que o produto pode perder a cor, mas não perde qualidade nutricional.

 

O corretor aconselha ao produtor aproveitar o momento histórico de bons preços compassando suas vendas e assegura que o patamar de R$ 200,00 não é o limite de máximas para esse mercado.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário