EXCLUSIVO: Apesar da volatilidade do mercado, a soja se mantém firme com demanda aquecida

Publicado em 27/09/2010 18:51
455 exibições
Soja: dia de grande volatilidade em Chicago. A demanda chinesa pelo grão sustenta patamar, mas entrada da safra norte-americana no mercado pode pressionar os preços no curto prazo.
As cotações da soja trabalharam um dia de grande volatilidade na Bolsa de Chicago, quando caiu e chegou ao vermelho durante o pregão, voltando a se recuperar no final da tarde. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos divulgou na semana passada que a demanda da China pela oleaginosa é crescente, mas o avanço da colheita norte-americana pode pressionar os preços no curto prazo.

Para Glauco Monte, consultor da FCStone, é impossível cogitar reduzir a área das lavoura americanas de soja para a próxima safra, uma vez que a China mantém seu apetite de compras mesmo com os preços mais altos do mercado internacional. A demanda aquecida reflete nos prêmios fortes, mostrando que mesmo com a oferta dos Estados Unidos, as compras são mais fortes.

A volatilidade do trabalho nas bolsas fica por conta da posição dos fundos mais alta, ou seja, que hoje estão muito comprados, acima da máxima de 2008. Quando a cotação da oleaginosa cai, eles realizam lucros para não perder o investimento. Atualmente, os fundos têm investido muito pesado nas commodities agrícolas.

Nenhum comentário