EXCLUSIVO: Mesmo com chuvas, tendência continua altista para os preços do boi

Publicado em 28/09/2010 13:36 e atualizado em 28/09/2010 14:23
318 exibições
Boi gordo: preços voltam a ficar sustentados na BM&F, mesmo com a chegada das chuvas. Mercado reage à falta de bois para abate, com aumento nos preços em SP. As escalas continuam curtas.

 

O boi gordo abriu sua sessão de negócios hoje na BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) pressionado após o mercado absorver a chegada das chuvas em algumas importantes praças do país. Cenário de oferta pode mudar com saída obrigatória do animal do cocho, mas menor concentração de gado de confinamento no Brasil segura os preços nos bons patamares.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Segundo Lygia Pimentel, analista da XP Investimentos, o movimento em bolsa de hoje se dá por causa das vendas técnicas onde grandes players tentam realizar lucros, mas agora o vencimento outubro trabalha estável em R$ 92,61.

 

A chuva é a inimiga dos confinadores que não conseguem mais engordar seu gado sob a lama que se forma. Apesar de agora ser o momento de aumento de oferta, ainda assim não impacta o mercado como tendência já que os números levantados sobre o confinamento deste ano vêm abaixo com relação a outros anos.

 

Devido a menor quantidade de animais para abate, as exportações estão recuando e setembro pode registrar uma retração maior desse mercado. Os frigoríficos mantêm escalas curtas por causa da dificuldade de compra de animais terminados.

 

A analista alerta que o período pode ser importante para que o pecuarista feche as suas contas pensando já na programação do próximo ano. Ela avalia que mesmo no curto prazo o mercado não tem tendência para quedas.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário