EXCLUSIVO: La Niña preocupa produtores de feijão do Sul do Brasil

Publicado em 01/10/2010 14:08 e atualizado em 01/10/2010 17:02
625 exibições
Feijão: preços caem, mas até dezembro a situação pode se inverter. As atenções estão no clima, com os estragos que o La Niña pode trazer para as lavouras do Sul do País.

 

Os preços altos do feijão começam a recuar, mas a tendência altista para o mercado deve se mantém até dezembro. Hoje, a mercadoria nota 9 ou 10, vale na média de R$ 200,00, sendo nota 8, entre R$ 180,00 e R$ 185,00. As atenções estão no clima e com os estragos que o La Niña pode trazer às lavouras do Sul do País.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Para Marcelo Lüders, consultor da Correpar, o atual patamar de preços ainda não é o teto do mercado, pois pode existir perdas provocada pela estiagem influenciada pela La Niña. Uma maior concentração de oferta deve acontecer no final de janeiro.

 

O conselho de Lüders é para o produtor que puder escalonar seu plantio, o fazer. Caso não consiga, uma alternativa seria pensar em uma segunda safra do ano o plantio do feijão e substituir por soja ou milho a primeira área da safra. Também deve pensar em diversificar na variedade plantada de feijão para ganhar novos mercados.

 

A preocupação com o fenômeno climático La Niña e, caso aconteça com grande intensidade assim como prevê a meteorologia na região Sul do país, as demais regiões produtoras se beneficiarão com a quebra da produtividade brasileira.

 

Devido a escassez de oferta de feijão aos empacotadores, é possível que o quilo do produto na gôndola do supermercado chegue a R$ 10,00. Em 2011, os preços reduzem à até R$ 5,00.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário