EXCLUSIVO: Futuro sinaliza queda nos preços com entrada do boi do confinamento

Publicado em 05/10/2010 13:53 e atualizado em 05/10/2010 17:25
866 exibições
Boi gordo: preços deverão passar por pressão pela saída de boi de cocho. No centro-oeste as chuvas ainda não chegaram em quantidade para recuperar as pastagens. As oscilações deverão se prolongar por 40 dias.

 

O mercado já precifica recuo no preço do boi gordo no vencimento outubro da BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros), quando é aguardada a saída do boi de confinamento do cocho. Falta de chuvas nas praças que abastecem São Paulo dificultam a engorda do boi do pasto. Tendência de oscilação por pelo menos mais 40 dias.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Caio Junqueira, consultor da Cross Investimentos explica que o indicador Esalq precificou ontem uma arroba a R$ 94,13, o que equivale um boi à vista entre R$ 90,00 e R$ 91,00 em São Paulo. No entanto, em praças do centro-oeste, como Mato Grosso do Sul, a arroba já foi comercializada próxima a R$ 90,00. Ou seja, os preços entram em paridade, o que significa que a tendência é que o mercado entre na normalidade, que pecuaristas de São Paulo preencham as escalas frigorificas.

 

De olho no clima, as chuvas em Mato Grosso do Sul danificaram as pastagens, dificultando a engorda do boi gordo. Em Goiás e Mato Grosso, as chuvas não chegaram em quantidade para fazer sair o boi do cocho agora, capaz de recuperar as pastagens para o início da recria em pastos. Segundo Junqueira, a situação começa a preocupar, já que sinaliza escassez em oferta, quando os preços se sustentam pelos próximos dois meses.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário