EXCLUSIVO: Ainda sem oferta de boi para abate, a demanda segura mercado firme

Publicado em 06/10/2010 19:03
394 exibições
Boi gordo: indicador Esalq confirma preços mais altos do ano, e BM&F mostra preços superando R$ 95,00 no vencimento novembro. Faltam bois para abate e o mercado coloca preços altos mais à frente

Os preços no mercado futuro subiram hoje na BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros), refletindo máximas à vista no físico: indicador ESALQ superou sua média histórica ontem, R$ 94,62, contra os R$ 94,41 de 2008. Demanda continua muito aquecida, mas a oferta é extremamente restrita.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Segundo a analista da mesa de boi da Indusval Corretora, Renata Fernandes, semana segue com outras praças atingindo preços de paridade no diferencial com São Paulo, ou seja, sem oferta, praças como Mato Grosso do Sul bateu negócios beirando os R$ 90,00, que aqui em São Paulo trabalha nesse patamar.

 

Apesar de as empresas frigoríficas de maior porte estarem conseguindo preencher suas escalas com animais negociados em contratos à termo no mercado futuro, os frigoríficos de pequeno e médio porte ainda têm muita dificuldade de encontrar animais. O reflexo, também como medida inflacionária para segurar a economia divulgada pelo Governo Federal, o preços das carnes sobe na gôndola do supermercado para o consumidor pagar.

 

Fernandes avalia que se a rotina do período normalmente seria para entrada de animais já no início de setembro, encerrando o período na virada de novembro, o ano de 2010 é atípico para a pecuária e a tendência continua de preços bastante sustentados pela demanda.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário