ENTREVISTA: Confira a entrevista com José Pitoli - Ger. Comercial - Coopermibra - Campo Mourão/PR

Publicado em 14/07/2011 19:11 556 exibições
Geada: perda de 35% sobre milho safrinha compromete abastecimento interno. Preços devem explodir, mas demanda cair e a tendência é baixista para o mercado do cereal no Brasil.

2 comentários

  • JOSÉ DONIZETI PITOLI Cornélio Procópio - PR

    Sr. Vilson: Em resumo, minha mensagem para o mercado é a seguinte: No meu ponto de vista, os estragos causados pelas geadas são bem menores do que os dados que estão sendo apresentados. E acreditando que os danos às lavouras de milho foram grandes, as empresas de integração, estão aumentando o prazo de reposição dos alojamentos, com isto o consumo de milho deve cair muito e haver sobra de produto no mercado, pressinando os preços para baixo. Outro fator à ponderar é que houve um considerável aumento na área de milho safrinha plantada em todo país, somente no Paraná este aumento foi de 22%; também há de se avaliar, que existem muitas áreas que não foram afetadas porque estavam já em maturação e muitas ainda sequer foram atingidas; que terão produtividade excepcional, algo entre 5.500 e 7.000 quilos por hectare. Aqui no PR, no MT e MS, as áreas que estão sendo colhidas atingem esta produtividade. Outro fator, é que quando forem colhidas as áreas atingidas pela geada, este produto vai chegar com qualidade baixa e apresentar preços bem menores que o produto de padrão normal. O preço baixo do produto ruim, puxa para baixo, também o preço do produto bom. Diante disto, sugiro: primeiro que os produtores tenham muita cautela na comercialização aproveitando os bons preços e vendam uma parcela do que vai ser colhido, fugindo de pagar juros e multa pelo atraso de algum compromisso; deixando para jogar com o mercado, somente o que sobrar de sua produção. Em segundo, para que todos os técnicos que estão fazendo as avaliações de campo, apresentem um quadro mais ajustado possível e com revisões periódicas. Sempre que falta milho, quem paga a conta é o comprador da carne e seus derivados. Quando sobra milho que recebe menos, é o produtor. Por isto muita atenção na comercialização da sua safra. Caso que me contatar: [email protected]

    0
  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Devo confessar que se antes entendia pouco de mercado,depois da entrevista do Pitoli ai que não entendo mais nada.

    0