China diminui produção de Feijão, diz Ibrafe

Publicado em 13/06/2019 15:30 e atualizado em 14/06/2019 04:00
54 exibições

Há espaço pra o Brasil chegar a exportar 500 mil toneladas de Pulses e Colheitas Especiais nos próximos anos.

Para isso, durante o Fórum do Feijão, ontem, o painel com representantes da China, da Argentina, do Brasil e da Etiópia foi ótimo para mostrar quais serão as alternativas de plantio até a segunda safra do ano que vem.

Com a China passando a ser importadora, o cenário mundial fica ainda mais favorável ao Brasil.

Há também sinalização que as negociações com a China para exportarmos direto para lá estão avançando rapidamente.

Isso, poderá aliviar a produção do Feijão-carioca que tem tendência de aumentar e trazer sobras, caso não sejam  trabalhadas as alternativas de diversificação.

Cada um pode testar as alternativas para a sua região.

Ontem foram reportados poucos negócios, na média de R$ 170/175 para Feijão nota 9.

Fonte: IBRAFE

0 comentário