Após seca, produtores de milho estão preocupados com a chuva em Cândido Mota (SP)

Publicado em 01/06/2016 10:12
Além das doenças, chuvas constantes podem ocasionar grãos ardidos no milho. Produção já tem perda estimada em 30% devido ao clima seco registrado ao longo do mês de abril. Rendimento médio das lavouras deve ficar próximo de 150 a 160 sacas por alqueire nesta safra. Preços giram em torno de R$ 45,00 a saca na localidade.

Após o período seco registrado ao longo do mês de abril, os produtores rurais de Cândido Mota (SP) estão preocupados com as chuvas constantes. Por enquanto, a safra de milho safrinha da região já tem perda estimada de 30% nesta temporada, porém, o percentual ainda pode aumentar caso as condições climáticas permaneçam adversas.

O presidente do Sindicato Rural do município, Antônio Jabur, ressalta que além da produtividade, a qualidade das espigas também pode ser prejudicada. “As chuvas podem comprometer tanto quanto a seca. E temos uma tolerância de até 8% de grãos avariados e também há a preocupação com as doenças nas lavouras devido ao excesso de umidade”, explica.

Diante desse cenário, a perspectiva é que sejam colhidas 150 a 160 sacas do grão por alqueire nesta safra. Na safrinha de 2015, a média ficou bem acima, entre 220 a 250 sacas por alqueire. Os trabalhos nos campos deverão ganhar ritmo em meados do mês de julho.

Já os preços seguem firmes e na região a saca do cereal é cotada a R$ 45,00. “Também tivemos contratos feitos antecipadamente, temos entre 15% a 20% da safrinha já comercializada, com valores entre R$ 27,00 a R$ 28,00 a saca. Os produtores buscaram uma proteção e cobrir os custos”, completa Jabur.

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário