DA REDAÇÃO: Em Uberaba (MG), produtores estão descapitalizados e investimentos na próxima safra podem ser menores

Publicado em 22/05/2015 10:44 426 exibições
Em Uberaba (MG), produtores estão descapitalizados e investimentos na próxima safra podem ser menores. Lentidão na liberação dos recursos de pré-custeio agrava cenário. Produtores apostam na comercialização da safrinha para realizar as compras dos produtos para a safra 2015/16. Porém, cotações da saca do milho recuaram e estão ao redor de R$ 19,00 na localidade.

A descapitalização dos produtores rurais na região de Uberaba (MG) pode comprometer os investimentos na próxima safra de verão. Com a seca observada na localidade no início do ano e, consequentemente, a quebra na produção, os agricultores não conseguiram quitar os compromissos da primeira safra e prorrogaram parte das dívidas. Além disso, a demora dos bancos em liberarem os recursos do pré-custeio agravam o cenário.

Segundo o representante da CS Agronegócios, Marcelo Nunes, com a estiagem de mais de 40 dias, muitos produtores colheram entre 30 sacas a 33 sacas de soja por hectare. “Tivemos algumas áreas com colheita de até 17 sacas do grão por hectare. Inclusive, corremos o risco de termos áreas sem plantio na próxima temporada, devido aos custos elevados e impasse em relação ao crédito. Em torno de 90% dos produtores ainda não compraram os produtos para a safra 2015/16”, destaca.

Frente a esse quadro, os produtores rurais apostam na comercialização da safrinha para adquirir os insumos, fertilizantes e sementes da próxima produção. Porém, os preços da saca do cereal recuaram e giram em torno de R$ 19,00 na localidade. Valor considerado insuficiente para cobrir os custos de produção, conforme sinaliza Nunes.

“Paralelamente, temos os compradores preferindo o milho do MT, que chega à nossa região praticamente com o mesmo valor. Os compradores também não tiveram acesso ao crédito e, com isso não conseguem adquirir o produto, nesse momento, não temos demanda para o grão”, explica.

Nunes ainda destaca que, a armazenagem do milho, que poderia ser feita, não será viável, uma vez que os produtores precisam saldar os compromissos da safra de verão e da safrinha.  “Nesse momento, o produtor precisa ser um empresário e acompanhar as informações para contribuir com a tomada de decisões”, completa.

Milho safrinha

Com as chuvas recentes, a perspectiva é de uma segunda safra cheia na região. Em média, os agricultores conseguem colher entre 70 sacas a 80 sacas do grão por hectare, entretanto, nessa temporada, o rendimento deve atingir 100 sacas do cereal por hectare.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário