Em visita aos EUA, produtor rural brasileiro relata condições climáticas favoráveis e finalização do plantio do milho

Publicado em 26/05/2015 11:03 852 exibições
Em visita aos EUA, produtor rural brasileiro relata condições climáticas favoráveis e finalização do plantio do milho da safra 2015/16. Chuvas ainda beneficiam o desenvolvimento das lavouras do cereal. Plantio da soja segue um pouco mais lento em algumas propriedades em Illinois e Missouri. Perspectiva é de boa safra para as duas culturas.

Nos EUA, os produtores rurais têm conseguido avançar com o plantio do milho da safra 2015/16 e as condições climáticas ainda permanecem favoráveis. Essa foi a percepção do produtor rural brasileiro de Faxinal (PR), Reginald Pavesi, que acabou de retornar do Meio-Oeste norte-americano. O agricultor visitou propriedades, principalmente nos estados de Illinois e Missouri.

Em ambas as regiões, inclusive, os agricultores já conseguiram finalizar o cultivo do cereal desta temporada. “Temos bom espaçamento, densidade e população. O tamanho das plantas semeadas primeiramente chega a um palmo e não temos problemas em relação às pragas devido ao clima”, destaca.

Inclusive, as condições climáticas ainda permanecem favoráveis ao desenvolvimento das plantas. As chuvas continuam aparecendo nas plantações, o que tem favorecido a cultura do cereal e mantido a umidade nos solo. Com isso, o rendimento das lavouras, em algumas propriedades, pode chegar a 600 sacas do grão por alqueire. Para os próximos dias, as previsões climáticas ainda indicam precipitações no Meio-Oeste do país.

Soja

No caso da oleaginosa, o produtor ainda destaca que muitas áreas ainda precisam ser cultivadas.  “A perspectiva dos produtores norte-americanos era estar com um plantio mais adiantado na soja. Mas, com as chuvas e o frio registrado no final da última semana, com temperaturas entre 13ºC a 15ºC, ainda há muitas áreas a serem semeada. A preocupação é com a janela de plantio, que é curta e podemos ter uma antecipação do inverno, especialmente nas plantas cultivadas mais tarde”, ratifica Pavesi.

Paralelamente, o produtor também destaca que, as temperaturas já começaram a subir e a partir de agora, os dias estão mais cumpridos, o que garante luminosidade de até 12 horas por dia. “Com isso, os produtores norte-americanos ainda esperam uma boa safra de soja nesta temporada”, diz o agricultor.

Preços

Apesar dos patamares mais baixos praticados na Bolsa de Chicago (CBOT), em comparação com anos anteriores, o produtor sinaliza que o cenário não é uma preocupação dos agricultores dos EUA. Atualmente, a soja é cotada ao redor de US$ 9,00 por bushel e no milho, os contratos estão próximos de US$ 3,60 por bushel.

“Os produtores têm uma característica de planejamento de médio e longo prazo e a estabilidade da moeda e do mercado financeiro dá mais segurança. Isso sem contar que os custos de produção são mais definidos, as contas são equilibradas e os agricultores estão capitalizados. E nos últimos anos, tivemos um aumento nos preços, mas, historicamente, os agricultores estão acostumados a trabalhar com esses níveis de preços”, ressalta Pavesi.

O agricultor ainda destaca que a produtividade mais alta observada no milho também acaba compensando as cotações, assim como, os custos de produção mais baixos na soja. “A fertilidade natural do solo ajuda o desenvolvimento das plantas, e não temos problemas em relação às pragas. As condições fitossanitárias são melhores no país”, finaliza. 

Confira abaixo fotos das lavouras nos EUA:

Reginaldo Pavesi

Reginaldo Pavesi + campo

Reginaldo Pavesi

Reginaldo Pavesi campo

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário