Chuvas permanecem irregulares e dificultam plantio da soja em Darcinópolis (TO)

Publicado em 09/11/2015 09:11
Chuvas permanecem irregulares e dificultam plantio da soja em Darcinópolis (TO). Atraso nos trabalhos nos campos já superam 12 dias. Cenário também comprometeu a janela ideal de plantio do milho safrinha. Perspectiva é de redução na área cultivada com cereal na segunda safra. Greve dos caminhoneiros pode atrasar a entrega de fertilizantes na região.

O plantio de soja está atrasado em Darcinópolis (TO) devido a chuvas irregulares. Na região o atraso já supera 12 dias e o cenário começa a preocupar também o cultivo do milho safrinha.

De acordo com o produtor rural, Marcílio Marangoni, as primeiras áreas foram semeadas a aproximadamente dez dias, mas o baixo volume de precipitações impede o avanço nos trabalho de campo. "Choveu na tarde de sábado, mas não foi uma chuva forte, em alguns pontos chegou a 30 mm, em outras áreas receberam apenas 5 mm, mas tem regiões que ainda não choveu", explica.

Apesar da janela ideal de plantio permanecer até meados de janeiro, os agricultores estão preocupados com o reflexo desse atraso também na semeadura do milho segunda safra. Ainda assim, Marangoni afirma as expectativas são de que a região finalize o plantio até 15 de dezembro, com a retomada das chuvas na segunda quinzena deste mês.

Diante desse cenário, os produtores já consideram uma redução da área do milho, haja vista o atraso no plantio de soja e a necessidade de semear o cereal até 5 de março. Segundo Marangoni, "a janela do milho já foi comprometida, sendo preciso plantar a soja no máximo nesta semana para dar condições de semear o milho na época ideal. Por isso a área de segunda safra ficará muito comprometida", alerta o produtor.

Paralelamente, outro fator que preocupa os agricultores é a recente greve dos caminhoneiros que promete paralisar aos menos 20 estados em todo o país. A exemplo do que ocorreu em fevereiro deste ano, a greve dos caminhoneiros afetou a distribuição e escoamento da produção.

"A principal paralisação que nos afeta é o bloqueio na entrada da cidade de São Luiz, que tem o porto de onde vem os fertilizantes para abastecer a região. Então dependendo do prazo que se estender essas paralisações pode ser que chegue a afetar algum plantio por falta de insumos", destaca o produtor.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal, uns grupos de caminhoneiros também bloqueiam a BR-153, em Colinas do Tocantins, norte do estado, desde a noite deste domingo (8). Os veículos seguem parados interditando totalmente os dois sentidos da rodovia. Os manifestantes também queimam pneus para realizar o bloqueio. O ato segue a mobilização nacional.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio e Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário