Na região de Cândido Mota (SP), aparecimento do percevejo castanho nas lavouras de soja preocupa os produtores

Publicado em 14/12/2015 11:18
Clima úmido favorece o surgimento da praga nas plantações da oleaginosa. Produtores buscam alternativas para controlar o percevejo. Ainda assim, chuvas contribuem para o desenvolvimento das plantas e rendimento médio deve ficar próximo de 140 sacas do grão por alqueire. Negócios foram feitos com valores entre R$ 64,00 a R$ 65,00 a saca.

As chuvas têm favorecido o desenvolvimento das lavouras de soja na região de Cândido Mota (SP). Porém, a falta de luminosidade já tem afetado a estatura das plantas da oleaginosa. Ainda assim, a perspectiva é favorável para a produtividade média das plantações, que deve ficar próxima de 140 sacas por alqueire.

Apesar do cenário, o produtor rural da região, Paulo Sérgio de Oliveira, destaca que com a umidade elevada, a incidência do percevejo castanho nas áreas com soja está maior nesta temporada. “Nunca tivemos esse problema na região e entendemos que a situação irá influenciar um pouco o rendimento das plantações”, destaca.

Ainda de acordo com o produtor, há uma grande dificuldade no controle da praga, que atinge outros agricultores também. “Ainda não sabemos como lidar com o percevejo, esse ano o problema acabou ficando mais evidente devido ao clima. Além disso, estamos preocupados com as doenças, especialmente a ferrugem. Estamos fazendo o controle, mas é indispensável o monitoramento das plantações nesse momento”, ressalta Oliveira.

Comercialização

Nesta safra, os produtores aproveitaram para realizar alguns negócios antecipados, com valores entre R$ 64,00 a R$ 65,00 a saca. “Na época era um bom valor, porém, os custos estão mais altos agora”, finaliza o produtor. 

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário