Em Darcinópolis (TO), plantio da soja ainda não começou devido à ausência de chuvas

Publicado em 14/10/2016 10:40 e atualizado em 14/10/2016 11:34
223 exibições
Após início de outubro chuvoso, clima voltou a ficar seco e as temperaturas elevadas. Previsões indicam retorno das chuvas somente no começo de novembro. Custos de produção subiram entre 10% a 15% nesta temporada. Alguns produtores ainda não conseguiram renegociar com as traders e aquisição dos insumos ainda não foi realizada.

Aguardando as chuvas os produtores de soja em Darcinópolis (TO) ainda não iniciaram o plantio da safra 2016/17. O vazio sanitário terminou no dia 30 de setembro e apesar de ainda dentro da janela ideal, os produtores já começam a se preocupar com a extensão no período seco.

No início deste mês a região chegou a receber chuvas acumuladas de 100 a 200 mm, porém, devido ao longo período seco as camadas superficiais do solo já estão sem umidade.

Conforme explica o engenheiro agrônomo, Marcílio Fernandes Marangoni, as condições de "clima seco e altas temperaturas voltaram", portanto, "apesar das chuvas consideráveis na primeira semana de outubro já temos lavouras de milheto sentindo a seca", explica.

Segundo ele, os mapas climáticos indicam que a estiagem deve permanecer até o final do mês, "ou em um cenário mais drástico, sem chuvas até a primeira quinzena de novembro."

O engenheiro agrônomo alerta ainda que, para alcançar a janela de plantio do milho safrinha, muitas vezes os produtores acabam realizando a semeadura da soja sem condições ideais. "Às vezes os agricultores escolhem plantar cedo para conseguir investir na segunda safra de milho, e em muitos casos acaba abrindo mão da produtividade da soja em detrimento do cereal", acrescenta.

Com custos elevados e preocupação quanto à qualidade e disponibilidade de sementes nesta safra, os produtores devem ficar atentos às condições de solo para iniciar o plantio e garantir um bom desenvolvimento das plantas, conforme destaca Marangoni. Na média o custo total da produção sofreu acréscimo de 10% a 15% nesta temporada.

Além disso, "produtores que dependem de financiamento de trades ainda não receberam seus insumos", ressalta o engenheiro agrônomo, alertando para possibilidade de atraso na semeadura de soja nesses casos.

Confira abaixo fotos das lavouras em Darcinópolis (TO):

Áreas para plantio da soja em Darcinópolis (TO). Envio do engenheiro agrônomo Marcílio Marangoni

Áreas para plantio da soja em Darcinópolis (TO). | Foto: Marcílio Marangoni, engenheiro agrônomo.

Áreas para plantio da soja em Darcinópolis (TO). Envio do engenheiro agrônomo Marcílio Marangoni

Áreas para plantio da soja em Darcinópolis (TO). | Foto: Marcílio Marangoni, engenheiro agrônomo.

Marcílio Fernandes Marangoni - Produtor Rural de Darcinópolis - TO

Áreas para plantio da soja em Darcinópolis (TO). | Foto: Marcílio Marangoni, engenheiro agrônomo.

Marcílio Fernandes Marangoni - Produtor Rural de Darcinópolis - TO

Relógio Termo-Higrômetro medindo temperatura e umidade no solo em Darcinópolis. | Foto: Marcílio Marangoni, engenheiro agrônomo.

Por: Fernanda Custódio e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário