Chuvas de 60 mm contribuem para a germinação da soja em Maringá (PR)

Publicado em 14/10/2016 10:45 e atualizado em 14/10/2016 13:35
225 exibições
Lavouras estavam sem chuvas há mais de 20 dias. Ainda assim, replantio não está descartado em algumas áreas. Produtores também se preocupam com baixa disponibilidade das sementes. Cerca de 70% da área projetada para essa temporada já foi cultivada. Poucos negócios antecipados foram realizados nesta safra.

Em todo o estado do Paraná, o plantio da soja da safra 2016/17 já está completo em 37% da área projetada para essa temporada. As informações foram reportadas pelo Deral (Departamento de Economia Rural do estado), em sua atualização semanal sobre o andamento da safra. Na região de Maringá, a semeadura do grão chega a 70%.

E, após 25 dias sem chuvas, as precipitações retornaram à localidade, tranquilizando os produtores e contribuindo para a germinação das sementes. “Tivemos uma chuva boa, perto de 60 mm. Ainda assim, algumas lavouras não terão boa qualidade, em uma ou outra poderá ser necessário fazer o replantio”, destaca o presidente do Sindicato Rural de Maringá, José Antônio Borghi.

A grande preocupação com o replantio é decorrente da baixa disponibilidade das sementes nesta temporada. “Por isso, o produtor precisa ser cauteloso e procurar orientação técnica. É preciso avaliar se o stand é suficiente para ter uma boa produtividade e também a soja tem uma grande capacidade de recuperação”, pondera a liderança sindical.

Clima

Por enquanto, as previsões climáticas ainda indicam chuvas para o final da tarde desta sexta-feira (14) na região. As precipitações ainda deverão aparecer na próxima semana, com isso, a perspectiva é de consolidação do plantio, conforme ressalta Borghi.

Custos de produção

Para essa temporada, os produtores rurais também gastaram mais para fazer o planejamento da safra. “Compramos os insumos e sementes com o dólar mais alto e, agora com o recuo na moeda, os produtores terão um descompasso. Ainda precisamos ver o comportamento do câmbio no início de 2017”, alerta o presidente.

Em relação aos negócios antecipados, a liderança ainda sinaliza que poucos negócios foram feitos para a safra de verão. “Os agricultores fizeram vendas na safra passada e depois os preços estavam melhores. Então os produtores estão mais cautelosos”, finaliza Borghi.

Por Fernanda Custódio
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário