Em Cristalina (GO), chuvas contribuem para desenvolvimento da soja, mas produtores devem estar atentos às doenças

Publicado em 13/12/2016 09:26
597 exibições
Clima mais úmido deve favorecer o aparecimento das doenças nas plantas, especialmente a ferrugem asiática. Comercialização antecipada da soja está mais lenta nesta safra e preços giram em torno de R$ 70,00/sc. Planejamento da safrinha de milho começa a ser realizado, mas produtores ainda observam janela ideal de plantio.
Confira a entrevista de Alécio Maróstica - Presidente Sindicato Rural de Cristalina - GO

Podcast

Em Cristalina (GO), chuvas contribuem para o bom desenvolvimento das lavouras de soja

Download

 

As chuvas têm contribuído para o desenvolvimento das lavouras de soja em Cristalina (GO). Porém, com as precipitações, os produtores rurais já estão atentos com a possibilidade de aparecimento das doenças nas plantações. De acordo com informações da Climatempo, o estado pode receber até 150 mm de chuvas nos próximos 7 dias.

O presidente do Sindicato Rural do município, Alécio Maróstica, reforça que, “o excesso de umidade que a meteorologia divulga pode contribuir para o surgimento da ferrugem asiática, o mofo branco, entre outras doenças. Esse é o ambiente propício, então os agricultores devem realizar o monitoramento das lavouras”.

Apesar da preocupação inicial, a perspectiva inicial é de uma boa produção nesta temporada. Especialmente com a próxima produção do milho safrinha, a projeção é de uma recuperação após os prejuízos registrados na localidade esse ano, conforme destaca a liderança sindical.

Comercialização da soja

Para essa temporada, poucos negócios antecipados com a soja foram realizados. Recentemente, os preços futuros reagiram, retornando ao patamar de R$ 70,00 a saca. “Não está ótimo como no ano passado, mas é um nível que começa a remunerar os produtores”, sinaliza Maróstica.

Safra de verão

Na região, ainda são cultivados entre 12 a 13 mil hectares de feijão e em torno de 8 mil hectares de algodão. No milho, primeira safra, 15 mil hectares foram semeados com a cultura e, até o momento, as lavouras também registram bom desenvolvimento.

“Temos também um baixo índice de pragas e o agricultor espera colher esse milho de pivô com boa produtividade. E os preços ainda remuneram os produtores. Temos a saca do milho entre R$ 30,00 a R$ 32,00 na região”, diz o presidente do sindicato.

Safrinha de milho 2017

O planejamento da próxima safrinha de milho já está sendo realizado pelos produtores rurais. “Embora, tenhamos muitos produtores preocupados, pois a soja foi cultivada mais tarde. Então, muita gente ainda irá decidir sobre a safrinha de milho depois da colheita da oleaginosa, o que deve acontecer em março, e esse não é o período mais recomendado para o cultivo do cereal”, alerta o presidente.

Ainda segundo a liderança, os produtores podem investir na cultura do sorgo na região. “E poucos negócios antecipados foram realizados com o milho na safrinha, já que os agricultores não sabem se irão fazer o plantio da segunda safra do cereal”, ressalta Maróstica. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário