Café: Rabobank reduz estimativa de produção da safra 2016/17 do Brasil após tour em fazendas

Publicado em 09/03/2016 14:40 e atualizado em 09/03/2016 18:00
389 exibições

O Rabobank fez uma previsão mais modesta do que as outras estimativas já realizadas para a safra 2016/17 do Brasil, depois de realizar pesquisas por áreas produtoras do País, o que pode fazer com que as perspectivas de preço aumentem.

O banco visitou as principais regiões do cinturão produtivo do Brasil, que é de longe o maior exportador mundial da commodity no mundo.

"Até onde sabemos, esta é a maior pesquisa de safra de café já realizada por uma instituição financeira", disse o Rabobank.

Colheita menor

O banco estima que a produção da safra 2016/17 de café do Brasil seja de 51,8 milhões de sacas de 60 kg, volume abaixo das expectativas atuais do mercado.

Levando em conta seis estimativas da indústria, desde o início do ano, a previsão para esta temporada tem média de 53 milhões de sacas, com números entre 49,1 a 55,5 milhões de sacas.

Os dados divulgados pelo Rabobank, inclusive, são mais baixos do que a previsão da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), que costuma subestimar a produção.

"É bastante provável que isso resulte em um aumento na nossa previsão de preço [...] impedindo qualquer nova depreciação do real", disse o Rabobank.

Frutos mais gaúdos

A produção da variedade arábica foi estimada em 39,2 milhões sacas, com um salto de até 6,5 milhões de sacas. As previsões para a safra de arábica de outras entidades neste ano variam entre 37,7 e 42,5 milhões de sacas.

Ainda assim, grãos de qualidade mais elevada podem ser mais disponíveis. "Esperamos grandes grãos de arábica na próxima temporada, que vão compensar a escassez atual evidenciada na atual temporada", disse o Rabobank.

Surto de cochonilha

A produção de robusta foi prevista em 12,6 milhões de sacas, as estimativas dos analistas variam de 11,3 até 18,1 milhões de sacas.

Esse valor representaria uma queda de 3,9 milhões de sacas em relação ao ano passado, e um corte acentuado na previsão do Rabobank do início ano para a cultura, que foi de 16 milhões de sacas.

"A baixa estimativa para o robusta foi motivada pela seca severa no Espírito Santo e as restrições de irrigação", disse o Rabobank, também citando uma "severa" infestação de cochonilha.

Os compradores terão que "olhar" para o Vietnã a fim garantir o fornecimento da variedade, disse o banco.

Comportamento dos agricultores

A produção de café do Brasil é altamente variável, disse o Rabobank.

"O sistema de produção em pleno sol, sem irrigação, significa que a produção não só pode variar por conta das questões climáticas, mas também com o comportamento do agricultor".

Os cafeicultores podem deixar de aplicar insumos, caso os preços fiquem muito baixos, enquanto as árvores que receberam umidade insuficiente durante o seu período de floração podem ser podadas, não produzindo no ano seguinte.

"Portanto, não é surpreendente que as oscilações na safra brasileira dominem o equilíbrio entre a oferta e demanda global de café do mundo", disse o Rabobank.

Potencial de armazenamento

Qualquer declínio de preço nos mercados de futuros de café poderia desencadear maior armazenamento do grão pelo agricultor, disse o Rabobank.

As melhores produções foram observadas em áreas de grandes fazendas, que tendem a ter uma capacidade de armazenamento maior para a colheita.

O Rabobank observou que, por essa razão, os estoques de café podem aumentar à medida que os agricultores segurem o grão, tanto na expectativa de preços mais elevados, e como uma maneira de se proteger contra a moeda nacional em queda.

"Devemos, portanto, esperar algum aumento nos estoques internos na temporada 2016/17, a partir de julho de 2016".

Tradução: Jhonatas Simião

Tags:
Fonte: Agrimoney

Nenhum comentário