Suíno Vivo: Com demanda enfraquecida, mais praças registram queda de preços nesta 3ª feira

Publicado em 02/02/2016 18:09
80 exibições

Nesta terça-feira (02), novas baixas foram registradas para o suíno vivo. Em Minas Gerais, a referência para a semana passa de R$ 4,00 para R$ 3,80/kg. Além do esta do mineiro, em Mato Grosso registrou queda nas cotações, com negócios a R$ 3,15/kg. Nesta semana, São Paulo e Minas Gerais também registraram quedas significativas de preços.

Por mais uma semana, o valor de referência em Minas Gerais entra como uma sugestão, visto que não houve um consenso sobre os preços. Segundo informações da ASEMG (Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais), frigoríficos alegam a dificuldade para repassar custos, enquanto suinocultores apostam em um mercado mais forte, com cerca de 84% dos negócios a R$ 3,80/kg.

Já em Mato Grosso, as margens dos produtores ficaram ainda mais apertadas, visto que os custos de produção no estado está em R$ 2,90/kg, enquanto a referência é de R$ 3,15/kg. A situação se deve a um aumento dos valores praticados para farelo de soja e milho, com o ritmo de exportações elevado e escassez da oferta no mercado interno.

» Suinocultura em Mato Grosso trabalha no 'vermelho' diante desvalorização do real

Em Santa Catarina, as cotações também cederam no final da semana anterior, com referência de R$ 3,05/kg. Segundo o presidente da ACCS (Associação Catarinense de Criadores de Suínos), Losivânio de Lorenzi, a demanda interna tem sido o principal fator de baixas. Com isso, há sobra de animais para o abate.

Para amenizar a escassez da oferta de milho no cenário doméstico, a Conab realizou dois leilões do cereal na última segunda-feira (01) e já programa mais dois para o dia 16 de fevereiro. Losivânio aponta que as medidas são positivas para o setor e que, além disto, a entrada da nova safra a situação deve melhorar ainda mais. 

» Milho: Conab realiza mais dois leilões dos estoques no próximo dia 16 de fevereiro

» Confira na íntegra as cotações para o suíno vivo

 

Tags:
Por: Sandy Quintans
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário