Mercado de Açúcar: OPÇÃO A CUSTO ZERO

Publicado em 06/10/2013 17:30 e atualizado em 07/10/2013 10:47
1007 exibições
por Arnaldo Luis Correa, da Archer Consulting

Enquanto o congresso americano lida com o impasse sobre o orçamento, os serviços não essenciais do governo federal estão temporariamente suspensos. Se houver um recrudescimento da situação política nos EUA, as chances são de que as commodities se valorizem. Nos últimos 30 dias, o açúcar lidera o desempenho delas cravando 12.6% de valorização. O trigo vem bem atrás com pouco mais de 6%.

A semana em NY fechou com os preços dos futuros de açúcar apresentando ganhos entre 53 e 79 pontos (de 12 a 17 dólares por tonelada). O vencimento março/2014, agora o primeiro mês de negociação, fechou cotado a 18,48 centavos de dólar por libra-peso, numa sexta-feira de volume ridiculamente baixo (52,000 lotes), o menor desde o início de agosto.

A bolsa de NY, apesar do volume fraco de sexta, teve uma semana agitada com a entrega recorde de açúcar contra o vencimento outubro/2013 que expirou na segunda-feira passada, representando um valor nocional perto dos 575 milhões de dólares, maior do que o PIB de Tonga, na Polinésia. Uma entrega de quase 1.500.000 de toneladas (mais de 90% do Brasil) normalmente poderia ser interpretada como um elemento fortemente baixista dentro do velho e surrado argumento de que a entrega física na bolsa é a última carta na manga do vendedor. Em tese, ele só vai utilizar a bolsa para essa finalidade quando não existir melhor oferta no mercado físico. No entanto, nem sempre é assim. 

Tendo participado diretamente de entregas no passado, quando atuava como executivo de uma empresa do setor, sabemos que existem outros fatores que justificam esse tipo de operação que não necessariamente estão relacionados ou são causados pela falta de melhor mercado para desaguar o produto. No caso dessa entrega, o recebedor (uma trading) tem nas mãos a oportunidade de encontrar destino para essa montanha de açúcar num momento em que o prêmio de exportação possa vir a valorizar e, então, somar os ganhos a uma possivelmente bem desenhada estratégia com o spread outubro/março que chegou a negociar a 100 pontos de desconto na última quinzena de maio. Ele tem muito tempo.

No pior cenário o recebedor poderá chegar à conclusão de que trocou seis por meia-dúzia, mas ainda assim ficou barato pela “opção a custo zero”, ou seja, pelo tempo que tem para esperar que os prêmios compensem a operação. Note que não estamos falando de direção de mercado, mas da trajetória dos prêmios simplesmente. O melhor dos mundos, para o recebedor, seria que o prêmio do açúcar para exportação e embarque janeiro/fevereiro subisse, pagando com razoável folga o custo de carregar o açúcar. 

Para o entregador, “um produtor com chapéu de trading ou uma trading com chapéu de produtor”, como observou um concorrente, a entrega permite escoar boa parte dos açúcares adquiridos de terceiros e/ou da própria produção, movimenta o terminal que tem considerável vantagem competitiva que se converte em lucros, mas abre uma questão discutida há um par de meses no mercado de que alguns de seus fornecedores viram negado o pedido de wash-out, em vista do etanol que remunerava melhor, e agora se deparam com a entrega volumosa de açúcar contra a bolsa, sem prêmio. Vai explicar.

No mais, entregas de tal magnitude são um ótimo argumento para chamar o garçom e pedir mais um uísque no happy hour de uma sexta-feira chuvosa. As elucubrações etílicas pululam e fazem da negociação diária num mercado morno ter um toque de genialidade. Saúde.

Não se sabe qual a posição dos fundos uma vez que o CFTC (Comissão de Negócios Futuros de Commodities) está fechado em função da paralização dos serviços não essenciais do governo americano. Dilma deve estar aliviada com Obama já que a NSA também está fechada e ele – na fantasia de Dilma - não tem como bisbilhotar. Mas ela certamente se vingou de Obama bloqueando ele no Facebook.

As vendas internas de etanol anidro, de abril até setembro, acumularam 5,46 bilhões de litros, projetando para a safra 2013/2014 um total de 10,47 bilhões de litros. O número de produção da Archer é de 10,16 bilhões de litros, o que indica que poderemos ter uma situação apertada na entressafra. O anidro já negocia hoje equivalente ao açúcar NY mais 15 pontos de prêmio. Os preços devem experimentar uma melhora no final desse ano.

A primeira estimativa da Archer Consulting sobre fixação de preços das usinas para a safra 2014/2015 aponta que, até o dia 30 de setembro, já foram fixadas 5,2 milhões de toneladas de açúcar para a próxima safra ao preço médio estimado de 17,41 centavos de dólar por libra-peso.

A UNICA reduziu sua estimativa de safra no Centro-Sul para 587 milhões de toneladas, divididas entre 34.2 milhões de toneladas de açúcar e 25.04 bilhões de litros de etanol. A estimativa da Archer, de 2 de setembro, é de 578 milhões de toneladas de cana, 33.1 milhões de toneladas de açúcar e 24.5 bilhões de litros de etanol.

Arnaldo Luiz Corrêa 

Fonte: Archer Consulting

Nenhum comentário