Realidades da Safra

Rotação Soja X Algodão potencializa aparecimento da Mancha Alvo e doença vem se tornando problema mais sério que a ferrugem em algumas regiões de MT

O especialista em proteção de plantas Valtemir Carlin destaca que a presença da mancha alvo em Campo Novo do Parecis (MT) é antiga, mas que o sistema de plantio de soja e algodão em segunda safra pode ser multiplicador da doença.

Isso ocorre porque ambos os cultivos são suscetíveis ao fungo, de forma que torna-se difícil controlar. As pragas se movimentam com bastante facilidade e o manejo de uma área pode influenciar no manejo do vizinho, de forma que todos têm de ter um conhecimento adequado para que ocorra tudo bem.

Os produtores precisam analisar o ambiente em que estão, as ferramentas de manejo, o monitoramento de lavoura, usando do maior conhecimento possível. Apostar somente em controle químico sem conhecimento pode não dar certo.

Para ele, o Mato Grosso tem o grande privilégio de contar com várias empresas de pesquisa que têm um bom conhecimento. As áreas são grandes e a informação de dois anos atrás pode não servir pra hoje.

A soja, a estiagem e as lições para as próximas safras no PR

Neste episódio de Realidades da Safra 2018/19, o Notícias Agrícolas esteve no Paraná. Segundo maior produtor de soja do Brasil, o estado finaliza uma das safras mais imprevisíveis dos últimos anos.

Nossa equipe de reportagem esteve no Paraná no final de janeiro, quando as lavouras vinham sendo castigadas pelo veranico, causando perdas bastante severas.

As expectativas começaram altas, com projeções recordes que beiravam 20 milhões de toneladas de soja. Contudo, o clima se encarregou de promover um ciclo produtivo de muitas emoções para o produtor.

De acordo com cálculos do Departamento de Economia Rural do Paraná (Deral), haverá uma quebra de 12% em relação à safra passada, um índice considerado conservador por muitos produtores. Mas o mapa de produção da soja no estado não deixa dúvidas: as regiões Norte e Sul concentram os maiores volumes produzidos e os menores índices de perdas.

As lavouras mais prejudicadas ficam no Oeste e no Noroeste do Paraná, com produção 24% menor do que a do ano passado. A equipe do Notícias Agrícolas esteve no Oeste do estado e constatou que, mesmo nessa região, com perdas já consolidadas, existem diferentes realidades de safra. Mas os produtores que adotaram boas práticas agronômicas tiveram melhores resultados.

O cuidado com o solo foi um dos fatores mais citados pelos produtores para justificar a diferença entre lucro e prejuízo nas lavouras em condição de estresse.

E, em um ano como esse, com grandes adversidades climáticas e muitas perdas, a eficácia do plantio direto foi bastante questionada. Mas a bióloga e pesquisadora Marie Bartz aponta que há uma confusão de conceitos, além de destacar que a dobradinha soja/milho não é o suficiente para beneficiar a estruturação do solo.

EXTRAS