Fala Produtor

Participe do Fala Produtor

Um espaço interativo criado para que você possa expressar opiniões, conversar com os outros internautas e debater os temas mais importantes do Agronegócio.

É o Notícias Agrícolas dando voz ao produtor rural.

As opiniões expressas pelos internautas não representam, necessariamente, a posição do site Notícias Agrícolas. Elas apenas traduzem o ponto de vista dos participantes, uma ferramenta criada para dar voz ao produtor rural e fazer com que ele interaja com outros produtores de todo o Brasil.
  • CÁCIO RIBEIRO DE PAULA BELA VISTA DE GOIÁS - GO 20/02/2019 21:36

    Rodrigo Polo, avaliar dados de CURTO PRAZO, conforme você mencionou, pode induzir a conclusões equivocadas, especialmente no que se refere a comportamento de PREÇOS (efeito SAZONALIDADE, por exemplo). Permita-me sugerir, para o caso do LEITE, levar em conta os ÚLTIMOS DEZ ANOS, aliando aos PREÇOS informações de CUSTOS, ambos em uma base comum de referência (deflacionados). Seguramente chegará a conclusões bem diferentes.
    Saudações..

    0
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Cacio Ribeiro, se voce ler meu comentário verá que não fiz avaliação nenhuma dos dados, o que fiz foi apenas citação, tampouco cheguei à alguma conclusão por análise desses dados. E minha intenção não é analisar a relação custo-preço do leite nos últimos dez anos, se bem que isso não seja algo muito dificil..., ... no sentido de dificuldades intelectuais, minha intenção é debater o que algumas pessoas afirmaram aqui, que o Bolsonaro vai destruir a cadeia produtiva do leite (!!??)... Esses dados para isso servem... Por outro lado, sua sugestão é excelente e acho que os produtores de leite, junto com entidades representativas, deviam pagar por um estudo desses, com conclusões reais e não imaginárias. Tomando o cuidado para que esse estudo não caia em mãos de algum espertalhão que possa usar para promoção pessoal em vez de proveito para os produtores.... Li agora a pouco, na matéria sobre a reforma da previdencia que PSOL, PDT, e outros partidos de esquerda afirmam que "a sociedade vai reagir contra a reforma"..., isso é mentira, a sociedade brasileira não reage a nada se não for conduzida..., o que acontece de fato (e que os politicos escondem) é que grupos organizados politicamente farão pressão, dizendo que representam o povo, que são o povo, mas isso é uma grande mentira.... Então eu venho insistindo que é preciso se organizar politicamente, mas com conhecimento de causa, coisa que não lhe falta, e formar grupos que vão impedir que o estado ou o governo limite ou atrapalhe qualquer atividade economica que seja. Existe também o problema da informação truncada..., afinal a ministra Tereza Cristina confirmou a taxação sobre a importação ou não? Caiu a antidumping e foi aumentada a taxa.... Como falei que achava que ia ser, e isso por que sou vidente? Não, porque estudei a escola de Chicago.... Então o que eu peço é isso, que os produtores estudem, se informem, de maneira que quando um burocrata vier falar besteira, ele saia com o rabo no meio das pernas. E de maneira civilizada, como voce e a maioria dos comentaristas fazem, sem apelar para adjetivos ou desqualificações pessoais... E digo mais, as pessoas que fazem isso, fazem por que querem impedir qualquer tipo de debate sério e que ajude encontrar soluções e os meio de implementa-las.

      0
  • ELIAS ARAUJO ROCHA FILHO IPORÁ - GO 20/02/2019 19:45

    As análises, orientações e previsões para o Mercado do Boi Gordo da RADAR INVESTIMENTOS são bem mais realistas e honestas que as da SCOT CONSULTORIA. Percebo isso no dia-a-dia, cada vez mais. Estaria a SCOT a serviço dos interesses dos poderosos frigoríficos? Até aqui, concluo que sim! Infelizmente para nós, invernistas de boi gordo!

    0
  • RODRIGO POLO PIRES BALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC 20/02/2019 17:17

    Pessoal, eu li muitos comentários culpando o governo pela "quebra" do setor leiteiro. Como tenho certa familiaridade com análise de dados fui olhar os dados relativos ao preço do leite. De fevereiro de 2018 até agosto de 2018 o leite subiu aproximadamente 50%. De setembro de 2018 até dezembro de 2018 caiu aproximadamente 22%, voltando a subir em janeiro mais de 3%. O relatório do Cepea diz que é o melhor preço de janeiro dos últimos anos. Vou utilizar o meu site para colocar a tabela para quem quiser conferir, - https://midiaagricola.wordpress.com/2019/02/20/leite-cepea/ -. O link para ler o boletim do leite do mes de fevereiro está aqui - https://www.cepea.esalq.usp.br/upload/revista/pdf/0517425001550606426.pdf

    5
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Sr RODRIGO, a cada ano os leiteiros sao submetidos a novas exigencias... Entretanto nunca tiveram uma contrapartida----Entao se o senhor tiver meios para fazer chegar na ministra da agricultura essas duas reveindicaçoes :::: 1)---Os laticinios deveriam ser obrigados a manter um veterinaio para insminaçao artificial dedicada aos produtores que lhe entregam o leite---Essa medida vai melhorar a medio prazo a produtividade brasileira. 2) ---Manter o desconto da energia eletrica tendo em vista o alto gasto dos tanques refrigeradores impostos pelo proprio ministerio-----OBRIGADO. (Por favor leia os comentarios de semana retrasada sobre o assunto----).

      3
    • TIAGO BYCZKOWSKITEIXEIRA SOARES - PR

      Coloca na sua estatística aqueles dez dias que os produtores jogaram fora sua produção devido a greve dos caminhoneiros, aí vc vai ver o que foi ficar com prejuízo enorme naquele mês.

      2
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Tiago, esses dados não são meus. E a bem da verdade coloquei isso aqui para que no futuro haja uma base para avaliar os reais efeitos das medidas "liberais" demonizadas por alguns leitores.... Sr. Cácio, eu olhei os preços desde 2004, e constatei lá que de 2004 até 2011 o preço do leite variou de 0,40 até 0.70. Depois vi rapidamente que o topo desse periodo até agora foi de 1,70 no estado de pernambuco se não me engano. Eu agradeço a sugestão, no site do Cepea tem alguns custos de produção e a série de preços para comparação, mas infelizmente não consigo fazer essa comparação, esse estudo, por que isso também demanda tempo. Para ter uma idéia, somente para poder escrever aquele simples comentário, seguramente levei mais de 1 hora, devido á transferencia das tabelas que são em arquivos xlx e não possuem link. Então um estudo aprofundado desses levaria muito tempo e ainda haveria o problema da metodologia, pois não sei qual o grau de confiabilidade dos relatórios de custos do Cepea, que são regionalizados. O Cepea utiliza médias ponderadas, mais representativas do curto prazo do que do longo. Então veja voce que o problema não sou eu, o problema são as pessoas que vivem dos impostos e taxações sobre o leite, tem os recursos, tem os meios e não fazem.... Quanto à queda dos impostos Sr. Meloni, não é o Bolsonaro e nem o Paulo Guedes que não querem baixar, quem não quer baixar impostos é o funcionalismo público. Mandaram ontem para mim uma lista com os valores da aposentadoria dos funcionários públicos auditores fiscais do RS, todas acima de 50000 por mes. Então acho incrivel que o setor produtivo rural não consiga entender que o problema são os altos custos de produção devido aos impostos. Então quem quebra o setor produtivo no Brasil não é o Bolsonaro, é o funcionalismo público, que junto com os politicos do toma lá da cá, tomaram a precaução de obrigatoriedade, e de quem? Obrigação do governo? Obrigação da sociedade em paga-los. Agora complementando a resposta ao Sr. Cacio, digo que minha intenção foi de guardar esses dados para comparação no futuro, hoje em dia é fácil de fazer isso. Ou seja, nós podemos avaliar os reais efeitos da medida que suspendeu as taxas antidumping. Infelizmente não posso acompanhar os custos, não tenho ferramentas prá isso. Já tentei com a soja e não consegui, também por que demanda tempo. Por outro lado, essas tabelas do Cepea e seus relatórios de análises são um meio eficaz de sabermos se realmente vai acontecer o que muitos produtores temem, a queda drástica dos preços, e minha intenção foi apenas essa. Mostrar o comportamento dos preços ao longo do último ano. Para quem quiser saber mais dados, estão no site do Cepea.

      1
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Tiago, eu sei o que é ter prejuizo com agropecuária..., eu peguei o cancro da haste em 1994, foi tão terrivel que hoje em dia é dificil um produtor dizer que não securitizou prejuizo naquele ano... Mas veja voce, o caminhoneiro também estava com raiva de trabalhar e não ganhar, os consumidores com raiva de ir no mercado e não conseguir comprar comida para os filhos. E a causa disso tudo é que quando os politicos tomam uma decisão de "beneficiar" algum setor, os maiores beneficiados na verdade, são eles mesmos, e esses beneficios são maleficios para quem tem que pagar. É fácil entender isso. Por isso o governo não deve interferir na economia, a não ser para manter a estabilidade para que os empresários desempenhem seus papéis com o máximo de proveito possivel.

      3
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Por exemplo, eu ia escrever sobre o café depois que assisti à entrevista do João Batista com o Sr. Paulino da Cooxupé. O Sr. Paulino tem toda razão nas argumentações que apresentou, em relação ao Brasil não há o que contestar, eu acredito no Sr. Paulino e que não houveram estimulos para o café por parte do governo brasileiro, mas as noticias que li nos ultimos anos dão conta de que vários países do mundo começaram plantar café por influencia de estimulos governamentais..., na Colombia por exemplo, o café foi financiado pelos EUA, que queriam uma fonte de renda para a populaçao por achar que assim combateriam o narcotráfico de maneira mais eficaz.

      0
  • GERALDO GENTILE IBAITI - PR 20/02/2019 17:05

    Aqui em Ibaiti e Região as revendedoras de insumos estão passando uma "Lista Negra" umas para as outras com os nomes dos sojicultores e das sacas devidas para que, caso os mesmos depositem em uma delas, o soja seja bloqueado para a garantia de pagamento das outras. A situação vai se complicando à medida que a produção do soja fica abaixo de 70 sacos por alqueire (na média) e o sojicultor se vê diante de uma terrível alternativa: ou paga a Loja (insumos) ou paga o arrendo da terra, pois se torna impossível pagar os dois com arrendo ao redor de 35/40 sacas por alqueire e custo em torno de 55/65 sacas. A coisa vai tomando uma dinâmica horrível.

    3
  • LEONARDO ARAUJO DE OLIVEIRA CAMPO GRANDE - MS 20/02/2019 16:18

    Sou engenheiro agronomo especialista em ITR. Divirjo do advogado qto à incidência do ITR. O mesmo pode ser, inclusive, no perímetro urbano!!!!!!

    Comentário referente a notícia: IPTU ou ITR, o que pagar? Por Caius Godoy

    0
    • GERALDO GENTILEIBAITI - PR

      Caro Leonardo, creio que você não leu com atenção a matéria. O advogado cita exatamente o entendimento manifestado no STF de que imóveis com destinação rural mesmo que em perímetro urbano -- e inclusive com dois ou mais das benfeitorias existentes que o caracterizam como imóvel urbano --, pagará o ITR e não o IPTU, exatamente porque o fator primordial considerado é a destinação econômica do imóvel. Abraços.

      0
  • NAMIR BERTUOL LONDRINA - PR 20/02/2019 15:50

    Dar maior competitividade ao setor, mas quebrando-o??? Nao dá para entender ...

    Comentário referente a notícia: No Twitter, Bolsonaro diz ser canalhice nota sobre manutenção do antidumping do leite

    3
  • PAULO ROBERTO RENSI BANDEIRANTES - PR 20/02/2019 12:14

    A mídia se sustenta porque se apoia nas notícias ruins... Já passei dos sessenta, então posso afirmar isso. Posso estar completamente errado mas vamos analisar a "estória" de um velho matuto que vivenciou os fatos.
    Hoje li uma notícia que com o fechamento da FORD em São Bernardo do Campo- SP, o sindicato dos metalúrgicos do ABC e o Dieese, estimam que impactará na cadeia de 24.000 trabalhadores.
    No final do governo João Figueiredo, idos de 1983, esse velho matuto perambulava lá pela BR 364, que liga Cuiabá-MT a Porto Velho-RO, tudo era terra, inclusive o pavimento da BR.
    Na época havia uma "crise" instalada no país e, o desemprego atingia a classe dos metalúrgicos da região Sudeste, como todas as outras. Lembro-me da quantidade de ônibus adaptados, que os profissionais desempregados, lotavam com tornos, máquinas de solda e, seus familiares; indo para a "Califórnia Brasileira", que na época era o novo Estado de Rondônia. Com essa migração o estado foi muito premiado pois, era uma mão-de-obra com qualidades superiores aos dos estados vizinhos.
    Ocorre que naquela época existia espaço físico (território) para ser ocupado mas, e hoje, qual é a realidade?
    Você vê que ainda existe espaços mas, são bem menores pois, já passamos de 200 milhões. Mas, o que isso tem a ver?
    Que as pessoas têm que possuir o "capital" intelectual pois, segundo a minha mãe: O SABER NÃO OCUPA ESPAÇO!
    Em outras palavras, a sua presença, em qualquer lugar, terá um valor físico igual à todos mas, o valor monetário será diferenciado de acordo com sua capacidade intelectual.
    Então, todas essas notícias alarmistas é só para "moldar" a opinião pública, onde os que defendem os pobres são os mocinhos e, os que ganham mais de acordo com sua capacidade, são os bandidos.

    2
    • GERALDO GENTILEIBAITI - PR

      Que coincidência da vida. Também estive em Rondônia no mesmo ano de 1983 até 1988. Trabalhei em Cacoal e Região. Ótima época para estar em Rondônia. De ônibus, na estação seca, 03 dias e 03 noites para chegar lá. Pelo terrível "areião" do Mato Grosso. Sem tomar banho, sem nenhum conforto. Em 1984 a baixa do Madeira e o Estado sem óleo Diesel e sem energia. Em Cacoal a cidade foi tomada por vândalos que a saquearam e puseram fogo na Prefeitura, na Ceron, no almoxarifado, nos depósitos de combustível. Luta contra o exército comandados pelo valente Tenente Pires. Em Outubro/1985, 42 (quarenta e dois) assassinatos no perímetro urbano do Município! Bons tempos. Muita saudade.

      0
  • HENRIQUE JOSÉ BONETI SÃO PAULO - SP 20/02/2019 09:08

    Todos do agronegócio devem atentar-se cada vez mais para os avanços trazidos pela tecnologia digital. Ela incrementa a produtividade e, consequentemente, melhorar a margem de lucro. De agora em diante a agricultura digital será cada vez mais condição sine-qua-non para a consolidação dos empreendimentos do agronegócio.

    Comentário referente a notícia: Femagri 2019 começa na próxima quarta-feira (20) com foco na Tecnologia Digital

    22
    • IVO VICENTE BASSORIO BRILHANTE - MS

      Vejo que muitos não concordam com o Sr. Henrique Jose Boneti, mas felizmente ele tem razão. As tecnologias são muito caras, difíceis de adota_las no início, mas não tem jeito, não há volta! Mesmo porque a tecnologia, é para facilitar, melhorar, agilizar, agregar facilidades e melhorar em tudo. Teremos que aprende_las e adota_las rápido! Vejam bem, se fosse para piorar não seria tecnologia, seria picaretagem! Temos que identificar as picaretagens das tecnologias e quem poderá nos auxiliar são as Fundações de pesquisa agrícolas, a Embrapa e os Engenheiros Agrônomos consultores!

      0
  • DOUGLAS GEHRKE CAPITÃO LEÔNIDAS MARQUES - PR 20/02/2019 07:59

    85 sacas por hectare? Nem com o clima perfeito não se colhe isso aqui na região....

    Comentário referente a notícia: Com 65% da área de soja colhida, Cascavel/PR apresenta produtividade muito variada de 35 à 85 sacas

    0
    • GERALDO GENTILEIBAITI - PR

      20% de quebra em Cascavel? Aqui na região de Ibaiti estamos tendo quebras maiores, mesmo tendo plantado mais tarde e tendo chovido mais. O "chute de quebra" está para brincadeira...

      0
  • RODRIGO POLO PIRES BALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC 20/02/2019 07:55

    É a segunda matéria publicada no Noticias Agrícolas assinada pelo Guilherme Dorigatti que leio e acho muito boa. São análises objetivas de agentes financeiros que estão acompanhando o mercado diariamente, bem como as publicações de relatórios como o do IMEA, por exemplo. A linguagem não é a comumente pelo mercado financeiro, não é a comumente usada por outros analistas e requer um pouco de esforço até apreensão dos termos para ter maior facilidade no entendimento. Isso se consegue com um pouco de esforço e em pouco tempo. Considero que essas matérias irão ajudar e muito os produtores que acompanham o site. Parabéns Guilherme Dorigatti, excelentes suas matérias.

    Comentário referente a notícia: Milho: Preços internacionais encerram a terça-feira com baixas de até 5 pontos

    3
  • ELTON SZWERYDA SANTOS HORTOLÂNDIA - SP 20/02/2019 07:26

    Gostaria que os jornalistas do NA nos informassem sobre a extinçao de subsidios no custo da energia eletrica para o setor rural...

    0
  • CARLO MELONI SAO PAULO - SP 20/02/2019 00:09

    Sr GERALDO GENTILE, tenho uma duvida num outro aspecto... O meu vizinho tem fazenda de 750 alqueires coisa de 60 milhoes--Ele transformou em empesa com açoes---Acredito que seja para fugir do inventario e escapar do imposto de herança... Estou certo ou nao tem nada a ver ???

    1
    • GERALDO GENTILEIBAITI - PR

      É uma ótima estratégia. Quando ela dá entrada da propriedade rural na empresa isto não gera imposto nenhum. A empresa fica dona da propriedade e ele poderá, ao longo do tempo, transferir as ações que possui para os seus herdeiros, ou, ainda, (o que seria melhor,se possível) fazer AUMENTOS DE CAPITAL na empresa inflando (ainda que artificialmente) o seu capital social e diluindo, consequentemente a sua participação no capital da mesma.

      1
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Muito obrigado----Poderia ter evitado lhe dar esse trabalho, mas a sua resposta acredito que seja util para outros colegas-

      1
    • GERALDO GENTILEIBAITI - PR

      Não é trabalho algum Meloni. É um prazer poder ajudar os companheiros. Qualquer dúvida que tenha, não se faça de rogado, pode perguntar e se eu puder te ajudar, fa-lo-ei de imediato. Grande abraço.

      0
    • GERALDO GENTILEIBAITI - PR

      Caraca! Quase quebrei os dois dedos com que escrevo para digitar "fá-lo-ei" . KKKKK!

      0
    • GERALDO GENTILEIBAITI - PR

      Não é trabalho caro Meloni. É um prazer ajudar os companheiros. Fique à vontade para perguntar e se puder te responderei. Grande abraço.

      0
  • JOSÉ EDUARDO DA SILVA JANAÚBA - MG 19/02/2019 20:11

    Por que vc s nao comentam a morte de 500.000 cabecas de gado no Quesland na Australia, e seus impacto no preço futuro do boi gordo??.

    0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr José, desculpe-me mas, o número de bovinos no Brasil é da ordem de 210 milhões. Se praticamos uma taxa de abate de 22%. Isso quer dizer que abatemos 44 milhões de bovinos por ano, dividido por 365 dias, resulta em 120 mil cabeças por dia. ... ... Ou seja, o "fato" Australiano é coisa de 4 dias de abate brasileiro. ... ... ... O Sr. acha que vai impactar alguma coisa no mercado?

      1
    • LIONES SEVEROPORTO ALEGRE - RS

      A Austrália possui o 6o. rebanho comercial global com 28 milhões de cabeças. Ademais, essas enchentes e secas são frequentes naquele país. Não oferecem impacto nos preços.

      1
    • JOSÉ EDUARDO DA SILVAJANAÚBA - MG

      Morrer 500.000 cabecas do dia para noite nao é normal, acontece que foi proibido pelos canais comprados... e é logico que vai ter repercussao.. A Austrália é o segundo maior exportador do mundo. o que cv acha?, coloque esta tragedia na sua estrategias.... o povo tem de saber.... é bom avaliar a taxa de desfrute real do países.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Concordo com você, José. Não é, nem poderia ser normal, morrerem 500.000 cabeças. ... ... Quanto a repercussão... Bem, aí é o mercado que diz e, ele não tem sentimentos. ... ... Mas, vamos ao busílis. ... ... A Austrália é o 3º exportador de carne bovina do mundo, em 2018 exportou 1,61 milhões de toneladas, correspondendo à 15,38% do total de 10,47 MMT. ... O consumo mundial em 2018, segundo a mesma fonte, é de 60,9 MMT. ... ... Veja que o excedente da Austrália que é exportado (1,61 MMT), torna-se menor quando é comparado com o total consumido. ... ...

      0
  • HELDER CALDEIRA SÃO PAULO - SP 19/02/2019 19:28

    Mais previsível (e canalha) impossível, nosso ex-Winston Churchill de araque saiu do Palácio do Planalto e, imediatamente, deu início ao ataque ao Governo Bolsonaro. Minúsculos são assim mesmo...

    Os áudios vazados para a VEJA e já replicados em diversos veículos de comunicação revelam apenas que o Presidente Jair Messias Bolsonaro ficou fulo da vida quando descobriu que o PSL montou um esquema de candidaturas-laranjas para desviar dinheiro público do Fundo Partidário.

    A medida do Presidente da República foi imediata: acionou a Polícia Federal - PF para investigar a bagaceira do PSL.

    E mais: os áudios também revelam que Jair Bolsonaro estava furioso com as decisões tomadas na Secretaria-Geral da Presidência, todas à revelia do Presidente, que estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

    Destaca-se, sobretudo, o fato de o agora ex-Ministro ter agendado uma viagem do Presidente ao Amazonas sem autorização; de estar plantando notícias em dois veículos de comunicação; e o agendamento de reunião secreta do ex-Ministro com um alto executivo da Rede Globo que sempre detonou Jair Messias Bolsonaro.

    Os áudios revelam apenas que há um mau-caráter nessa história... e não é o Presidente da República.

    Corretíssima a decisão de defenestrar.

    Sigamos em frente!

    15
  • GERALDO GENTILE IBAITI - PR 19/02/2019 13:13

    Olá Carlo Meloni, tudo bom? Respondi sua pergunta sobre a declaração de venda dos eucaliptos. Espero ter esclarecido sua dúvida. Qualquer coisa me avide. Abraços.

    0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Muito obrigado... Como declaro pelo metodo simplificado ( 20% sobre receita bruta) nao me toquei e fiz a besteira de nao declarar custos nos 7 anos anteriores ao corte----Mas no caso dos eucaliptos, farei um balancete com receita e custos onde posso declarar custos e depreciaçoes do periodo de 7 anos--

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Carlo, coloque o custo da "destoca" da área, acho que essa despesa vai ajudar na redução do possível pagamento dos impostos. ...

      0
    • GERALDO GENTILEIBAITI - PR

      Você declarou o plantio (ou existência) da plantação de eucaliptos há sete anos atrás?

      0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Declarei -----O gasto da implantaçao e' aproximadamente 8-9 mil R$/alqueire, o custo da destoca gira ao redor de R$ 12 mil----Receita R$ 30 mil e os dois custos 8+12 ==20 mil-----Entretanto nas conversas anteriores foi mencionado nos custos fixos a remuneraçao do capital investido na terra nua----Aproveitando lhe pergunto ::::e' permitido descontar esse custo na declaraçao do imposto de renda??

      0