Fala Produtor

Participe do Fala Produtor

Um espaço interativo criado para que você possa expressar opiniões, conversar com os outros internautas e debater os temas mais importantes do Agronegócio.

É o Notícias Agrícolas dando voz ao produtor rural.

As opiniões expressas pelos internautas não representam, necessariamente, a posição do site Notícias Agrícolas. Elas apenas traduzem o ponto de vista dos participantes, uma ferramenta criada para dar voz ao produtor rural e fazer com que ele interaja com outros produtores de todo o Brasil.
  • Rodney Carvalho 05/08/2020 13:13

    Agora é esperar a China vir ao Brasil e comprar nossa soja por preço de banana.

    5
  • nelson jose camolesi bauru - SP 05/08/2020 10:54

    Gostaria de saber se o ágio (ou deságio) na arroba do boi magro entrou na composição do custo final da arroba ou estes custos apurados se referem apenas ao custo das arrobas efetivamente ganhas... Se foi incluso qual foi o valor adotado?

    0
  • Roberto Vieira Vit?ria da Conquista - BA 05/08/2020 10:22

    Bom dia, ... estou sentindo falta das analises semanais do mercado de café!

    0
  • ANGELA ROZANE LEAL DE SOUZA Porto Alegre - RS 05/08/2020 02:24

    Inovação e Empreendedorismo no Agronegócio’ é tema do VIII Cienagro, dias 5 e 6 de novembro — UFRGS -- O Centro de Estudos e Pesquisas em Agronegócios (Cepan/UFRGS) promove nos dias 5 e 6 de novembro, em formato online, o VIII Simpósio da Ciência do Agronegócio 2020 (Cienagro). O objetivo da atividade é contribuir com discussões sobre a temática "Inovação e Empreendedorismo no Agronegócio" consolidando, assim, o CEPAN como um Centro de referências em estudos do agronegócio e o Simpósio da Ciência do Agronegócio como um evento anual da área no Brasil.

    Estão convidados a participarem estudantes de graduação e pós-graduação, professores do ensino superior, pesquisadores e técnicos dos setores público e privado que estejam interessados no assunto. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no endereço https://www.ufrgs.br/cienagro/inscricoes/. A submissão de trabalhos está aberta até o dia 30 de agosto.

    Informações sobre a temática, inscrições, programação, datas importantes e anais dos eventos anteriores podem ser acessados em https://www.ufrgs.br/cienagro/.

    Segundo Ângela Rozane Leal de Souza, coordenadora do Cienagro e professora do Programa de Pós-Graduação em Agronegócios da UFRGS (PPGAgro), os participantes encontrarão um espaço para ampliar a rede de relacionamento, submeter e apresentar artigos de pesquisa e participar de palestras. "É uma oportunidade de usar a interdisciplinaridade como uma diretriz, unificando os campos das Ciências Naturais às Ciências Sociais Aplicadas, com a integração entre conhecimentos diferentes. O tema escolhido é relevante diante das transformações que estão acontecendo no campo dos agronegócios, tais como questões tecnológicas, de gestão e mercadológicas. O agronegócio do futuro estará baseado em novas iniciativas, novas oportunidades e novos negócios, vinculados com a inovação, com o enfrentamento ao desconhecido, com a criatividade e com o empreendedorismo", frisa ela.

    Confira AQUI a programação dos dias do evento.

    Mais informações no site https://www.ufrgs.br/cienagro/ e no e-mail [email protected]

    http://www.ufrgs.br/ufrgs/noticias/2018inovacao-e-empreendedorismo-no-agronegocio2019-e-tema-do-vii-cienagro-dias-6-e-7-de-novembro

    0
    • Rafael Antonio Tauffer Passo Fundo - RS

      Nesse per[iodo é meio complicado para o produtor de o RS acompanhar. Nessa época estamos em pleno plantio da soja.

      0
  • Cácio Ribeiro de Paula Bela Vista de Goiás - GO 04/08/2020 12:24

    Tempo & Dinheiro... ótimo formato, comentários densos em informações...!!! É "a nova plataforma" aqui no site do NA.

    No entanto, o "otimismo exagerado" do JB o induz a exageros, como na entrevista em apreço, dizendo: .."não precisa melhorar, é só manter"...

    Com respeito, JB, melhoria, progresso, aprimoramento, aperfeiçoamento,... são leis universais!!!

    Abraço!!

    Comentário referente a notícia: Milho - Semana começa com forte demanda no Brasil
    2
  • Roberto Cadore Cruz Alta - RS 04/08/2020 12:17

    A meu ver, a decisão de fazer ou deixar de fazer o seguro de safra deve considerar os diferentes cenários de custo-benefício, ponderando as diferenças de cada região do estado, assim como o tipo de solo e as características das cultivares. Um item muito relevante que deve ser observado é o LMI/hect, o Limite Máximo de Indenização, ou seja, a importância segurada por hectare, que é expressa em R$/hect. e não em sc/hect, o que muda muito o resultado dos cálculos.  Portanto, tanto a IS, quanto a garantia em sc/hectare, devem ser levada em consideração pelos produtores.  A seguradora, em caso de sinistro,  pagará em em R$/hectare usando o PP, que é o Preço do Produto estabelecido na apólice e que nada tem haver com o preço de mercado.  Além disso, temos ainda as Informações de Riscos Não Cobertos, que é quase uma arapuca aos produtores.  No mais, a situação econômico-financeira do produtor é outro item importante,  assim como a expectativa climática. Tudo isso em conjunto expõe o produtor a um nível de risco... Creio que dentre as variáveis, a expectativa climática seria o maior determinante, e o que temos hoje, no caso do RS, é uma condição elevada de risco para estiagem no próximo verão... Enfim, o assunto é extenso e complexo, mas em resumo, mesmo sabendo das desvantagens, eu ainda assim farei o seguro.

    2
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC 03/08/2020 19:21

    Oswaldo Eustáquio, jornalista, narra o modo violento como foi tratado pelo STF e pela Polícia Federal

    https://noticiabrasilonline.com/oswaldo-eustaquio-jornalista-narra-o-modo-violento-como-foi-tratado-pelo-stf-e-pela-policia-federal/amp/

    3
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC 03/08/2020 18:31

    Ficou excelente esse novo formato, João Batista... Tempo & Dinheiro é muito bom mesmo.

    3
  • Paulo Roberto Nicola Santiago - RS 03/08/2020 11:18

    Colegas agricultores, vou plantar 455 há, e tenho o seguinte raciocínio.... O seguro cobre 37,64 sc/há, e custa R$ 129.000,00 (equivalente a 2,84 sc/há). A) Se colher igual a minha pior safra em 16 anos, colherei 25 sc /há, assim sendo o seguro só me indenizará a diferença (12,64 sc/há). Resumindo, pagarei R$ 22,46 para cada R$ 100,00 segurado. B) Se eu colher 58 sc/há e fizer uma boa administração financeira, o seguro terá comido 20 % do meu Lucro Bruto. Conclusão: - A CADA 5 SAFRAS, UMA FAÇO PARA O SEGURO EM QUALQUER UMA DAS HIPÓTESES.

    0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Porque o preço cai mais do que o aumento de produçao... Exemplo: 350 sacas de milho a R$ 32 igual a 1.1200 ... 300 sacas a R$ 50 igual a 15.000 mais ou menos, isso o excesso de produçao vale zero... acho eu

      0
    • Paulo Roberto Nicola Santiago - RS

      Presado Carlo...Essa sua observação atesta a famosa lei da oferta e demanda... e mais uma vez se comprova que tendo-se uma Rotina de Comercialização de Safras e um pouco de liquidez, temos a alternativa de vendermos nossa produção no melhor momento -- melhorando assim nossos lucros, e não só quando precisamos pagar as contas.

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Se o agricultor tivesse um sindicato ativo e funcional, ele avisaria o agricultor do excesso, e orientaria sobre o percentual a ser retido por cada um para segurar o preço... haveria menos falencias.

      2
  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR 03/08/2020 04:56

    Sr. João, o meu tempo urge mas quero deixar claro que não sou produtor de "pelos em ovos"... Vejo que o NA é um site de grande conceito junto ao setor rural. Olhando o ícone "Clima", notei que há uma discordância no uso da palavra, penso eu... Toda previsão é de tempo e não de clima. Ou seja, o termo "clima seco" para designar um "tempo seco" de alguns dias, acho que atrapalha a linguagem.

    Não devemos nos esquecer que a "corrupção da linguagem" é a principal arma para mudar conceitos. Arma esta muito usada pelos socialistas e, como a "mudança climática" está aí, como uma espada de Dâmocles, sobre as cabeças dos produtores rurais. Seria de bom-tom, evitar qualquer perda de conceito sobre esse assunto.

    É só uma visão, meio comprometida devido às cataratas, de um velho matuto...

    4
  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR 03/08/2020 04:36

    Por onde anda o Sr. CARLOS WILLIAM NASCIMENTO CAMPO MOURÃO – PR ? ... Os seus comentários enriqueciam o espaço do FALA PRODUTOR !!!

    2
  • Luiz Ribeiro Villela São Paulo - SP 02/08/2020 19:45

    Prezados srs: O titulo (manchete) fala em pressão e redução. Porem o texto não diz isso. Em quem devo acreditar?

    0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Todo jornalista e' como galinha que cacareja para avisar a postura... Ou seja, se o conteudo do artigo e' honesto, VALEU

      0
  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR 01/08/2020 20:51

    Sr. João Batista, alguém da comitiva do presidente tem de avisá-lo que: Para se montar no animal tem lado! O pé que apoia o estribo para montar é o pé esquerdo!

    Ainda bem que o animal do ato era bem domado, aceita qualquer lado. Senão, seria uma cena que iria ficar na estória... para o clímax da oposição.

    5
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      Quando o cavaleiro é dos bons, não tem lado pra apear.... Kkkkk

      11
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Mas eu estou com Paulo, e' preciso pisar na esquerda para jogar a direita para cima...

      1
  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR 01/08/2020 20:31

    Diz-se que o período usado para medir a distância entre uma geração e outra é de 20 anos. Às vezes, me pergunto. Será?

    Quando leio a historiografia dos fatos, vejo que a classe dos intelectuais é a mais perversa da sociedade. Sim pois, essa classe "vende" seus pensamentos e, quem os compra, traz no "pacote" ideologias progressistas.

    Veja que há mais de um século, ondas progressistas e conservadoras são o tema do momento. Mas, investidas de longo prazo, sempre provem dos ideais progressistas, que querem, porque querem acabar com as liberdades individuais, a família e a religião judaico-cristã. É uma ficção doentia!

    Agora, pergunto: Esses insanos, foram concebidos num seio familiar ou em qualquer esquina de um bairro de viciados. A oportunidade de se tornar "intelectual", caiu em seu colo por algum gestor de um regime autoritário, tipo Nicolás Maduro ou Kim Jon-un?

    Não sei qual vai ser o tempo necessário para "quebrar essa onda" que me tira o sono de noites seguidas. Na data de hoje o presidente da câmara federal, rodrigo BOTAFOGO, convidou o youtuber "foca", para participar de uma discussão do projeto de lei (PL) da Fake News, marcado para a semana que vem.

    ISSO NÃO É UMA AÇÃO RESULTANTE DA AÇÃO DE INTELECTUAIS?

    Pois, esse lixo que está sendo colocado como noticia, penso, está anos-luz de ter intelecto! Inclusive o que fez o convite!

    Então, sei que sou culpado pois, a minha geração deixou que isso acontecesse e, pior ... EU ASSISTISSE !

    POR ISSO QUE DIGO: DEVEMOS CRIAR MECANISMOS E NÃO LEIS!

    Os mecanismos são, o aumento dos horizontes... ou, podemos usar outro signo: CONHECIMENTO !!!

    10
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Veja o texto abaixo (tradução do Google) de um artigo escrito por Helena Kennedy QC, uma advogada de direitos humanos, diretora do Instituto de Direitos Humanos da International Bar Association e do Trabalho da Câmara dos Lordes. Artigo postado no site https://fabians.org.uk/taking-liberties/ ... Site oficial da Sociedade Fabiana no Reino Unido. ... -- "Depois, há lugares em que os líderes estão em negação ou colocando enriquecimento à frente da vida humana. Jair Bolsonaro, o protegido de Trump, ignora infantilmente as proteções necessárias para conter a epidemia e continua a permitir a extração de madeira e o desmatamento, o que significa que o vírus está sendo trazido para o reino dos povos indígenas do Brasil." ... ---

      Veja que é o efeito bumerangue, a imprensa tupiniquim divulga seus números mágicos sobre qualquer assunto, atacando o atual governo e, o "bumerangue gringo" vem cair em solo tupiniquim, aí a mesma imprensa volta a atacar, citando a imprensa internacional... Simples assim !!!

      7
    • elcio sakai vianópolis - GO

      Sr. Paulo, olhando o seu comentário sobre o youtuber (ser convocado pra fazer parte do projeto de lei da fake-news), digo que tudo é muito triste,... pois esta mesma pessoa foi condenada por um juiz a pagar indenização pro presidente da Funai, por essa mesma prática. Tudo bem que pode haver recurso, mas é a mesma coisa que chamar um ladrão pra fazer uma lei, pra ser julgado por este mesmo tipo de crime que ele mesmo cometeu.

      1
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Deveriam fazer uma lei que valesse tanto para a internet quanto para a imprensa profissional----Ai sim seria democracia justa... Ninguem inventando mentiras

      1
  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR 01/08/2020 18:49

    Existe uma frase que diz: O brasileiro esquece rápido.

    Estamos há 18 meses decorridos de mandato do atual presidente, ou seja, menos da metade do caminho percorrido. E, qual são os movimentos políticos? Todos os olhos estão fixos em 2022!

    Mas, quem é o culpado dessa estupidez? Para os "esquecidos", ... FHC!

    Segundo consta, foi um verdadeiro balcão de compras de consciências mas, como tudo na esfera política, as ações dos mandantes de plantão são impossíveis de se comprovar as verdadeiras intenções. Ainda mais, se for da ala socialista. Essa praga é sanguessuga que parasita direita/esquerda, qualquer coisa que lhe proporcione bem-estar.

    E quem mais sofre do parasitismo é a população, que sempre é enganada com a promessa de que "o futuro será promissor".

    4
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Sr Paulo, o FHC escreveu ontem no Estadao ensejando ao Brasil mais intelectuais do gabarito de Florestan Fernandes... Eu acho que o Brasil precisa de empresarios para aumentar a riqueza do pais, e nao de sanguessuga filosoficos, mamando nas tetas do governo... FHC ainda nao percebeu que o povo acordou, por isso o PSDB so' tem 4% de intençoes de votos.

      1