Boi Gordo: Banco aposta em aumento da demanda estimulando altas do mercado

Publicado em 01/08/2013 17:00 e atualizado em 01/08/2013 17:37
854 exibições

Uma análise do Banco Espírito Santo Research sobre o mercado do boi gordo mostra que grandes frigoríficos seguem bem abastecidos com ofertas de animais confinados e negociados anteriormente, o chamado mercado a termo.

"A dúvida fica por conta do comportamento dos frigoríficos menores, dado o provável aumento na demanda por carne nas próximas duas semanas", sinaliza Catarina Gervai Pedrosa, responsável pelo comentário diário da instituição.

O banco esperava também pelos dados sobre as exportações brasileiras do complexo carne, as quais cresceram tanto em volume quanto em receita em julho em relação ao mesmo mês de 2012. 

Abaixo, veja a análise diária da Scot Consultoria:

Boi gordo: Fraco desempenho das vendas de carne é principal fator baixista

Maisa Modolo Vicentin
engenheira agrônomo
Scot Consultoria

A oferta de animais terminados teve ligeira melhora no estado de São Paulo em relação aos últimos dias. 

Os pecuaristas, que esperavam melhores pagamentos pela arroba, começam a ofertar as boiadas.

As escalas de abates dos frigoríficos atendem entre 3 e 5 dias úteis no estado. As indústrias que trabalham com boi a termo conseguem programações mais folgadas, de até 10 dias úteis.

A referência para o animal terminado teve queda e está em R$102,50/@, à vista, e R$104,00/@, a prazo. 

O fraco desempenho das vendas de carne tem sido o principal fator baixista. 

O boi casado de animais castrados caiu e é negociado por R$6,39/kg, valor 0,8% menor na comparação semanal.  

Em algumas praças, como Marabá-PA, as indústrias ofertam mais pela arroba na expectativa de maior volume de negociações.

Clique aqui e confira as cotações do boi.

As vendas de carne bovina in natura, segundo o Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, somaram US$ 464 milhões, com um aumento de 22,8%. Foram 105,1 mil toneladas, frente às 83,3 mil toneladas vendidas em julho de 2012. 

Já em comparação com maio deste ano, o aumento da receita foi de 19,8% e 20% no incremento de volume, com preços praticamente estáveis. 

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas + Scot

Nenhum comentário