Feijão: As referências do nota 8,5 R$ 135, nota 8 R$ 120 e nota 7 R$ 105,00

Publicado em 17/03/2014 16:00 986 exibições

Feijão carioca: Na semana passada os mercados dos feijões intermediários tiveram recuo. Não surpreendeu, uma vez que os que compraram do produtor em janeiro trataram de realizar seu lucro vendendo. Ao fazerem isso, em um período desfavorável do mês, quando diminui bruscamente a reposição do varejo,  criaram uma super oferta no mercado e os preços recuaram bastantes, diferentes conforme a região. No Paraná ocorreu de vários lotes de nota 7 serem comercializados por R$ 70/80 contra R$ 100 da semana anterior. Em Minas Gerais, possivelmente devido a pouca distância com grande pólo consumidor nordestino o recuo foi menor. De R$ 100/110 foram registrados negócios por R$ 90. O investidor também se assusta, tanto quanto o produtor e se percebe uma queda aí entra vendendo e acaba por precipitar aquilo que queria evitar. O feijão nota 8,5 acima continua com ofertas bem menores que a demanda. Esse produto foi comercializado por até R$ 150/160 FOB DF, MG e GO. Nessa segunda feira na bolsinha houve entrada de aproximadamente 32.000 sacos com sobras de 26.000. As referências foram para o nota 9 R$ 160,00, nota 8,5 R$ 135,00, nota 8 R$ 120,00 e nota 7 R$ 105,00. 

Feijão preto: Como vem acontecendo desde fevereiro, o volume ofertado de feijão preto segue abaixo da demanda. Devido a isso, a pressão sobre os preços continua muito forte, mesmo no período do mês com menor demanda do varejo. Os preços na última sexta-feira se mantiveram entre R$ 155/160 ao produtor, nas cerealistas do Paraná o preço FOB permaneceu entre R$ 170/175 e CIF São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre seguiram entre R$ 185/190. Um comprador do Rio Grande em uma emergência pagou R$ 193, mas essa cotação ainda não pode ser tomado como referência, mas indica que os preços seguem com viés de alta.

Feijão rajado: Sem ofertas, o mercado do feijão rajado continua muitíssimo aquecido. Oferta praticamente não existe, mas os compradores sinalizam que até que se tenha feijão novo do Paraná podem continuar pagando entre R$ 200/250 por saca FOB MG e PR.  Há registro de venda de grão para plantar comercializado por R$ 7 o kg.

Feijão caupi: Para a variedade Guariba há grande demanda e está com grande dificuldade de ser atendida. O Norte e Nordeste têm pagado preços considerados muito altos. Na última semana foram registrados negócios entre R$ 100/120 FOB dependendo muito da qualidade e aparência do grão. O atraso do plantio do milho abre no MT possibilidade de semeadura de mais caupis.

Tags:
Fonte:
Correpar

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário