Balanço do Cecafé nas áreas de Responsabilidade Social e Sustentabilidade em 2018

Publicado em 24/01/2019 14:01
76 exibições
*Por Marcos Matos e Lilian Vendrametto

A área de sustentabilidade do Cecafé, tendo como tema de relevância a responsabilidade ambiental e social e seguindo o Planejamento Estratégico de 2018, consolidou diversas ações positivas para todo o setor cafeeiro brasileiro. O Cecafé participou ativamente de diversos eventos, discussões, reuniões e grupos de trabalho sobre sustentabilidade, mudanças climáticas, conservação de solo e água, boas práticas agrícolas, segurança dos alimentos, questões trabalhistas, ambientais e regulatórias a fim de manter a instituição ativa e atualizada nos principais temas globais. Os programas e projetos continuam ativos e receberam especial atenção para melhorias e atualizações, enquanto novas iniciativas se consolidaram. Abaixo os principais destaques:

Para consolidar ainda mais a reputação do Cecafé. A área de Responsabilidade Social e Sustentabilidade participou de diversos eventos relacionados ao Projeto de Identificação Geográfica (IG) do café de Rondônia, promovido pela Agência Brasileira de Desenvolvimento

Industrial juntamente com a ABIC e ABICS, Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) e Associação Brasileira da Indústria do Café Solúvel (Abics). Este projeto tem como objetivo apoiar ações de melhoria da qualidade do café Conilon na região bem como criar uma identidade própria graças as suas peculiaridade locais de cultivo e aspectos culturais e geográficos.

Em Setembro na cidade de Cacoal (Rondônia) foi lançado o Programa Produtor Informado na aldeia indígena dos produtores de café dos Saruí-Paiter.

O Programa Café Seguro teve início em 2011, pelo Cecafé, com o objetivo de conscientizar e orientar o cafeicultor sobre o uso correto de defensivos agrícolas, garantindo frutos livres de contaminantes. Por meio de ações realizadas em Dias de Campo, o “Café Seguro” continuou contribuindo para promoção das Boas Práticas Agrícolas junto aos produtores.

O Programa Produtor Informado, criado pelo Cecafé em 2006 com o intuito de levar inclusão digital para o meio rural, continuou sua parceria de sucesso com a Plataforma Global do Café em 2018. Em 2018, totalizaram 56 turmas que levaram inclusão digital e conhecimentos de boas práticas agrícolas para mais de 760 alunos. Além das aulas, foram promovidos diversos dias de campo, com o objetivo de mostrar, na prática, esforços na busca pela produção de café cada vez mais sustentável, com o aumento da produtividade e ampliação da aplicação de pesquisa, tecnologia e melhorias no campo.

O site do programa, criado pelo Cecafé, divulga os dados e resultados alcançados, além de conter detalhes das instituições parceiras, funcionando como um sistema de organização para os instrutores e para os administradores. Com as informações on line o Cecafé ganhou eficiência nos controles e análises detalhadas do Programa, sempre buscando melhoria contínua e eficiência. Desde o início do Programa foram formados mais de 5 mil produtores, sendo mais de 3.400 inscritos no sistema de controle criado em 2016.

Em 2018 houve o incremento em 76% das instituições parceiras, entre elas, Basf, Econ, JDE, Keurig, Nestle, Olam e Syngenta, conferindo maior robustez ao novo projeto intitulado Uso Correto dos Agroquímicos, no qual o Produtor Informado do Cecafé é um dos pontos fortes.

Outra parceria de sucesso foi a iniciativade membros voltada ao manejo de mato na cafeicultura do Espírito Santo, por meio de uma parceria entre o Cecafé, a Nestlé, o CETCAF (Centro de Desenvolvimento Tecnológico do Café) e o Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa Assistência Técnica e Extensão Rural e a Plataforma Global do Café. Por meio do Programa Produtor Informado, dias de campo e workshops sobre sustentabilidade, foram levados aos cafeicultores os conhecimentos necessários para o adequado controle químico da biomassa nas entrelinhas dos parques cafeeiros, incluindo a importância da manutenção da biomassa, época de controle adequada, preparo da mistura e tecnologia de aplicação de defensivos.

As parcerias de sucesso com Plataforma Global do Café, EMATER/MG, INCAPER, EMATER/RO, IFES, Fundação Hanns Neumann, Cooxupé, Via Verde, Exportadora Guaxupé, Cocapec, e Cooabriel continuam fazendo com que o programa seja referência e alcance os resultados esperados nos quatro principais estados produtores (MG, ES, SP e RO), sendo presente em mais de 100 municípios. Em 2019 são esperadas novas ações em dias de campo e inovações.

O Cecafé esteve presente na Semana Internacional do Café com um estande multistakeholder para promover as ações de Sustentabilidade e Responsabilidade Social. Os parceiros da iniciativa foram a Fundação Hanns Neumann, o Instituto Inpacto junto com a ONG americana CSR e a Plataforma Global do Café. A empresa Três Corações também contribuiu com o fornecimento da máquina de café e uma barista para que fossem servidos cafés produzidos por pequenos produtores de Minas Gerais, participantes do Programa Café Mais Forte, da Fundação Hans Neumann.

Duas participações merecem ser destacadas na Conferência Global de Sustentabilidade do Café: a do Diretor Geral do Cecafé, Marcos Matos, no painel “Criando a mudança global através da ação local” e da gestora de sustentabilidade, Lilian Vendrametto no lançamento do “Projeto Uso Correto de Agroquímicos”, parceria do Cecafé, PGC no Brasil e diversas entidades e empresas. Paralelamente a Semana Internacional do Café também aconteceu o evento “Café & Pauta Social”, organizado pela Inpacto sendo que o Cecafé participou no Painel “Mesa de Café Brasil” com a palestra ministrada por Lilian Vendrametto sobre a Sustentabilidade na Cafeicultura Brasileira, mostrando a importância do Brasil consolidar-se como referência de cadeia sustentável socialmente com respeito aos direitos humanos, transparência, rastreabilidade e promoção do trabalho decente.

O Cecafé estreitou ainda mais sua relação com o Instituto Inpacto – principal instituição nacional a se dedicar inteiramente a erradicação do trabalho escravo no Brasil. Participando ativamente dos eventos da Mesa de Café Brasil e do Grupo de trabalho de Café. A meta do projeto, totalmente alinhada com demanda e expectativas internacionais e as próprias necessidades de transparência do mercado global, é ampliar o envolvimento de todos os atores na promoção de uma agenda positiva e transformadora em prol do trabalho decente na cadeia produtiva do café. O projeto conta com o apoio da ONG Americana Catholic Relief Services e do Cecafé.

Outro destaque é o Programa Criança do Café na Escola, que teve início em 2003, com o objetivo de montar Laboratórios Digitais, com equipamentos de informática e acesso à internet, contando com o suporte educacional fornecido por uma pedagoga contratada pelo Cecafé. No total, foram instalados 137 Laboratórios Digitais em 95 municípios cafeeiros, além de 1,37 mil computadores (10 computadores por sala), sendo 116 deles com acesso à internet, com um investimento atualizado de aproximadamente R$ 9 milhões.

Vale destacar também a formação do Pólo Sustentável de Caconde, uma consolidação de diversas iniciativas socioambientais voltadas para as melhorias de condições de cultivo e comercialização do café, entre elas: de segurança, laborais, ambientais e regularização fundiária. As instituições apoiam/suportam esse louvável projeto, são, além do Cecafé: Associação de Bairros de Produtores Rurais de Caconde (Abapruc), Exportadora Guaxupé, Associação CATI, FAESP e SENAR SP.

Concluindo, o ano de 2018 terminou consolidado como um ano de muito trabalho e realizações. Já o ano de 2019 vem como um ano cheio de desafios para o Brasil, especialmente para o agronegócio e para o setor exportador. Contudo, são nas adversidades que surgem as maiores oportunidades. Há a perspectiva de criação de uma organização do Terceiro Setor do Cecafé, entidade sem fins lucrativos com o objetivo acessar benefícios tributários e incentivos fiscais para ampliar ainda mais os projetos socioambientais de sucesso do Cecafé e continuar seguindo em direção a sua missão: trilhando o caminho certo para um futuro cada vez mais sustentável e socialmente responsável.

*Marcos Matos é Diretor Geral do CECAFÉ e Lilian Vendrametto é Gestora de Sustentabilidade do CECAFÉ.

Tags:
Fonte Cecafé

Nenhum comentário