Associtrus lanca Manifesto da Laranja com medidas urgentes para o setor

Publicado em 18/08/2013 09:43
586 exibições

Reunidos na tarde desta sexta-feira (16/8), no anfiteatro do Centro Univeristário Unifafibe, em Bebedouro, mais de duzentos citricultores participaram do Encontro “Citricultura do Estado de São Paulo: Estrutura e Conjuntura”, promovido pela Associtrus, e assinaram o “Manifesto da Laranja”, documento onde estão descritas as principais reivindicações a curto, médio e longo prazos, extremamente necessárias para a manutenção do setor produtivo.

Há décadas, os produtores se vêem obrigados a abandonar os pomares por conta da verticalização da produção pelas indústrias de suco de laranja e, consequente, os baixos preços pagos pela fruta.A omissão dos governos (federal, estadual e municipais) gera uma brutal transferência de renda para as indústrias, aumentando as distorções no setor.

O Manifesto objetiva expressar às autoridades públicas constituídas e à sociedade organizada em geral as condições aviltantes que enfrentam os citricultores, bem como reivindicar aos poderes públicos, em todos os segmentos, medidas de apoio para o resgate da citricultura.

Algumas medidas urgentes que constam do Manifesto da Laranja: 

renegociação de dívidas (securitização), inclusão da laranja na política de preço mínimo e nos leilões de PEPRO; inserção de suco de laranja em programas governamentais; aumentar o percentual de suco de laranja para os néctares, no país; redução de impostos; melhoria do ambiente de negócios, com maior transparência de informações como consumo, estimativa de safra etc.; fortalecimento da representatividade dos citricultores independes nas negociações do Consecitrus e construção conjunta do modelo final para restabelecer o equilibrío na cadeia; investimento em marketing para promover o aumento do consumo de suco de laranja; entre outras. 

São vitais ações de curto prazo para permitir que o citricultor independente mantenha-se competitivo e recupere-se da crise de rentabilidade das últimas temporadas. Além disso, são importantes medidas de médio prazo para melhorar o ambiente de negócios e a competitividade do produtor e medidas de longo prazo como o fortalecimento da defesa fitossanitária e a demanda doméstica pelo suco de laranja.

Os citricultores e colaboradores que assinaram o manifesto solicitam a adoção de medidas que solucionem os problemas que assolam a citricultura, pois sem a imediata implementação de referidas medidas, o setor, em curtíssimo espaço de tempo, se resumirá à produção exclusiva da indústria, caminhado, a passos largos, em direção à bancarrota.

O Encontro contou com a presença de diversas autoridades, dentre elas os deputados federais Edinho Araújo (PMDB-SP) e Mendes Thame (PSDB-SP); o prefeito de Bebedouro, Fernando Galvão; o represetante da Secretaria de Agricultura de São Paulo, Orlando Melo de Castro; representantes de Sindicatos Rurais; da Comissão de Agricultura da Faesp (Federação da Agricultura do Estado de São Paulo); da Feraesp (Federação dos Trabalhadores Rurais do Estado de São Paulo); e da Amcisp (Associação dos Municípios Citrícolas de São Paulo).

O senador Eduardo Suplicy demonstrou seu apoio aos citricultores através de pronunciamento na tribuma do Senado Federal, no último dia 14 de agosto. Na oportunidade, Suplicy se comprometeu a assinar o Manifesto, que serviu para mostrar que a insatisfação ultrapassou o limite e ações concretas e urgentes precisam ser tomadas. 

Para o presidente da Associtrus, Flávio Viegas, o caminho para conseguir o apoio das autoridades é a organização dos produtores nas associações. “Estou muito satisfeito com a presença de mais de duzentos produtores no Encontro e isto demonstra o quanto precisamos unir forças para nos fazer ouvir pelos representantes dos governos constituídos. O próximo passo é irmos a Brasília para entregarmos este Manifesto ao ministro da Agricultura”, finaliza Flávio.

Tags:
Fonte: Associtrus

Nenhum comentário