Agropack: Relatório de abril destaca incertezas na produção de café e crise financeira no setor sucro-energético no Brasil

Publicado em 07/05/2014 16:27 328 exibições

O banco português ‘Espírito Santo Investment Bank’ divulgou seu informativo mensal Agropack com dados dos principais mercados agrícolas do Brasil no mês de abril. O relatório destaca a crise financeira no setor sucro-energético, com o fechamento de algumas usinas, as incertezas em relação à produção mundial de café, que está sofrendo com a incidência de ferrugem na América Central e a redução de produtividade do Brasil, por conta da seca.   

Milho – Atenção voltada para o desenvolvimento do plantio nos Estados Unidos, que já alcançou 19% da área total estimada no dia 27 de abril. A área está com 9 pontos percentuais abaixo da média registrada nos últimos 5 anos (28%), mas isso ainda não representa uma preocupação. O atraso é devido às condições ruins do clima registradas em abril, que também ajudaram a elevar os preços. No entanto, os produtores norte-americanos são bastante eficientes ao que diz respeito à agilidade no plantio. Em 2013, eles plantaram 60% do total de sua safra entre os dias 17 e 23 de maio. Se as condições climáticas melhorarem, acreditamos que o ritmo de plantio irá aumentar rapidamente reduzindo os riscos de redução de produtividade por conta dos atrasos. No Brasil, a maior parte dos estados produtores finalizaram o plantio da safra de inverno e o clima está favorável para o desenvolvimento do milho. Isto levou a Conab a aumentar suas projeções para a produção da segunda safra em 0,4%, de 43,75 para 43,94 milhões de toneladas. No momento, os volumes de negociação estão baixos no mercado à vista, já que os produtores estão bem capitalizados, o que só aumenta as expectativas de maior oferta e preços mais fracos para o milho no segundo semestre do ano.

Soja – Os participantes do mercado de soja estão tentando avaliar o impacto potencial do tamanho real da safra sul-americana (depois das secas no Brasil e na Argentina) e também um possível enfraquecimento da demanda chinesa. No Brasil, em seu relatório de abril, a Conab elevou suas estimativas para a safra 2013/14 no país para 86,08 milhões de toneladas, um aumento de 0,7% em relação aos 85,44 milhões de toneladas estimadas inicialmente. 

Na Argentina, embora o governo esteja mantendo sua estimativa de produção para 2013/14 em 54 milhões de toneladas, a ‘Bolsa de Cereais de Rosário’ aumentou sua estimativa de 54,7 milhões para 54,9 milhões de toneladas, o que pode ser justificado pela alta produtividade na província de Córdoba, que deve compensar o déficit de produção em outras áreas, devido ao excesso de chuvas. Esses ajustes positivos podem indicar que a safra sul-americana será maior que o previsto. Na China, as margens de esmagamento de soja estão caindo, o que seria a principal razão para o enfraquecimento das importações de soja.  

Etanol – A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) divulgou sua estimativa para a safra de 2014/15 na região centro-sul do país. De acordo com os novos números, o esmagamento de cana-de-açúcar poderá atingir 580 milhões de toneladas, um volume 2,8% menor que a safra anterior, devido à seca registrada no início de 2014. A ÚNICA também espera um aumento de 5% na área plantada, devido ao ritmo lento de renovação de safra em algumas áreas que não foram plantadas na última temporada de plantio. Outro destaque do relatório é relacionado às usinas. A UNICA informa que pelo menos 10 usinas estão com as atividades paralisadas e que pelo em torno de 30 já entraram com pedido de falência. De acordo com o diretor da UNICA, isso reflete a difícil situação financeira enfrentada pela indústria da cana-de-açúcar no Brasil. 

Café - As incertezas relacionadas ao tamanho da safra brasileira de 2014/15 estão gerando forte volatilidade nos mercados global e doméstico de café. A Organização Internacional do Café (OIC) informou que a atual epidemia de ferrugem do café já está afetando todos os países produtores da América Central (53% de incidência). Esta é a pior infestação desde que a praga apareceu na região em 1976 e traz mais incertezas para o mercado. No Brasil, a colheita está começando em alguns estados, mas sem qualquer número consolidado sobre produtividade ou qualidade dos grãos. No entanto, segundo a Secretaria de Agricultura, há alguns indicadores de que a safra tenha uma queda de pelo menos 8 milhões de sacas depois da forte seca que atingiu o Sudeste do Brasil. A safra 2015/16 também deve ser afetada devido às condições ruins das sementes.                 

Boi gordo – os preços do boi gordo ficaram menos firmes no último mês e acreditamos que ainda há possibilidades de novas quedas. Os fundamentos do mercado brasileiro indicam que os frigoríficos não irão pagar preços mais firmes para atender suas escalas de abate. As razões para isso são: um ritmo mais lento para na exportação de carne bovina, vendas mais moderadas no mercado interno e, de acordo com pesquisas recentes, mais produtores estão vendendo seus animais nos estados de Goiás e Minas Gerais. 

Nas exportações, o volume de embarque de carne na terceira semana de abril estava 4,4% mais baixo na média de mês a mês e apenas 0,4% mais alto na média de ano a ano. No mercado doméstico, os preços da carcaça caíram 1,5% do dia 1º de abril até o dia 30. Com o aumento da diferença nos preços de aves / suínos e bovinos, os frigoríficos têm enfrentado dificuldades em relação à demanda para comércio no mercado atacadista.        

Crédito - O crédito rural para o agronegócio atingiu R$ 70,7 bilhões em março/14, um aumento de 42,5% em relação a março/13. Para os três primeiros meses do ano atingiu R$ 207,0 bilhões, 39,7% a mais que no mesmo período de 2013. Empréstimos rurais para pessoas físicas atingiram R$ 119,8 bilhões em março/14, 29,3% a mais que em mar/13. Para os três primeiros meses do ano, o crédito rural para pessoas físicas cresceu 29,1%, para R$ 354,0 bilhões. Empréstimos agrícolas concedidos pelo BNDES para o agronegócio, tanto empresarial quanto para pessoas físicas, atingiram R$ 37.5 bilhões, com crescimento de 25,1% em relação a março/13, e de 26,2 % nos primeiros três meses de 2014, para R$ 111,6 bilhões. 

Caso de vaca-louca – Na última semana de abril, as notícias de um caso de vaca louca (ou BSE, sigla em inglês para Encefalopatia Espongiforme Bovina) se espalharam pela mídia brasileira. No início de maio, um laboratório de referência em saúde animal confirmou o caso atípico de BSE. O caso poderá provocar novas preocupações, já que o Mato Grosso, onde o caso foi registrado, é o estado com maior produção de gado no Brasil. 

Clique aqui para ler o relatório original na íntegra.

Tags:
Por:
Fernanda Bellei
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário