Altas nos preços de produtos agrícolas atraem investidores e especuladores para as bolsas de commodities

Publicado em 08/05/2014 15:14 324 exibições

As altas recordes registradas este ano no preço de várias culturas agrícolas estão atraindo cada vez mais investidores e especuladores aos fundos de índice de bolsas dos Estados Unidos pela primeira vez desde 2010 .

Os investimentos em produtos negociados em bolsas de commodities agrícolas aumentaram em US$ 542,7 milhões, desde o final de 2013, e chegaram a US$ 2,5 bilhões em 2 de maio, de acordo com informações da agência de notícias Bloomberg.  Esta alta de 27%, desde o dia 31 de dezembro, foi registrada depois de 3 anos seguidos de declínio nos investimentos. O clima seco e a escassez de oferta fazem com que investidores apostem que os rallies irão continuar.   

Os fundos de hedge aumentaram suas apostas altistas em cinco vezes apenas este ano, impulsionados por notícias de queda na produção brasileira de café, açúcar e soja e redução do rebanho bovino e suíno nos Estados Unidos, que elevaram os preços de alimentos a níveis recordes. Os preços mundiais de alimentos alcançaram o nível mais em 10 meses em março, além disso, os consumidores norte-americanos estão enfrentando a maior taxa de inflação de alimentos desde 2011.   

Altas no café e carne suína
A matéria da Reuters cita o café como a commodity agrícola que registrou as maiores altas este ano, subindo 83% e atingindo o maior preço em 26 meses no dia 23 de abril. A seca no Brasil, o maior produtor e exportador mundial de café, é apresentada como o principal motivo das altas. 

A carne suína vem logo em seguida, por ter registrado alta de 44% na Bolsa de Chicago depois que um surto do vírus da diarréia epidêmica suína (PED, na sigla em inglês) se espalhou por 29 estados produtores dos Estados Unidos, matando parte dos rebanhos. A produção de suínos poderá cair até 8% no terceiro trimestre deste ano, estimulando altas nos preços de até 25% por cento, de acordo com Howard Hill, presidente do Conselho Nacional de Produtores de Suínos dos EUA.

“Eventos transitórios” causaram as altas
Alguns analistas defendem que o rally nos preços das commodities agrícolas não deve durar muito tempo. Muitos dos ganhos deste ano foram baseados em "eventos transitórios", segundo Jeffrey Currie, diretor de pesquisa em commodities do grupo Goldman, em Nova Iorque. O clima e as tensões na Ucrânia, um dos maiores produtores de milho e de trigo, impulsionaram os preços. Currie prevê quedas nos preços no futuro, ao menos que novos eventos desfavoráveis para a produção de alimentos ocorram, como novas secas ou outras intempéries causadas pelo fenômeno El Niño, que é previsto para o segundo semestre em diversas partes do planeta. 

Informações: Bloomberg

Tags:
Por:
Fernanda Bellei
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário