Nota de repúdio da Associtrus ao samba da Imperatriz

Publicado em 12/01/2017 13:48
114 exibições

A Associtrus (Associação Brasileira de Citricultores) repudia o samba-enredo da Escola Imperatriz Leopoldinense para o Desfile de Carnaval de 2017. 

A escola, que apresentará ao público o tema "Xingu - O clamor que vem da floresta", irá retratar uma realidade distorcida do agronegócio brasileiro, responsável por 22% do PIB nacional e gerador 37% dos empregos no país, mantendo sua pujança mesmo em anos difíceis e de crise econômica como o que vemos vivendo. A citricultura brasileira gera cerca de 300 mil empregos diretos e indiretos no país. 

O cenário apresentado pela Imperatriz Leopoldinese será composto por alas que atribuem à agricultura a responsabilidade por práticas agrícolas que degradam o meio ambiente, descrevendo o produtor brasileiro como devorador de matas e rios, ladrão de terras e ambicioso. 

A Associtrus reitera seu apoio às manifestações artísticas e culturais do Brasil mas não concorda com a forma como a Escola irá representar o agronegócio, levando ao público uma visão distorcida da realidade. Chamamos a atenção de nossos associados e do povo brasileiro para a importância do produtor rural, sem os quais, não haveria alimentos nem distribuição de renda em grande parte dos municípios brasileiros, onde o agronegócio possui grande representatividade econômica e social. "É um absurdo alguém duvidar da importância do homem do campo para o Brasil. Os citricultores brasileiros são os que mais cuidam das matas, dos rios e terras deste país. Estamos indignados com esta atitude antipatriótica e totalmente distorcida da realidade da Imperatriz Leopoldinense", diz o presidente do Conselho da Associtrus, Renato Queiroz. 

O Brasil é o maior produtor de suco de laranja do mundo, alimento presente em milhares de lares e que fornece nutrientes essenciais ao organismo como vitamina C, ácido fólico, cálcio, potássio, magnésio, fósforo e ferro. 

O suco de laranja é o terceiro produto na pauta de exportação do agronegócio paulista. Os sucos geraram US$ 1,39 bilhão – dos quais 97,9% são referentes ao suco de laranja –, ficando atrás apenas dos produtos do complexo sucroalcooleiro (US$ 5,82 bilhões) e das carnes (US$ 1,50 bilhão, em que a carne bovina respondeu por 79,5%), e ficando à frente dos produtos do complexo soja (US$ 1,33 bilhão) e produtos florestais (US$ 1,15 bilhão). Esses cinco agregados representaram 81,4% das vendas externas do agronegócio paulista. 

O Brasil também é o maior produtor mundial de grãos e carnes, alimentos em os quais seria impossível a sobrevivência. 

Cientes da responsabilidade com que nossos associados, citricultores, conduzem seus pomares, buscando sempre uma produção sustentável, a Associtrus reforça o compromisso de exercer seu papel de disseminar as práticas sustentáveis e, assim, garantir o futuro da citricultura e do agronegócio brasileiros. 

Lamentamos a condução do Samba enredo pela Imperatriz Leopoldinense e esperamos que seja revisto. 

Flávio de Carvalho Pinto Viegas 

Presidente

Tags:
Fonte: Associtrus

0 comentário