Guerra das águas em Correntina: Igreja acusa agro de destruição e ganância

Publicado em 07/11/2017 16:29 e atualizado em 09/11/2017 11:10
9889 exibições

LOGO nalogo

A invasão e a violência ocorridas na fazenda da empresa agrícola Igarashi, em Correntina, região oeste da Bahia, foi matéria-prima para uma nota ideológica e de clara manifestação pela luta de classes divulgada nesta terça-feira (7), por entidades de esquerda da região.. Liderados por padres, o manifesto envolve 10 entidades, entre elas o MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra), a Comissão Pastoral da Terra (CPt/BA), a Pastoral do Meio Ambiente (PMA - Diocese de Bom Jesus da Lapa) e carrega a mensagem "O AGRO É DESTRUIÇÃO".

A nota traz ainda a convocação da população para uma manifestação no próximo sábado, dia 11, com todos vestidos de preto. 

O texto do MST/CPT tenta minimizar as invasões acontecidas no dia 2 de novembro último, alegando que as destruições  "TERIAM" ocorrido (??!!), acrescentando ainda que "a mídia está a noticiar" (tentando passar conotação de invencionisse, mesmo com imagens documentando a destruição e a selvageria circulando pela internet desde 5a.-feira passada)...

A invasão teve participação de mais de 500 pessoas e a polícia da Bahia já investiga a ação para identificar quem a cometeu e, mais do que isso, que a financiou e comandou. Na ocasião, os prejuízos causados à Fazenda Igarashi superam R$ 60 milhões, além de ferimentos em funcionários da empresa de alimentos. 

ilhões

Também nesta terça-feira, representantes de cinco associações de produtores rurais do estado foram a Salvador para uma reunião com o governador, Rui Costa (PT), pleiteando rigor nas investigações e solicitando aumento e intensificação no policionamento na região. O governador Rui Costa, diz estar acompanhando de perto a situação; --

 “Imediatamente mandei a polícia ir ao local, e ao chegar lá encontraram um bando. Eu digo um bando porque ninguém ainda se posicionou como movimento social”. As declarações foram feitas no programa Linha de Frente, do portal Aratu Online. 

No link abaixo, veja a íntegra do depoimento de Rui Costa:

>> “Quero identificar quem patrocina os bandos destruindo fazendas no oeste da Bahia”, diz governador Rui Costa

Em entrevista à rede Globo, o secretário de Segurança Pública do estado, Maurício Barbosa, afirma ter conhecimento de que alguns pequenos agricultores estariam insatisfeitos com o uso da água na região - uma vez que a discussão se dá em torno da irrigação com recursos, entre outros, do rio Arrojado, um dos mais importantes da região - porém, que isso não justifica o ato cometido no último dia 2. 

"Um dos objetivos da investigação é, exatamente, tentar identificar quem são as pessoas que financiaram isso. Até porque a mobilização de 500 a 600 pessoa demanda um custo, toda uma logística de mobilização, e esse é um dos pontos que nós vamos atacar", diz Maurício Barbosa, secretário de Segurança Pública do estado. 

>> Polícia investiga atos de vandalismo em fazenda na Bahia

A seguir, veja o manifesto de convocação da população contra as investigações:

"POVO DE CORRENTINA E REGIAO

Estamos sendo tratados como TERRORISTAS pelo GOVERNADOR E DEPUTADOS aos quais confiamos os nossos votos. PRECISAMOS IR PARA AS RUAS, as milhares de pessoas, união nessa hora. O AGRO NÃO É POP, o AGRO É DESTRUIÇÃO.
Salve os NOSSOS RIOS!

VENHAM PARA AS RUAS, GOVERNO NÃO PODE OPRIMIR O POVO. SE CHEGOU ISSO FOI POR DESCASO.

Vista se de preto, façam seus cartazes de repúdio a estes Deputados e Governador. 

A FORÇA DO POVO SEMPRE VENCERÁ

O dia foi mudado para o SÁBADO DIA 11 as 07:00 hrs em frente o museu.
Vista se de preto e venham para as ruas.

Cansado do descaso das autoridades, o povo de Correntina reage em defesa das águas

A mídia está a noticiar que na manhã de quinta-feira, 02/11/2017, feriado de Finados, houve manifestação de populares nas Fazendas Igarashi e Curitiba, no distrito de Rosário, município de Correntina. Segundo imagens e áudios que circulam pela Internet, estas fazendas teriam sido invadidas e parte de suas máquinas, instalações e pivôs quebrados e incendiados, e que os autores destas ações são populares de Correntina. Segundo os relatos participaram da ação entre 500 a 1.000 pessoas.

O Oeste da Bahia tem se destacado como produtor de grãos para exportação, referência para o agronegócio nacional, cada vez mais de interesse internacional. Está inserido no MATOPIBA – projeto governamental de incentivo a esta produção nos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia – atual fronteira agrícola brasileira, onde estão localizados os últimos remanescentes de Cerrado no Brasil. É nesta região onde se encontram os rios Carinhanha, Corrente e Grande, suas nascentes, subafluentes e afluentes, principais contribuintes com as águas do rio São Francisco na Bahia, responsáveis por até 90% de suas águas no período seco. São estas águas que abastecem milhares de comunidades rurais e centenas de municípios baianos e dos outros estados do Submédio e Baixo São Francisco.

Os conflitos causados pela invasão da agropecuária, desde os anos 1970, no que eram os territórios tradicionais das comunidades que habitam o Cerrado, têm sido pauta de uma intensa discussão, e de dezenas de audiências públicas. A gravidade destes conflitos é de conhecimento regional, estadual, nacional e até internacional. Contudo, ao longo de décadas o agronegócio nunca assumiu a responsabilidade por sua nefasta atuação, alicerçada num tripé que tem como eixos centrais: a invasão de terras públicas por meio da grilagem e da pistolagem; o uso de dinheiro público para implantação de megaestruturas e de monoculturas de grãos e pecuária bovina; o uso irresponsável dos bens naturais, bens comuns, com impactos irreversíveis sobre o ambiente, em especial, sobre a água e a biodiversidade, além de imensuráveis impactos sociais.

A ação do povo de Correntina não é de agora. Assistindo à sequência de morte de suas águas essenciais, diante do silêncio das autoridades, ações do tipo e outras vêm sendo feitas há mais tempo. Em 2000, populares entupiram um canal que pretendia desviar as águas do mesmo rio Arrojado agora ameaçado pelas fazendas no distrito de Rosário. O canto fúnebre das “Alimentadeiras de Alma”, antiga tradição religiosa de rezar pelos mortos, passou a ser realizado para chamar a atenção para a morte das nascentes e rios às centenas na região. Romarias com milhares de pessoas vêm sendo feitas nos últimos anos em cidades da região em protesto contra a destruição dos Cerrados.

As ações do agronegócio possuem a chancela do Estado baiano e brasileiro, que age como incentivador e promotor, é insuficiente ou omisso nas fiscalizações e tem sido conivente com a sua expansão por meio da concessão de outorgas hídricas e licenças ambientais para o desmatamento, algumas sem critérios bem definidos. Estes critérios que vêm passando por intensas flexibilizações com as mudanças radicais na legislação ambiental. O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA concedeu à Fazenda Igarashi, por meio da Portaria nº 9.159, de 27 de janeiro de 2015, o direito de retirar do rio Arrojado uma vazão de 182.203 m³/dia, durante 14 horas/dia, para a irrigação de 2.539,21 ha.

Este volume de água retirada equivale a mais de 106 milhões de litros diários, suficientes para abastecer por dia mais de 6,6 mil cisternas domésticas de 16.000 litros na região do Semiárido. Agrava-se a situação ao se considerar a crise hídrica do rio São Francisco, quando neste momento a barragem de Sobradinho, considerada o “coração artificial” do Rio, encontra-se com o volume útil de 2,84 %. A água consumida pela população de Correntina aproximadamente 3 milhões de litros por dia, equivale a apenas 2,8% da vazão retirada pela referida fazenda do rio Arrojado.

Alegar que as áreas irrigadas no Oeste da Bahia representam apenas 8% da região, ou seja, 160 mil hectares num universo de 2,2 milhões de hectares, não minimiza seus impactos. Megaempreendimentos e suas obras de infraestrutura em plena construção com vistas à expansão das áreas irrigadas determinam uma rota de cada vez maior devastação. Alguns exemplos: Fazenda Santa Colomba, em Côcos, Fazendas Dileta; Celeiro e Piratini, em Jaborandi; Fazendas Sudotex, Santa Maria e Igarashi, em Correntina. Algumas destas fazendas estão construindo centenas de quilômetros de canais, dezenas de reservatórios (piscinões), perfuração de centenas de poços tubulares e instalação de centenas de pivôs. Quanta água está sendo comprometida com tudo isto? Se a irrigação não fosse uma tendência regional, como explicar tantos investimentos neste modelo de agricultura? Comitês e Planos de Bacia e outras medidas no campo institucional, antes promovem esta rota insana, do que preservam os bens comuns da vida, hoje e de amanhã.

A ganância do agronegócio e as conveniências dos que representam o Estado são os responsáveis pelo desespero do povo. Não há ciência no mundo que possa estimar um valor monetário para o rio Arrojado, e isso o povo de Correntina parece compreender bem. Os próceres do agronegócio agem com hipocrisia e continuam se negando a assumir o passivo socioambiental existente no Oeste Baiano. Não resistem a uma mínima comparação com o modo de produzir dos pequenos e médios agricultores, que fornecem os alimentos diversos que a população consome com impactos infinitamente menores e muito mais cuidados de preservação. Não há como evitar a pergunta: os equívocos dos processos para outorgas hídricas e licenciamentos ambientais e a falta de fiscalização eficiente dos órgãos responsáveis são garantias para a legalidade e legitimidade do agronegócio?

Diálogo com os representantes do agronegócio tem sido um simulacro de democracia e honestidade.  Na audiência pública havida em Jaborandi, no dia 27/10/2017, para discutir a questão das águas, outorgas e legislação ambiental, com interessados dos municípios de Jaborandi, Coribe e Correntina, populares foram impedidos de questionar a tese, na ocasião defendida por conhecido cientista aliado do agronegócio, de que não há relação entre a ação humana e as mudanças climáticas.

Flagrantes contradições do modelo de desenvolvimento regional são inúmeras e precisam ser evidenciadas. Por exemplo, a de que é muito maior a área preservada de Cerrado em relação à explorada. Omite-se que as áreas de Reserva Legal das fazendas do Oeste da Bahia estão sendo regularizadas por meio da “grilagem verde” sobre os territórios das comunidades tradicionais, e que a função ecológica cumprida pelas Áreas de Preservação Permanente – APPs, aos longo dos cursos d’água, nas áreas de descarga, são diferentes das funções ecológicas que cumprem os chapadões responsáveis pelo abastecimento do aquífero Urucuia, áreas de recarga, que já foram dizimadas pelo agronegócio.

A luta em defesa da vida mais uma vez é marcada pelo protagonismo popular de quem faz com as mãos a história e sabe que a água não é mercadoria, como quer convencionar o agronegócio, inclusive utilizando-se da Lei 9.433/1997, a “Lei das Águas”. As águas do rio Arrojado abastecem comunidades centenárias e não podem servir apenas aos interesses dos irrigantes como o grupo Igarashi, que chega à região com a má fama de ter que migrar da Chapada Diamantina, uma das regiões da Bahia que sofrem com a crise hídrica, em especial, na bacia do rio Paraguaçu, justamente por conta dos impactos de sua exploração. Os conflitos ambientais parecem não findar com o caso das fazendas deste grupo, pois esta é apenas uma fazenda num universo de inúmeras do Oeste da Bahia. Tudo indica, portanto, que o cansaço do povo frente ao arrojo do agronegócio e ao descaso das autoridades e a urgência da defesa da vida seja o argumento que impõe esta reação.

Deste modo e diante da notória crise hídrica, somada à irresponsabilidade arrogante do agronegócio e à incompetência do Estado, tal cenário coloca o povo em descrença e desespero, ao ver o rio Arrojado, base para sua convivência e modo de vida, com tamanhos sinais de morte, assim como inúmeros riachos, nascentes, veredas e rios da região. E, então, partem para alguma reação concreta, que chame a atenção dos responsáveis públicos e privados. Não há palavras para descrever o sentimento coletivo que tomou conta do povo de Correntina, que num ímpeto de defesa agiu para defender-se, pois sabe que se não mudar o modelo de “desenvolvimento”, baseado no agronegócio, estarão comprometidas as garantias de vida das populações atuais e futuras.

Novembro de 2017.

Comissão Pastoral da Terra – CPT/BA

Associação de Advogados/as de Trabalhadores/as Rurais da Bahia – AATR-BA

GeograFAR/UFBA

Articulação Estadual dos Fundos e Fechos de Pasto da Bahia

Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST

Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA

Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB

Movimento Estadual dos Acampados, Assentados e Quilombolas da Bahia – CETA

Pastoral da Juventude do Meio Popular – PJMP – Diocese de Bom Jesus da Lapa

Pastoral do Meio Ambiente – PMA – Diocese de Bom Jesus da Lapa".

Abaixo, o vídeo traz os manifestantes dentro do rio Corrente, que passa dentro da cidade de Correntina. 

Como é fácil notar, o rio não secou, não está com vazão reduzida, e nem deverá secar. Chove desde 1º de novembro no Oeste da Bahia e os acumulados já chegam a 70 mm. Mais 40 mm são esperados para as próximos horas. E a meteorologia indica mais precipitações chegando ao oeste da Bahia nas próximas semanas.

Logo, o que existe na região é a ideológica "guerra das águas" que invadiu Correntina e região do entorno de Luis Eduardo Magalhaes. Autoridades do setor de segurança temem que o movimento se alastre pelo País, devido à proximidade das eleições presidenciais. Pois, como fica claro no manifetos do CPT e MST, a esquerda está se reacendendo a luta de classes no campo, com nitido interesse de afetar a produção de alimentos e a recuperção economica do País (NA). 

mapa correntina e rio arrojado

Diante da destruição, a senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) também se pronunciou no plenário sobre o assunto. Veja a seguir. 

A reportagem do Notícias Agrícolas continuará ouvindo líderes do setor para que se posicionem a respeito do ocorrido, das manifestações e dos passos que serão dados daqui em diante. 

Tags:
Fonte: Notícias Agrícolas

16 comentários

  • armelindo corte dos reis Enagenheir Bel trão - PR

    O povo de Deus sempre foi um povo ordeiro dotados de bons princípios, veio a esse mundo para transformar em um mundo melhor! Já o outro veio para destruir o que outro fez! Seria melhor que nunca estivesse vindo!

    2
  • H Furuya tokyo - 00

    Sobre a manifestação em Correntina: O próprio local ocupado pelos manifestante mostra o nível de água numa situação mais que normal, faltando pouco para transbordar. Como sempre, são esquerdistas querendo mais um pretexto para não serem esquecidos, embora tudo não passe de um ato de burrice nada construtivo..., tão somente demonstração de mais destruição e ódio... Depois do estrago na Igarashi, tudo continua como se nada tivesse acontecido, ninguém é responsabilizado..., ou seja, foi apenas uma demonstração para satisfazer egos e fantasias de quem manobra a massa como fosse jogo de "vídeo game". Seus líderes não passam de bandidos covardes, irresponsaveis, metidos a intelectuais que se escondem atras da massa..., sentem-se heróis por ter tantas pessoas os seguindo, quando, na verdade, estão simplesmente descarregando suas frustrações e inveja -- como se pode observar na características das pessoas que participaram do ato de vandalismo. Inveja, somada à incompetência, sempre foi bomba perigosa que causou mais estrago na humanidade, mais do que qualquer bomba atômica. (https://m.youtube.com/watch?v=U1VoM1IRIKQ)

    1
  • Deocleciano Pentello Goiânia - GO

    Alguém aqui faz parte de algum comitê de bacia hidrográfica, ou é ligado a uma organização que participa como membro? São bons espaços para se debater esse assunto que é do interesse de todos nós..., fica a dica.

    0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Deocleciano Pentello, as pessoas que participam desses comitês e/ou organização, são da classe da sociedade que praticam da "esfola" da classe produtiva e, com certeza não se fazem presentes em ambientes "conservadores".

      0
  • Deocleciano Pentello Goiânia - GO

    Um alerta foi o que ocorreu em Correntina, mais que especialistas em agronegócio ou em movimentos sociais estamos precisando de especialista em mediação de conflitos, pois pelos comentários percebe-se que a turma aqui está com a faca na boca, pronta pra briga. Não tem pra onde correr, os Igarashi tiravam muita água do rio e isso é fato, emissão de outorga na Bahia nunca foi e não é transparente, em Goiás é assim também. Tem equívocos dos dois lados nesse episódio. Mas cada um vê só aquilo que quer, aí fica difícil, bem difícil.

    16
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Não Sr. Deoclesiano, equivoco só existe no crime de destruição de propriedade privada. Existe todo um aparato governamental para resolver problemas de outorga concedidas fora de parametros técnicos. Se tiravam muita água é por que tinham permissão para isso e não é admissivel que grupos comprometidos demagógica e ideologicamente queiram ditar regras do que pode ou não pode ser feito.

      1
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Rodrigo Polo Pires há muito tempo A POPULAÇÃO vem se manifestando, tentando chamar a atenção do Poder Publico e nada!

      1
    • ÉRICO BATISTA DA SILVASOLEDADE - RS

      Acho que a igreja deve se preocupar com a alma de seus fiéis, com a religião, e não se meter em problemas políticos, aí começa os problemas, que tal cobrar da igreja esta depredação e cadeia nos culpados, isto aí foi algo muito organizado, onde estava o governador do estado da Bahia quando se deu este fato, estava em CUBA, segundo a mídia, juntamente com o Sr. Jaques Wagner falando com o Raul Castro, aí tem coisa!!

      1
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      George Wanderley, existem formas mais inteligentes de resolver problemas. O acirramento de conflitos como forma de solução é uma imbecilidade. A CNBB tem os meios de resolver isso pacificamente, mas tem outros interesses.

      1
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Rodrigo, na pratica não é assim, sugiro o senhor conhecer como se dá o processo de emissão de outorga..., o que aconteceu em Correntina é um erro decorrente de outros. Estou à disposição caso queira debater de forma construtiva a questão da água, um conflito que só se resolve pelo entendimento, e inteligência.

      3
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Rodrigo Polo Pires sim existe outras formas de se resolver problemas, um ponto de concordância entre nós. Em nenhum momento eu falei que aprovava a forma como ocorreu as coisas. Agora não dá para pintar os grandes agricultores da região como santos e a população que tem se manifestado há tempos como "bandidos". Eu continuo afirmando que um movimento que era popular está se tornando um movimento político justamente por causa da omissão do Estado e da inflexibilidade dos Agricultores de grande porte. E o pior de tudo, eu vejo que isso só fortalece a galera da "esquerda" brasileira.

      0
  • Alexandre Carvalho Venda Nova do Imigrante - ES

    Se nos atermos apenas nas curtidas, em cada opinião abaixo, claramente podemos reconhecer os discursos retrógrados e démodé, da ultrapassada esquerda desse país. E o mais interessante é que, ao contrário das (suspeitas) urnas, o massacre do LIBERALISMO (no sentido do Estado interferir o mínimo possível na vida dos cidadãos) é muito evidente, uma vez que os iletrados (grande parte do povão deste país) não participam de debates e discussões, apenas de "manifestações" onde o que predomina é o quebra-quebra, a violência e rostos cobertos, querendo ganhar tudo no GRITO.

    4
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      As opções do "povão" são poucas amigo, pra quem não tem nada e está ficando até sem água, resta o grito.

      11
    • ALEXANDRE CARVALHOVENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES

      Não entendi sua linha de raciocínio, nobre amigo Deocleciano... "As opções do 'povão' são poucas...". Como assim, as "opções" são poucas? Esses indivíduos (marginais), por acaso, encontram-se encarcerados, com seus direitos de ir e vir, cerceados? Ou será que, quem tem poucas opções, são os proprietários das terras, que nem direito de defender seu patrimônio tiveram? Por acaso a água do Arrojado terminava na propriedade dos Igarashi, por estarem consumindo toda água dele? Por acaso quando se irriga uma plantação, faz-se isso por 24 horas por dia, nos 365/366 dias do ano? Por acaso, quando estamos insatisfeitos com algo, só porque não somos ricos como os Igarashi, temos um direito Constitucional de sair quebrando tudo que, indireta ou diretamente, supostamente nos afeta? Por acaso eu (assim como milhares) que estou insatisfeitíssimo com a solução que estão dando tanto para o impasse do Funrural quanto para seu passivo, por não ter outra opção, a não ser cumprir o que for determinado, gozo de plenos direitos de me deslocar para qualquer prédio da Receita Federal e jogar uma bomba ou gasolina para explodir tudo lá dentro? Por acaso, as pessoas menos abastadas, quando perdem parte ou todo o seu patrimônio, são dignas de pena e de grandes mobilizações para ajudá-las, mas quando são ricas, não merecem a mesma solidariedade da nossa parte, só porque (supostamente) têm como repor aquilo que foi perdido com grande facilidade? Por acaso o senhor parou pra pensar que alguém muito interessado em usar essa "mão de obra" barata, como verdadeiros soldados, e com condições de financiar tamanha mobilização (mais de 500 pessoas!) foi capaz de fretar mais de 10 ônibus só para levar essas pessoas para quebrarem tudo lá? O senhor fala, num outro comentário seu, "estamos precisando de especialista em mediação de conflitos" - pois o senhor deve estar vislumbrando algo de pior acontecendo - mas praticamente concorda com os atos criminosos (criminosos sim! Concorde ou não, são criminosos!) praticados por marginais com total apoio de entidades e associações com ideologias do Marxismo-leninismo. Vejo, portanto, uma visão um tanto ou quanto parcial, por parte de V.Sª. Corrija-me, se eu estiver errado.

      0
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Alexandre, se não houver reconhecimento dos erros de ambos os lados não vejo um futuro promissor. Ambos acham que estão certos. E aí? O desafio é buscar formas de entendimento, não vejo outro caminho, ou a violência vai prevalecer e isso me preocupa, pois tenho filhos pequenos. Nos meus comentários não fiz juízo de valor, digo que os Igarashi tão certos da ótica deles, os ribeirinhos estão certos na ótica deles, e aí, quem tá certo?

      1
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Mediar conflito é uma habilidade em falta, e extremamente necessária atualmente..., se o que a gente faz é jogar gasolina na fogueira, somos apenas parte do problema, não estamos contribuindo na solução.

      3
    • ALEXANDRE CARVALHOVENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES

      Sr. Deocleciano, continuo sem entender V.Sª. O velho ditado é claro: "um erro jamais justificará outro". O caminho dos "supostos" ribeirinhos teria que ser a Justiça, se eles estavam se sentindo injustiçados ou prejudicados. O que, talvez, o Sr. não se atentou é que alguém (PF ou PJ), com recursos, FINANCIOU tais crimes. Portanto, os "ribeirinhos" perderam completamente uma "razão" que, porventura, ainda tinham. Essa guerra tem interesses escusos e V.Sª ainda não se atentou para isso. Pode tentar encontrar um mediador para "conversar" COM os "ribeirinhos" pois, até onde sei, nenhum dos grandes proprietários rurais de Correntina expulsou tais moradores de lá, à bala. Aquelas terras foram compradas de forma HONESTA; e, provavelmente, desses mesmos "ribeirinhos" que viram uma chance de embolsar uma bela grana.

      0
    • ARMANDO AYRES DE ARAUJOPOSSE - GO

      A verdadeira degradação dos rios ocorre nas regiões habitadas pelos ribeirinhos, onde não há manutenção de mata ciliar e , na maioria dos casos, nem de reserva legal. Canais são abertos para "puxar água dos rios" sem nenhuma técnica ou cuidado ambiental. É tão simples a verificação disso - os rios e riachos estão "morrendo" nos gerais ou no vale? Onde se encontra água barrenta nos rios - no gerais ou no vale. Se não têm tempo para ir a campo e constatar o que estou dizendo abram o Google Earth e "naveguem" sobre o Rio Arrojado e outros.

      0
  • armelindo corte dos reis Enagenheir Bel trão - PR

    Igreja nenhuma se preocupa em produzir, e sim arrecadar..., no passado vendiam " indulgencia" ... é como se fosse hoje a tão praticada venda de sentença!

    4
    • HEBER MARIMKATUETE - PY - PI

      Na minha opinião, a igreja tem que se preocupar com a vida eterna... Com assuntos políticos e econômicos deixa pros encarregados... Todas as vezes que tenta misturar não dá liga...

      1
  • Luiz de Santana Junior Aracaju - SE

    Esses esquerdopatas e idiotas ambientalistas estão a serviço de quem? Mas nós temos a ilustre senadora ANA AMÉLIA e vários outros lá em Brasília!!!..., parabéns senadora!; não sei por que seu nome não é ventilado para o mais alto grau da República.

    3
  • George Wanderley Barreiras - BA

    Esse realmente é um site tendencioso! Os pequenos agricultores corresponde por 70% dos alimentos dispostos no mercado interno, boa parte dos alimentos da mesa dos brasileiros é oriunda destes pequenos agricultores. Inclusive a maioria deles tem que produzir a própria ração para seus animais. Esses agricultores quase sempre são desprovidos de recursos tecnológicos (máquinas agrícolas, ordenha mecânica e insumos agrícolas) e técnicos (suporte técnico de um profissional como, por exemplo, um agrônomo), desse modo, individualmente apresentam níveis baixos de produtividade, mas na totalidade são os maiores responsáveis pela inserção de produtos alimentícios na nossa mesa. E isso é lógico pois o grande agricultor, as grandes propriedades, produzem visando o mercado externo. Sem contar que estes grandes cultivam monoculturas que geralmente não fazem parte diretamente da base alimentar do brasileiro, como a soja, milho, sorgo, algodão, entre outros. Acredito que aqui tão abordando o assunto pela perspectiva de quem explora e pior de quem tá depredando o mundo sem se preocupar com as demais pessoas, desde que encham seus bolsos.

    53
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      George, você já ouviu falar em índole?... Pois é, por que raios então vocês não praticam essas ações afirmativas de que vocês tanto falam, em vez de chegar em barracos de gente miserável, apontar para os filhos deles e dizer: "Essas crianças morrerão de sede pois os fazendeiros vão acabar com o rio"! Ficam reclamando e falando em sustentabilidade ecológica, não pode desmatar, não pode usar a água, e pensam poder ajudar os pobre como? Somente individuos de má indole para fazer uma coisa dessas..., falar que aos pobres que seus negócios não precisam de sustentabilidade economica, que é preciso cuidar de outras coisas e que o dinheiro cairá do céu. Vocês pensam que uma situação de pobreza como a dessa região pode ser mudada de uma hora para outra como num passe de mágica..., pensam, mas sabem que é impossivel... então praticam o mais abjeto proselitismo politico.... No minimo é preciso uma geração só para capacitar essas pessoas, e mais algumas para enriquece-la. Mas, entendo, enquanto elas sonham, outros enriquecem de verdade às custas da pobreza que dizem combater.

      4
    • CARLOS WILLIAM NASCIMENTOCAMPO MOURÃO - PR

      George, pense antes de falar. Pesquise no Google pelo menos. Veja quanto o Brasil exporta de soja e milho e quanto é consumido aqui dentro. Quando a maconherada de esquerda fica com larica depois de fumar um baseado, eles gostam de comer um nuggets, um chips, um cachorro quente. O que você acha que o frango come? O que o suíno come? Ao contrário das mulas do PT, que vivem de lamber o saco do LULA, os bichos comem farelo de soja e milho moído. Se você acha que o pequeno agricultor não produz bem, venha visitar o Paraná , Santa Catarina , Rio Grande do Sul ou qualquer outro lugar onde o pequeno agricultor tenha vontade de trabalhar. Eles tem sim ordenha mecânica, trator, assistência. Tem juro barato para comprar tudo isso. Eles sobrevivem da atividade. Ao contrário desta praga de sem-terra, que são todos vagabundos, que vivem procurando uma teta do governo pra mamar. Estou de saco cheio de ler neste site uns comentários idiotas da petezada e não levam uma resposta para a sua ignorância. Vão falar abobrinha lá na Carta Capital, na Folha de São Paulo, no blog do Lula. Vão pra ponte que caiu e se não estiverem contentes, vão pra tomar uma passagem pra Cuba. Entendeu? Provavelmente não, pois pra petezada tem que desenhar...

      0
    • DIOGO SABIAOARAÇATUBA - SP

      ...Falou o que muitos leitores tinham vontade de falar...

      0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Senhor George, nao consegui entender a logica do seu raciocinio... Nao existe uma linha nitida de separaçao entre pequeno produtor e grande produtor... Varios grandes produtores hoje foram pequenos produtores no passado... Nao entendo onde a logica do seu pensamento quer chegar com essa divisao?... Me parece que você tem dor de cotovelo e inveja... A inveja queima o teu modo de viver... sai dessa.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      George você é um "papagaio replicador de mentiras" e, esse percentual de 70% dos alimentos produzidos para os brasileiros é mais delas. Não vou "desenhar", coloco esse site onde o "seu babalorixá" fala para seus "cumpanheiros" do Instituto Lula ... ASSISTA !!! ... https://www.youtube.com/watch?v=22zWep8cBh4

      0
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Rodrigo Polo Pires, só para esclarecer: não sou petista, não sou de esquerda, nem aprovo movimentos como MST ou parecidos. Outro esclarecimento: Pelo jeito você não conhece nossa região, uma região rica em recursos naturais e financeiros, somos responsáveis por 1/3 da arrecadação de todo o Estado da Bahia. Se você se esforçar e estudar um pouco você verá no mundo outros tantos modelos de produção menos agressivos do que os utilizados no Brasil e até mais rentáveis. Como em alguns lugares nos EUA onde se produz 10 vezes mais em áreas 10 vezes menores. Os grandes agricultores são como os grandes empresários não se importam em encher os bolsos com a exploração desumana alheia. Aqui na região é assim, muitos que vieram de fora estão ganhando muito dinheiro com a agricultura e ferrando nossa região, daqui a pouco vão explorar outro lugar e deixam só o entulho. Há tempos a população de Correntina tem se manifestado buscado o socorro do Estado contra a depredação dos rios da região, inclusive lá alguns já nem existe mais e um dos poucos pontos turísticos da cidade está ameaçado. Porém o Poder Público, como os grandes agricultores, usaram do descaso para com a população e agora tão sentido os efeitos da falta de opções dessas pessoas. Eu não concordo com a violência mas não ignoro que não sobra muitas opções para as pessoas aqui da região!

      17
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Carlos William Nascimento não vou nem te responder você tá totalmente fora da realidade dos pequenos agricultores.

      7
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Carlo Meloni não tenho a mínima inveja de pequeno ou grande agricultor ou qualquer outra coisa. Me considero bem sucedido naquilo que eu escolhi fazer. Mas, no caso a minha indignação é pela forma como tentaram marginalizar uma ação sem realmente levar em consideração a verdade dos fatos. Todo o contexto que envolve e tentando transformar os grandes exploradores da região como salvadores da pátria. Eu não tenho compromisso com o erro de ninguém!

      8
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Paulo Roberto Rensi é melhor você voltar para o cabo da enxada. São dados, são números reais, se você quer ficar no seu mundinho se iludindo azar seu, se filia no PT lá o pessoal parece que gosta disso, de gente iludida!

      9
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      George, você vai ter que viver outra vida se quiser estudar tudo que já estudei. E devia saber que uma fazenda de um grupo holandes que produz leite ai no oeste é a recordista mundial em produtividade de leite..., em nenhum outro lugar do mundo as técnicas de produção obtem resultados como no Oeste da Bahia... O oeste da Bahia é responsável por 1/3 do PIB da Bahia e não o municipio de Correntina, e a irrigação é um componente essencial para obtenção de altas produtividades. Voce alega que as pessoas não tem opção, mas que tipo de opção? Elas não conseguem produzir em pequenas propriedades? Elas não conseguem irrigar? Não tem capacitação para isso? Voce viu a água batendo no deck da cidade turistica?!!! Quem é que movimenta essa cidade afinal? Voce e mais meia duzia de bem sucedidos? Acho que não. Voce afirma que não existem bispos comunistas e eu digo que existem às pencas, e são eles os responsáveis pela idéia inculcada na cabeça dos pobres de que a causa da pobreza deles é a riqueza alheia. Dizem que um outro modelo é possivel mas não dizem qual. Aqui ninguém é contra os pequenos e mini produtores utilizarem tecnologia, desenvolvendo seus meios de produção de acordo com a capacidade de cada um deles, capacidades economicas, sociais e culturais. Mas não, para o bem de determinada classe politica é necessário dizer que a única opção de sobrevivencia é destruir a riqueza que outros criaram..., são estrangeiros em terra estranha, mas que foram aí para fazer o bem e não o mal. A maioria dos produtores rurais ainda não entendeu que é preciso, para os proclamadores de discursos demagógicos ideológicos, dar atenção ao que agentes politicos andam "plantando" na cabeça das pessoas pobres e humildes. Mas garanto a você, não vai demorar.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      É menos deletério manipular um cabo de enxada do que manipular "dados, números reais". Será a "sua" realidade condizente com a verdadeira realidade ? Sei que estou perdendo meu tempo, pois como você afirmou: ... Me considero bem sucedido naquilo que eu escolhi fazer. ... Você é um vencedor, inclusive no "jogo de xadrez", como "pombo enxadrista".

      0
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Rodrigo Polo Pires, quase morri de rir ao ler que terei que viver outra vida se quiser estudar tudo o que você estudou! Você não me conhece, você não tá debatendo com um analfabeto ou um semiletrado. Se formos tratar de títulos acadêmicos talvez você que vai ter que viver outra vida para me acompanhar no que tenho estudado. Em nenhum momento eu disse que Correntina era uma grande produtora, mas, ela integra o Oeste da Bahia como você mesmo citou. Quando eu escrevi "somos responsáveis" por 1/3 da arrecadação do Estado eu me referia ao Oeste da Bahia. Eu agora fico na dúvida se você não soube interpretar o que eu escrevi ou distorceu de forma voluntária. Você vem citar uma fazenda de um grupo de Holandeses que são recordistas em produção, eu poderia citar outros que são recordistas em produção em outros produtos, japoneses, portugueses, e etc., mas quem lucra com isso são eles a nossa região muito pouco. Já foi pior. A população está ficando sem água porque uma só fazenda da região conseguiu, sabe-se lá como, autorização para captar água de um rio num volume maior do que o consumido por uma cidade de quase quarenta mil habitantes. Ah, e sobre o vídeo com água batendo no deck você sabe onde fica, pelo que é descrito no vídeo, o local? Você não sabe! Você foi manipulado por uma imprensa que atende o interesse de um certo grupo. Que fique bem claro: não sou petista, não sou socialista, abomino a forma como a esquerda tem agido no Brasil, mas não posso fechar os olhos para uma realidade que já bate na minha porta! Não tenho nada contra os grandes produtores, conheço muitos, inclusive amigos (com quem tive a mesma conversa pessoalmente). Na minha família tenho irmã com formação em Engenharia Agronômica (sei que já mudaram o termo mas era assim que era denominado quando ela cursou), tenho contato com diversos colegas dessa área e boa parte deles dizem que há outros modelos, inclusive aqui na região já implantados. Porém, justamente porque tem muitos produtores aqui mancomunados com o Governo do Estado que a população não foi ouvida. E somente quando outros municípios começar a se manifestar também é que a situação poderá mudar, se não for tarde. Pena que pode ficar tudo a disposição do PT, que vai se beneficiar do desespero das pessoas e da omissão do Estado e dos Produtores.

      5
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Paulo Roberto Rensi, não manipulei nada! A questão é que você não tem em que se fundamentar aí tem que atuar como pombo enxadrista, apesar de ter me acusado disto você que se utilizou do recurso! Tipico petista!

      4
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      George Wanderley. Você não me conhece, você não tá debatendo com um analfabeto ou um semiletrado. Se você pensa que eu vou ter que viver outra vida para me livrar das doutrinas petista, está muito enganado..., na minha vida já passei por vários partidos, tenho muito conhecimento de como "as coisas funcionam". Aposto que você não sabe nem metade do que eu conheço, ou melhor nem 10% do que eu conheço. Só para orientá-lo esta matéria foi exibida em 10/12/2000 pela rede globo... Os "costumes" estavam sendo plantados ... ASSISTA ... https://www.youtube.com/watch?v=Db0-YFkD_c4

      0
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Ô Paulo Roberto Rensi e porque você acha que está debatendo com "um analfabeto ou um semiletrado?". Porque lhe garanto que não sou, seja por Títulos Acadêmicos ou por vivência. Como também já manifestei aqui: não sou petista ou esquerdista! E mais, não passei por vários partidos, o que para mim demonstra uma total inconstância. O vídeo que você "indicou" só confirma ou que tenho escrito aqui e mostra que o problema só vem se agravando, graças aos grandes produtores. Antes tentaram fazer um canal, hoje usam máquinas de porte industrial para retirar água dos rios. Esse fim de semana conversando com um dos fiscais de um dos órgãos ambientais aqui da região tive toda a confirmação dos abusos cometidos por grandes produtores inescrupulosos e que conveniência, política e/ou econômica, não permite que esses agentes de fiscalização exerçam sua atividade como deveria para inibir os abusos. Você continua com a mesma postura de pombo enxadrista.

      2
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Seu George, temos pontos de vista diferentes. Ninguem daqueles que ai estavam, conseguiu enxergar o caminho do sucesso e a forma de produzir a riqueza... todos são livres e desimpedidos para fazer o que quiser... Chega alguem de fora com visao e inteligencia e consegue criar riqueza onde a grande maioria nao conseguiu.. Aí e taxado de EXPLORADOR pelos demais, que nao passam de um bando de burros que assumem outras desculpas justamente para disfarçar a burrice... A democracia elogiada por todos nada mais e' do que um sistema onde a grande maioria burra e incompetente puxa ´para a vala comum as poucas pessoas de valor.

      0
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Carlos Meloni você tem razão quando afirma que temos pontos de vistas diferentes. Sei que você tem razão no seguinte: alguns daqueles que estavam aqui na região antes não enxergaram o caminho do sucesso e a forma de produzir riqueza. Mas há, também, aqueles que não tiveram condições financeiras de investir ou conhecimento para buscar os recursos necessários. Ainda há pessoas aqui assim. Eu não critico a pessoa ou grupo que veio de fora e soube se dá bem, mas, sim aqueles que tem feito isso a qualquer custo! Que não se preocupam com as pessoas da região, com o meio ambiente.

      0
  • Angelo Miquelão Filho Apucarana - PR

    O negócio é deixar esta gente passar fome! Como se já não nos bastasse a perseguição dos idiotas ambientalistas , agora vem estes padres se ajuntarem ao coro contra a agricultura. Já ouvi esquerdopatas dizerem que quem alimenta a nação é a agricultura familiar... Me perdoem, mas vocês não sabem o que falam, são perfeitos idiotas, são ignorantes ao extremo!
    Não estou diminuindo a importância da agricultura familiar, ma também não da para pregar tamanha mentira como se verdade fosse. Hoje em dia, mais de de oitenta por cento das rações destinadas a criação de animais, tem em sua composição o soja e o milho, assim sendo, não da para aceitar a falácia destes ignorantes. Então soja é; ração animal, óleo para consumo humano, papinhas para crianças, está no leite, no frango, na carne de boi, no biodiesel que movimenta tratores e caminhões, está em tudo o que se consome... E ai, o que os senhores comem? A agricultura é a mais importante atividade em qualquer país que a respeite e a leve a sério, mas aqui parece ser uma organização criminosa, é tratada como tal! Somos diariamente perseguidos, somos vistos como destruidores do meio ambiente, somos considerados envenenadores da nação. Uma hora a casa cai, um dia a barriga vai doer, e neste dia não haverá remédio, haverá choro e fome, e os perseguidores idiotas estarão com a mãos sujas, pois colaboram a todo tempo para a morte da atividade! Impostos, juros, descaso, falta de política agrícola, falta de gestores que conheçam a realidade do campo emperra e contribuem para o enfraquecimento de quem produz tudo o que se come. Quantas vezes ao dia você precisa do agricultor, já fez as contas? Desde o momento que acordamos, todos nós precisamos de quem planta; no café da manhã, no almoço, no chá da tarde, na cerveja do fim do expediente, no jantar, na hora de vestir-se, de dormir etc... E quantas vezes por dia você precisa de um advogado, de um político, de um médico, de um padre, de um ambientalista, quantas vezes? Então deixe de ser idiota, abra os olhos e defenda quem te possibilita continuar vivo! Os idiotas, apenas estes viram o cocho que comem, são como porcos, defecam onde se alimentam... Assim é o Brasil dos brasileiros ignorantes e insensatos!

    2
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Não sei se tu sabe mas os pequenos agricultores corresponde por 70% dos alimentos dispostos no mercado interno, boa parte dos alimentos da mesa dos brasileiros é oriunda destes pequenos agricultores. Inclusive a maioria deles tem que produzir a própria ração para seus animais. Esses agricultores quase sempre são desprovidos de recursos tecnológicos (máquinas agrícolas, ordenha mecânica e insumos agrícolas) e técnicos (suporte técnico de um profissional como, por exemplo, um agrônomo), desse modo, individualmente apresentam níveis baixos de produtividade, mas na totalidade são os maiores responsáveis pela inserção de produtos alimentícios na nossa mesa. E isso é lógico pois o grande agricultor, as grandes propriedades, produzem visando o mercado externo. Sem contar que estes grandes cultivam monoculturas que geralmente não fazem parte diretamente da base alimentar do brasileiro, como a soja, milho, sorgo, algodão, entre outros. Acredito que você tá analisando o assunto pela perspectiva de quem explora e pior de quem tá depredando o mundo sem se preocupar com as demais pessoas, desde que encham seus bolsos.

      26
    • ANGELO MIQUELÃO FILHOAPUCARANA - PR

      Caro George Wanderley, A soja, o milho, o sorgo, trigo, aveia branca ou preta, todas são fontes de alimentos, todas estão a todo tempo na mesa de cada um de nós! Não depredo o meio em que vivo, isso seria suicídio, afinal vivo nele, sou parte do mesmo e preciso da sua continuidade para produzir e assim por o pão na mesa. Em momento algum rebaixei o valor da agricultura familiar, ela tem seu valor sim, e é expressivo, mas só ela não conseguiria atender a demanda do país e muito menos a do mundo! Não estamos aqui para separar, mas para nos unirmos em busca de uma saída para todos, grande ou pequeno, a situação é a mesma para ambos. Para seu conhecimento, não sou grande produtor, ao contrário, também sou pequeno, mas me solidarizo como todos, e não aceito nada menos que reconhecimento e respeito pela classe, na qual você está incluso, se é que é agricultor também! Ademais, estamos todos no mesmo barco, num barco furado e rodeados de tubarões prontos a nos devorar... Um abraço!

      0
    • GEORGE WANDERLEYBARREIRAS - BA

      Ângelo Miquelão Filho, concordo contigo! Entretanto A POPULAÇÃO, especialmente de Correntina (que já tem presenciado rios desaparecer), vem tentando chamar a atenção do Poder Publico há muito tempo e vem sendo ignorados pois o poder econômico tem prevalecido. E quando não se tem mais a quem recorrer o que resta é a força. Não concordo com a violência, mas essa é a realidade. Imagine uma só fazenda retira do rio mais água do que um município de quase 40 mil habitantes, no mesmo período.

      4
  • Alexandre Carvalho Venda Nova do Imigrante - ES

    A média nacional de sacas de feijão/ha não atinge nem perto de 40 sacas/ha. Com toda a tecnologia empregada mais a irrigação, a fazenda do Grupo Igarashi espera colher a média de 50 sacas/ha. E ainda tem esquerdopata dizendo que bom é a Agricultura Familiar... que é ELA quem gera empregos... que é ELA quem preserva o meio ambiente e as águas... que é ELA quem produz ALIMENTOS! Ah, me poupe!

    2
  • Juarez Melo Filho Rondonópolis - MT

    Tem que parar de dar dinheiro pra Igreja, se é pra financiar bandido. Padres quando precisam correm atras dos agricultores pra arrecadar......tinha que criar um movimento anti doação pra igreja. desocupados.

    3
  • LEANDRO MUNARETTO GRANELLA Getúlio Vargas - RS

    Independente do mérito, a ação é condenável em todos os aspectos..., que a Igreja peça dinheiro a estes vândalos na hora de construir os templos e basílicas... o pessoal do Projaquistão vai aplaudir..., se manifestem Globais e turma do Caetano Veloso..

    4
  • ari couto bonfim - CE

    Além dos nossos problemas históricos, como a pornográfica distribuição de renda, riqueza e serviços, dois outros impedem que cheguemos a ser uma democracia de fato (governo DO, PARA e PELO povo): a imprensa, na forma que existe entre nós, mentindo, omitindo e deturpando, e a religião, hoje um balcão de negócios.
    Felizmente porém, uma parte da igreja católica, tendo à frente o Papa Francisco, mantem-se fiel a suas origens participando e apoiano a luta dos mais fracos e oprimidos.
    O latifúndio, ao longo da história, matou e escravizou milhões de índios e negros (e pelo visto quer continuar fazendo), destrói o meio ambiente, envenena o solo e as nascentes, é extremamente concentrador de renda e riqueza, praticamente não produz alimentos (falo do latifúndio e não da agricultura familiar), quase não gera empregos (de novo, quem gera é a agricultura familiar) e, o que talvez seja pior, mantem uma bancada no congresso das mais conservadoras que, nos últimos anos, posicionou-se contra toda e qualquer ação afirmativa em favor dos mais fracos e teve atuação marcante no golpe. Recentemente foi fator fundamental para impedir o avanço das investigações contra o quadrilhão, como diz a PF, além de tentar impor o trabalho escravo e sangrar o tesouro com bilhões e bilhões de benesses para o setor em detrimento de outras áreas extremamente carentes do país. Enfim, os ricos cada vez mais ricos e os pobres que se danem
    Na sua ganância, não se conforma com o que tem e ainda tenta impedir os processos dos quilombolas e procura tomar as terras do povos indígenas. Após o golpe, aumentaram significativamente os conflitos no campo, com mortes inclusive praticadas pela polícia.
    Parabens à Pastoral da Terra e demais movimentos que assinam a nota. Vocês são muito importantes neste momento em que o país está sendo destruído, seu patrimônio vendido na bacia das almas e o povo tendo seus direitos e conquistas anulados pela ganância de uma elite egoísta ao extremo

    95
    • CARLOS WILLIAM NASCIMENTOCAMPO MOURÃO - PR

      Pastoral da Terra, do índio, são o excremento do mundo. Covil de pseudo pastores que acreditam que Cristo era comunista. Canalhas enrustidos e projetos de ditadores disfarçados de homens de Deus. Que ardam no mármore do inferno.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Ari Couto, lendo o seu comentário, chego à conclusão que existem pessoas diferentes. Parabéns, você mostrou em poucas linhas que existem "cabeças" muuuiiito diferentes. Obrigado mesmo, pois vejo que sou diferente de você.

      0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Um medico cirurgiao nao pode ganhar a mesma coisa de um analfabeta servente de pedreiro---- Se todos ganhassem iguais ninguem se esforçaria para nada--- A pessoa que trabalha duro nao pode ganhar a mesma coisa de um bebum que passa sua vida no bar---NAO SOMOS TODOS IGUAIS--- A RENDA NAO SE DISTRIBUI,,, A RENDA SE GANHA-----QUEM NAO TEM ORGULHO PROPRIO PEDE ESMOLA, INCLUINDO A IGREJA QUE VIVE AS CUSTAS DO TRABALHO DOS OUTROS--

      2
    • ODAYR FLÁVIO TEIXEIRACARMO DA CACHOEIRA - MG

      Tenho somente um comentário a fazer ao Sr. ARI COUTO. Caso haja redução na produção de alimentos, ninguém neste pais sabe o que é PASSAR FOME !! Portanto Sr. ARI o Sr. é o maior IMBECIL, que eu já conheci. O Sr. teve uma ótima oportunidade de ficar calado, mas não a aproveitou.

      1
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Eis aí a estória contada pelos livros do MEC, mas a história verdadeira do Brasil não é essa. Se fosse responder adequadamente a cada uma das acusações certamente levaria um dia inteiro, não tenho todo esse tempo, mas posso esclarecer os leitores que a CNBB não tem nenhuma autoridade na hierarquia da Igreja Católica. Ela é um "poder paralelo" formado por bispos comunistas sob as vistas grossas do Vaticano.O MST é apoiado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), órgão da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), vinculado à Comissão Episcopal para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz e nascido em 22 de junho de 1975, durante o Encontro de Pastoral da Amazônia, convocado pela CNBB e realizado em Goiânia (GO). Toda essa ladainha publicada nesse comentário do Ari Couto foi pensada e redigida pela CNBB, basta que analisem os discursos dos bispos ligados a essa ala politica esquerdista que com força tenta se infiltrar na Igreja Católica. Eles dizem estar baseados na Doutrina Social da Igreja mas isso é só enganação, sou partidário dessa doutrina e sei que ela é exatamente o contrário do que pregam os bispos comunistas. Por espirito partidário chegam a desprezar um dos mandamentos de Deus, "Não cobiçarás as coisas alheias". A cobiça e não o egoismo é um pecado srs. revolucionários.

      5
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      "Olhando para a conjuntura que estamos atravessando, cada vez, vou me convencendo mais de que talvez nós tínhamos que dar um passo a mais: em vez de discutirmos reforma, talvez começarmos a discutir REVOLUÇÃO. Não há caminho para fazer as mudanças necessárias, fazer nosso ajuste de contas por caminhos de reformas. Todas as reformas têm um limite, tem um limite para a gente avançar. No fundo, no fundo, o que nós queremos é uma superação do sistema". (Trecho do discurso do representante do MST).

      18
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      "Nós temos de tomar juízo, vergonha na cara, e nos dedicarmos a esta coleta de assinaturas. Por que eu digo isto? Porque, na verdade, nós não estamos querendo só a reforma política. A reforma política vai dar margem para a reforma tributária, vai dar margem para outras reformas necessárias para repartir. Porque, até então, nesses 12 primeiros anos de governo popular no Brasil, nós tivemos avanços importantes acontecendo, mas só que nós chegamos ao limite, e hoje nós temos que distribuir a riqueza que a classe trabalhadora produz nesse nosso país. Agora, a gente só distribui a riqueza com reforma tributária. Não dá mais para frcar apenas com os importantíssimos programas sociais que existem: o povo quer mais, e quer avançar para uma economia mais igualitária. Agora, para isso, precisa reformar o sistema político brasileiro". (Trecho do discurso de Daniel Seidel, secretário da CNBB).

      20
    • ARI COUTOBONFIM - CE

      RODRIGO POLO PIRES, vc distorce o a questão. A igreja, como todas as instituições de certo porte, tem várias vertentes. De um lado, a que chamo igreja ópio do povo, ligada à renovação carismática, resultado da gestão de João Paulo II e o outro lado, mais compromissada com os excluídos e abandonados da sociedade. A primeira vertente na verdade imita um pouco os grupos neopentecostais, inclusive com direito a seu balcão de negócios. Prega uma moral individualista, onde os grandes pecados são a droga, o cigarro e o álcool, sexo fora do casamento, etc Para esse pessoal, não existe o pecado social. E interpretam a sua maneira a doutrina social da igreja. Um exemplo é o Dep. Evandro Gussi, ligado à Canção Nova, onde aparentemente é ou foi professor justamente de Doutrina Social da Igreja, que vem votando a favor do Temer inclsive nas denúncias da Procuradoria Geral da República. Ligado a esse grupo, está também o Pe. Paulo Ricardo, o malafaia do catolicismo. Do outro lado, uma igreja mais ligada aos interesses do povo, na tradição de Helder Câmara, Pedro Casaldáliga, José Rodrigues (Juazeiro, Bahia) e vários outros, a maioria já falecida. E eu diria também o Papa Francisco. Um de seus nomes de destaque hoje é D. Guilherme Werlang. É claro que essa ala da igreja é odiada pelos poderosos, inclusive o latifúndio, justamente por bater de frente com seus interesses mesquinhos Chamar os bispos de comunistas é, no mínimo, hilário, além de antiquado. A conferências episcopais, como a CNBB, embora não tenham ascendência hierárquica sobre os bispos, são na verdade seu órgão representativo para todos os efeitos. Em tempo: não tenho qualquer ligação com a igreja católica, inclusive sou ateu, mas tenho profundo respeito pela sua participação na luta do povo por seus direitos, neste momento tão vilipendiados pelo quadrilhão, conforme a PF, que assumiu o poder, Obviamente, entre Ana Amélia, Antagonista, MBL, João Batista Olivi e os signatários da nota da Pastoral da Terra, não tenho a menor dúvida em quem acreditar.

      13
  • César Schmitt -

    Então tá. Já entendi. Juntou a tríade da incompetência nacional, os verdadeiros parasitas da nação para ver se sobra alguma carniça, um ossinho para roer. Esse é a demonstração mais clara que podemos ter quando se juntam MST, Pastoral da terra e ONG's, junto é claro, com os ignorantes que servem de "bois de piranha" que vão lá defender um pão com mortadela. E devidamente, resguardados por aquela senadora maluca do Amazonas, que não sei e nem me interessa o nome. Enfim, amigos agricultores, quando a igreja vier pedir o tal de dizimo, lembrem-se de Correntina...

    6
  • R L Guerrero Maringá - PR

    Que a Igarashi processe a Igreja Católica por responsabilidade civil.
    Quando a Santa Sé começar a sentir no bolso quero ver onde essas "pastorais" e seus padres terroristas vão parar.

    8
    • ARI COUTOBONFIM - CE

      Padres terroristas? Não seja ridículo.

      56
    • R L GUERREROMARINGÁ - PR

      Pregadores da inveja. Missionários da discórdia e do caos. Profetas da fome e do genocídio. Já passou da hora da Igreja Católica se livrar desses hereges traidores.

      6
    • MARCOS ROBERTO CHAVES BRUNOBRASíLIA - DF

      Aqui em Cocos um padre inventou uma comunidade indígena e estava tentando tomar uns 30 mil hectares dos agricultores prometendo um monte de mentiras. Depois que o "projeto" foi divulgado na TV a igreja o removeu rapidinho, e tudo ficou como estava. Eu concordo que temos de tomar cuidado com a água, de preservar o meio ambiente e proteger os índios, mas infelizmente a questão da água não é estudada com seriedade..., o meio ambiente é conservado pelos agricultores e os índios verdadeiros que sobraram são usados para tomar terras por um movimento de esquerda muito discutível.

      4
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Vamos lá, pelo que entendi, todas essas organizações populares acreditam que é possivel distribuir água para 6.600 cisternas espalhadas pelo semi árido. Supondo que cada cisterna represente uma familia, teriam água para irrigar 0,3 ha cada, o que deve dar para a subsistencia de uma familia. Como carregar essa água em caminhões é praticamente impossivel, devem imaginar um sistema de bombeamento e é ai que a porca começa a torcer o rabo. Quem vai pagar por isso? Decerto a pastoral da terra pensa que a sociedade deve pagar tudo. Ok, imaginemos que sim, mas e a manutenção disso quem vai pagar? Acredito que a partir desse ponto todos já podem pensar por si mesmos... Outra coisa que chama a atenção nessa nota é a contestação da legalidade e legitimidade do agronegócio, talvez a mais grave em que pesem as quimeras imaginadas pelos padres comunistas. Essa é a idéia central disseminada pela militancia, pois é o meio que acreditam ser possivel de realizar seus delirios emancipatorios através de um quintal com uma horta, tornar ilegal e ilegitimo a agricultura empresarial. Também há o "embuchamento", as teorias sobre as funções ecológicas sobre elocubrações sobre abastecimento de aquiferos, diferenciações de modelos de produção e alegações sobre preservação, grilagem, etc...

    10
    • ARI COUTOBONFIM - CE

      Você realmente não entendeu nada... 1. A menção às cisternas é meramente para efeito de comparação. Essas cisternas são enchidas com água da chuva 2. Padres comunistas? Não seja ridículo

      45
    • DALZIR VITORIAUBERLÂNDIA - MG

      Caro Ari couto..os padres em questao podem não ser comunistas... mas são piores... pois não pregam o que está escrito na biblia... me mostre onde Cristo em sua passagem pela terra mandou destruir o que é dos OUTROS..mandou seus apostolos praticarem VANDALISMO????!!!!! mas me mostre... cite capitulo e versiculo... Outra coisa, caro ARI couto... voce deve ser daqueles petistas que perderam a TETA... secou o leite e agora chora... lembre-se que jogaram 14 milhoes de desempregados no mercado... pib de menos 5.. inflaçao de 12%... e juros de 15... vai pregar MORAL DE CUECA lá no bomfim do capeta... Ari, por acaso voce conhece os dez mandamentos da igreja.. me mostre onde manda destruir..quebrar..meter fogo..e COBIÇAR o que é dos OUTROS... me mostre..escreva..com provas.. senao falas e escreves um monte de inverdades... e tem mais, por acaso voce ouviu um pronunciamento do PAPA...onde ele diz que nenhuma ideologia..e nenhum erro se e que existe justifica atos de TERRORISMO..INVASAO...etc... pelo visto seu choro e suas colocações são características de quem perdeu a TETA... ou seja, voce é igual ao chefe.. nao viu nada.. e nao sabe de nada mesmo...

      2
    • ROMEU JACOBSENLUCAS DO RIO VERDE - MT

      Sr. Ari Couto, a julgar pelos seus comentários acredito que o Sr. está bem desinformado sobre o Agro brasileiro ou realmente é assessorado por uma dessas instituições esquerdista que só pregam o caos em nosso país..., nosso setor agrícola respeita a legislação, é totalmente engajado na preservação ambiental. Se o meio urbano tivesse que seguir a mesma lei que os produtores, em média 30% de suas casas deveriam ser preservadas e não poderiam ser utilizadas (e em algumas regiões seriam até 70% dos seus imóveis)... é isso não é tudo, se vc for em alguma Fazenda na sua grande maioria vc não vai encontrar lixo nenhum jogado no chão, pelo contrario se encontrar alguma lata ou qualquer outro tipo de lixo a gente junta e, pode ter certeza, que foi alguém do meio urbano que faz esse tipo de manifestação ridícula que deve ter passado por ali e jogado... quanto à utilização dos recursos renováveis, como as águas para irrigação, são feitos todos com um grande cuidado para não prejudicar o meio ambiente seguindo a legislação..., concordo que no passado alguns atos foram feitos de forma errada, mas até isso hoje em dia está sendo corrigido como o reflorestamento de áreas protegidas -- como beiras de rios e nascentes.... se ao invés de destruir propriedades alheias esses movimentos se juntassem para limpar o meio urbano onde vivem fariam muito mais em prol do meio ambiente..., mas é claro que esse não é o foco o negocio de vcs ...

      2
    • LIGIA MEZZOMOURUGUAIANA - RS

      Então essa é a maneira de resolver o problema? na agressão, no barbarismo? então o proprietário tb deveria abrir fogo nesses vagabundos, massa de manobra, com uma metralhadora, que deveriam liberar o uso, pq assim nao pode continuar, e outro detalhe, essa empresa pelo que mostrou na reportagem deve ser uma firma organizada, acredito com todas as licenças ambientais em dia, estavam usando a água dentro da lei que regimenta o uso. Se ninguem for acusado por esse crime, esta liberado para todos usar da violencia contra qualquer coisa que nos pareça errado...sim ou não?

      2
    • ALEXANDRE CARVALHOVENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES

      Gostaria só de complementar o que já foi muito bem explicado pelos senhores ROMEU JACOBSEN e DALZI VITORIA. V.Sª, Sr. ARI COUTO, deve estar esquecendo que, o "famigerado" Agronegócio, por usar a mais alta tecnologia (irrigação, nutrição, manejo de solo, etc.) consegue índices de produtividade infinitamente SUPERIORES aos índices da "pobre" Agricultura Familiar. Só para efeito comparativo, se pudéssemos desafiar esta última a produzir a mesma quantidade de ALIMENTOS produzidos por uma empresa como a Igarashi, eles necessitariam de uma área 10 (dez) vezes maior que a ocupada pela Igarashi e, portanto, com muito mais impacto ambiental (seca de mananciais e erradicação de cobertura vegetal) do que o Sr. a está acusando. Quanto à concentração de riqueza, lhe pergunto: que mal há alguém ganhar dinheiro de forma honesta, com trabalho e dedicação? Por acaso isso é algum crime? Só na cabeça de socialistas, como o senhor, que é. Em relação à não geração de empregos, por onde o senhor anda neste país? É só assistir aquele programa horroroso que passa aos domingos de manhã na rede Plin-Plin que o senhor verá quantos empregos e quantas famílias são beneficiadas (inclusive com uma vida infinitamente melhor do que essas que o senhor tanto defende) por essas "famigeradas" empresas do Agronegócio. O emprego tem que ser dado aquele que faz por MERECER, e não para aquele que PRECISA ganhar. Todos nós precisamos, mas somente aqueles que se esforçam é que ganham seu justo salário. O restante só quer é ficar pendurado nas tetas do governo que, cada vez mais, estão à mingua. O restante do seu discurso (fracos e oprimidos, trabalho escravo, pobres que se danem, etc.) é o mesmo discursinho falido e démodé dos esquerdopatas deste país, que com quase 16 anos de (des)governos, só levaram o país à bancarrota que nos encontramos hoje.

      1
    • ÉRICO BATISTA DA SILVASOLEDADE - RS

      É muito simples, é só mandar a POLÍCIA FEDERAL verificar quais entidades que insuflaram o povo a invadir esta fazenda e cobrar deles, além de colocar os chefes na cadeia, independent quem seja, padre, prefeito, vereador, etc.

      2
    • NILTON SOARES SOARESPIUMHI - MG

      Muito bonito a posição da Igreja Católica !? Como sempre a Igreja está fazendo a coisa certa,como na Idade Média. rsrsrs rsrsrs Só ! Que este HEREGE ! Sim ! Herege ! Pois fui católico ,abandonei a Igreja e me tornei um PROTESTANTE . Vai criticar não concorda com Santíssima Igreja(espero não ser queimado numa fogueira como na Idade Média) e vai mostrar á VERDADE sobre o que acontece em Correntina.O verdadeiro problema que acontece em Correntina é o CONFLITO entre a Agricultura High Tec (super produtiva) e a Agricultura Arcaica (muito improdutiva). A VERDADE é que as Fazendas High Tec são muitíssimas mais produtivas, além disto produzem alimentos muito mais baratos. Podem vender alimentos muito mais baratos á população. E o que fazem os agricultores sem-terras ligados á Igreja Católica. Como são improdutivos e só conseguem produzir alimentos há um preço muito caro. Fazem como os ludistas do século XVIII saíem quebrando tudo. No passado tinhamos os "os quebradores de máquinas". Agora no século XXI temos " os quebradores de Fazendas High Tec" . È MENTIRA da Igreja Católica que essa situação em Correntina tem haver com a questão de água. A Verdade á Igreja Católica sempre esteve errada. Esteve errada na INQUISIÇÃO,nas CRUZADAS, na REFORMA e está tremendamente errada agora. Um ALERTA !!!!!! Os LUDISTAS do seculo XXI (os quebradores de fazendas) tudo indica vão sair por aí quebrando todas fazendas high Tec que encontrarem pelo caminho. Essa é a 'solução" para o problema deles. Uma pergunta. A multidão que invadiu a fazenda Igarashi era formado por 'católicos' ? Que belo testemunho cristão !!!!!!!!! Por que é mentirosa a afirmação da Igreja Católica de que a crise em Correntina tem haver com a falta de água . (crise mundial de água). Primeiro : O conceito de mentira para a ICAR. mentira é um pecado venial. Segundo o blog da Canção Nova : "Ou seja chama-se pecado venial aos pecados que são menos graves e que não fazem perder a graça Divina." Portanto a ampla margem para mentir. E os padres ligados ao MST se aproveitam desta liberdade. Na verdade são bons inventarem mentiras. Por isto inventaram tão bem essa mentira de que está faltando água no rio Arrojado. Segundo : Veja recentemente os acontecimentos envolvendo padres com a PEDOFILIA. Eles disseram a VERDADE sobre estes terríveis pecados ? Na verdade mentem descaradamente . Vejam noticia da BBC https://www.portalpadom.com.br/documentario-bbc-vaticano.../ Finalizando não dá para acreditar nestes padres da Comissão Pastoral da Terra (CPt/BA), a Pastoral do Meio Ambiente . São mentirosos contumazes. Você acreditaria em pessoas assim. Terceiro : Não devemos acreditar nesta versão de 'guerra das águas em Correntina , por que os padres em geral e mais ainda os padres ligados ao MST E PT são muitos ardilosos na arte de mentir. Esgundo o dicionário Aurélio :ardiloso,adjetivo que faz uso de ardis, cheio de astúcias; esperto, manhoso, velhaco. Uma historia ardilosa forjada na Igreja Católica . A verdade sobre os "massacres" de Cunhaú e Uruaçu Por Lucas Banzoli - outubro 15, 2017 http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/.../a-verdade... Vejam trechos do artigo de Lucas Banzolli desmascarando a farsa dos massacres de Cunháu e Uruaçu:Os "massacres" de Cunhaú e Uruaçú são uma lenda velha da apologética católica que agora ganhou espaço na grande mídia em função do papa Francisco ter canonizado os "30 mártires". "Mesmo assim, para os delirantes apologistas católicos, os holandeses que não matavam católicos nem na Holanda onde eram a maioria e tinham o poder em mãos, vieram ao Brasil católico para matar a maioria católica, o que parece piada de comediante, mas é apenas a apologética católica (que também é feita por palhaços)" Como vemos, o massacre não foi praticado pelos holandeses, mas pelos índios, como uma forma desesperada de represália contra a opressão que sofriam nas mãos dos portugueses. Este relato faz muito mais sentido à luz do tradicional espírito de tolerância dos holandeses protestantes, que não matavam católicos nem na Holanda onde eram a maioria e tinham todo o poder político para fazê-lo caso quisessem, e muito menos matariam em uma terra controlada por uma maioria católica intransigente e intolerante que certamente não perderia a oportunidade de esmagá-los por isso. Também faz exatamente o tipo clássico da Igreja Romana, especialista-mor em adulterar documentos e em manipular fatos, a ponto de culpar os protestantes pelo "Saque de Roma" protagonizado por um rei católico e antiprotestante (veja aqui) e de espalhar incontáveis calúnias sobre a Reforma que eu já desmascarei aqui.""" Por fim ! Essa historia de falta de água no rio Arrojado é só mais uma farsa ardilosamente inventada por padres ligados ao MST. Uma farsa ardilosamente inventada como foram todas as outras farsas.

      0