Câmara agroexportadora da Argentina se preocupa com greve de caminhoneiros

Publicado em 20/01/2021 11:02 e atualizado em 20/01/2021 14:44 193 exibições
Mobilizações em algumas rodovias já foram encerradas, mas protestos ainda seguem por outras localidades do país

LOGO nalogo

​Empresas agroexportadoras da Argentina estão preocupadas com uma greve de caminhoneiros independentes que ocorre desde o final de semana no país. Apesar de os trabalhos ocorrerem normalmente neste momento, os terminais têm capacidade limitada. As informações são da agência de notícias Reuters e do site argentino Infocampo.

"Atualmente está tudo funcionando, mas os terminais têm apenas uma certa capacidade de armazenamento... Se o protesto se estender ao longo do tempo, vai gerar problemas. Há preocupação", disse à Reuters o porta-voz do CIARA-CEC, Andres Alcaraz, à Reuters.

A entrada de caminhões de carga com grãos nas instalações Rosário, na Argentina, na terça-feira (19) caiu 88% no comparativo semanal, para 294 veículos, segundo dados da Bolsa de Grãos de Rosário, compilados pela Reuters.

Mobilizações nas estradas da Argentina - Fotos: Reprodução/Twitter La Nacion Mobilizações nas estradas da Argentina - Fotos: Reprodução/Twitter La Nacion Mobilizações nas estradas da Argentina - Fotos: Reprodução/Twitter La Nacion
Mobilizações nas estradas da Argentina - Fotos: Reprodução/Twitter e La Nacion​

Os caminhoneiros argentinos independentes e alguns ligados à TUDA (Transportistas Unidos da Argentina) protestam sobre os impostos e os altos valores pagos em pedágios, seguros e os preços do combustível. A greve em alguns pontos do país já foi desmobilizada, segundo a Agência Provincial de Segurança Rodoviária.

Os bloqueios em rodovias de Rosário-Buenos Aires, Rosário-Santa Fé, Rodovia Nacional 34 e A012 foram encerrados, mas ainda ocorrem mobilizações de caminhoneiros em outras estradas do país.

Segundo informações da imprensa argentina, os bloqueios por parte dos caminhoneiros já impactam a distribuição de bens em alguns setores. A União Industrial Argentina (UIA) pediu mais ações do Estado na greve. “A circulação e a distribuição de bens industriais está interrompida devido a bloqueios de estradas que estão sendo realizados em diferentes regiões do país”, disse.

Com informações da Reuters e Infocampo

Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário