Porgrama Jovem Aprendiz Rural é lançado nesta 3ª feira (23)

Publicado em 23/03/2021 16:41
Programa lançado hoje pela Abapa e Sistema Senar/Faeb e Sindicatos diminui as distâncias entre o mundo do trabalho e os futuros profissionais do agro, na Região do Rosário/BA

Para conseguir cumprir a lei 10.097/2000, que determina que todas as empresas de médio e grande porte contratem um número de jovens aprendizes, equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15%, do seu quadro de funcionários, um grupo de 18 produtores de algodão do distrito de Rosário, em Correntina, no Oeste da Bahia, teve de inovar. Era preciso encontrar uma solução para diminuir as distâncias entre as fazendas e a zona urbana, que obrigavam que os jovens passassem a maior parte da carga horária, de quatro horas de aprendizagem, só no deslocamento de ida e volta para as fazendas, e inviabilizava as contratações pelos produtores rurais. 

Foi assim que surgiu o Programa Jovem Aprendiz Rural do Rosário, lançado na manhã desta terça-feira (23/03), pela Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e o Sistema Faeb/Senar/Sindicatos, com o apoio de prefeitos e vereadores dos municípios de Correntina, na Bahia, Posse e Guarani, em Goiás. Na aula inaugural, além dos representantes das entidades e do Poder Público, os 78 alunos contemplados pelo programa comemoraram o primeiro emprego e o início da jornada no mundo do trabalho. Eles têm entre 18 e 23 anos, foram contratados em carteira (CLT), e receberão auxílio financeiro e transporte. 

O curso Aprendizagem em Supervisão Agrícola tem duração de 10 meses e carga horária de 800 horas-aula, divididas em 400 teóricas e 400 práticas. O Senar é o formador técnico profissional, o Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras (SPRB) é o gestor, e a Abapa, a entidade parceira. 

É, justamente, nestas aulas práticas que está o diferencial do programa, pois elas ocorrerão em três fazendas estrategicamente localizadas na microrregião: Xanxerê, Serrana/Cia Seeds e Morinaga. Mas jovens foram contratados por todas as propriedades rurais participantes do programa, que, assim, poderão cumprir a lei. Já aulas teóricas – que por enquanto estão online – serão realizadas no Centro de Treinamento da Abapa no Rosário.

“Em uma experiência exitosa, em Barreiras, os produtores criaram uma fazenda-modelo que simula o dia-a-dia numa propriedade rural. Mas os jovens da região do Rosário também não conseguiam participar, porque a distância entre esta área produtiva e Barreiras é de cerca de 300 quilômetros. Isso inspirou duas produtoras locais a elaborar um projeto e buscar parceria para realizá-los”, explica o presidente da Abapa, Luiz Carlos Bergamaschi.  

“Mais uma vez, o produtor teve de ser proativo. Queremos cumprir a lei, mas também queremos formar bons profissionais que serão absorvidos por nós mesmos. Para os jovens, esta é uma grande oportunidade de trabalhar num setor moderno, dinâmico, e essencial à economia brasileira, no campo, onde as coisas de fato acontecem”, ressaltou Bergamaschi. 

Buscando parcerias

Entre encontrar a solução, elaborar o projeto e encontrar possíveis entidades parceiras, foram necessários dois anos. A iniciativa partiu de duas produtoras rurais da região do Rosário, Lisiane Lunardi e Suzane Mari Piana, que foram lembradas em todos os discursos durante o lançamento. 

“Não foi fácil para as idealizadoras do projeto vender esta ideia. Primeiro, elas procuraram os produtores, um a um, depois, as instituições, e, por fim, os próprios jovens. Num primeiro momento, eu temi que o projeto nunca saísse do papel, pois as limitações na nossa região são muito grandes, por questões de estrutura e logística. Muito mais que o cumprimento da Lei da Aprendizagem, este programa é uma oportunidade para nós, como empregadores, nos aproximarmos desses futuros profissionais”, lembrou a agricultora Patrícia Morinaga, representando as 18 fazendas participantes.

Em sua fala, o presidente do sistema Faeb/Senar, Humberto Miranda, destacou a adesão dos grupos agrícolas da região. “Estamos num momento em que o mundo exige cooperação e união. As grandes instituições aqui presentes nos dão este exemplo. Que isso possa se multiplicar em todos os setores. O programa Jovem Aprendiz Rural do Rosário se baseia no pilar da educação, formação profissional e mundo do trabalho. Resta aos jovens agarrar essa oportunidade”, afirmou.

“Os desafios no Oeste da Bahia são grandes, e, entre as microrregiões, existem muitas diferenças, como é o caso do Rosário, onde as demandas são muito específicas. O Senar e as entidades de classe dos produtores, como a Abapa, estão preparados para absorver essas diferenças e fazer as coisas acontecer”, afirmou Moises Schmidt, que, na ocasião, representou o presidente da Federação da Agricultura do Estado da Bahia (Faeb). 

Ana Paula Vieira Santos, contratada pela empresa Xingu Agrícola, é estudante de Agronomia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, Campus-Posse, e falou em nome dos 77 colegas. “Estamos muito animados para o início das aulas, principalmente, das práticas. É uma porta que se abre”, afirmou.

Também participaram da solenidade, dentre outros, os prefeitos Nilson José Rodrigues (Correntina/BA), Helder Silva Bonfim (Posse/GO) e Janézio Pereira da Silva (Guarani/GO). Além deles, os vereadores Lucas Carneiro (Guarani/GO), Jaquel Chavier, presidente da Câmara de Vereadores de Guarani/GO, Eunice dos Santos (Correntina/BA) e Marcio Victor (Posse/GO). Diversos representantes do Sistema Senar participaram na ocasião, como a vice-presidente da Faeb, Carminha Missio.

Lançamento programa Jovem Aprendiz Rural

Tags:
Fonte:
Abapa

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário