CNA participa de evento sobre desafios e perspectivas para uso da água na agricultura

Publicado em 07/04/2021 09:51 67 exibições

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) participou do evento “Água, desafios e perspectivas para a agricultura”, promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (Fape-DF) e pelo jornal Tribuna Rural, na terça (6). O debate faz parte da série de encontros “O Agro Hoje”.

“É um tema de suma relevância, tendo em vista que temos o desafio de produzir com qualidade e regularidade para que a população tenha alimento na mesa. É preciso pensar nas tecnologias de uso da água no Distrito Federal e no Brasil todos os dias”, disse o presidente da Fape-DF, Fernando Cezar Ribeiro.

A assessora técnica da Comissão Nacional de Irrigação da CNA, Jordana Girardello, foi uma das debatedoras do painel “Reservação e uso racional da água”. Ela apresentou as prioridades do setor produtivo da agricultura irrigada e as principais ações e propostas da CNA para destravar os processos que, hoje, impedem a expansão da irrigação e a ampliação dos investimentos no setor.

A Confederação defende pontos como a revogação da resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) nº 284 – que trata do licenciamento ambiental para irrigação –, a normatização que caracterize a reservação de água para fins de irrigação como de interesse social e utilidade pública e que a Agência Nacional de Águas (ANA) tenha um pesquisador especialista em irrigação na sua diretoria.

A CNA sugere, também, a normatização do reuso de água para o uso agropecuário, a implementação do Plano Nacional de Segurança Hídrica e que na revisão do Plano Nacional dos Recursos Hídricos sejam inseridas medidas estruturantes e de incentivo ao uso da água para irrigação, além do fortalecimento dos polos de irrigação.

Segundo Jordana, a lista de propostas inclui, ainda, a manutenção das funções da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), a Lei Geral do Licenciamento Ambiental, a desburocratização dos sistemas de outorga no Brasil, a geração e comercialização de energia renovável por produtores rurais, a capacitação de produtores rurais e atores para defesa em Comitês de Bacias e a regulamentação da Lei de Segurança de Barragem.

“São pontos que enxergamos como gargalos e entraves para o Brasil ter um desempenho cada vez melhor e atender as metas de aumento de produção e segurança alimentar mundial. A CNA vem promovendo um diálogo com o Governo para unir esforços e desenvolver iniciativas eficazes para superar esses desafios”, afirmou ela.

O debate também contou com a participação do coordenador-geral de Irrigação e Drenagem do Ministério da Agricultura, Frederico Cintra Belém; da presidente da Associação dos Produtores Rurais e Irrigantes do Noroeste de Minas (Irriganor), Rowena Petroll; e do presidente do Sindicato Rural de Cristalina, Alécio Maróstica. O moderador foi o presidente da Associação Brasileira de Irrigação e Drenagem (Abid), Helvécio Saturnino.

Outros dois painéis completaram a programação: “Cenário e desafios (do uso) da água na agricultura” e “Experiências e inovação”.

Tags:
Fonte:
CNA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário