Servidores da ADAPAR solicitam apoio ao agronegócio paranaense

Publicado em 21/05/2021 14:59 185 exibições

Os Servidores da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná – ADAPAR apresentaram ao agronegócio paranaense uma Carta Aberta elaborada pela Comissão Estadual dos Servidores da ADAPAR e Sindicato da Defesa Agropecuária do Paraná para alertar o progressivo e adiantado processo de enfraquecimento dos serviços oficiais de Defesa Agropecuária, fato que pode ocasionar colapso na sanidade animal e vegetal do Estado paranaense. 

De acordo com a Carta, a ADAPAR foi criada em 2011 com a expectativa de prestar serviços eficientes e eficazes para manter a qualidade e inocuidade dos produtos e insumos de origem vegetal e animal, bem como atuar ativamente nas situações de emergência sanitária ou fitossanitária assegurando e validando que os produtos paranaenses alcancem mercados de forma duradoura e sustentável.

Com dedicação, esforço e comprometimento dos seus servidores, a ADAPAR promoveu melhorias de estrutura física, gestão, banco de dados, sistemas informatizados, rotinas de vigilância, auditorias e fiscalizações. Em 2018, após auditoria realizada pelo Ministério da Agricultura, os Servidores da ADAPAR foram classificados como a melhor Defesa Agropecuário do Brasil e a obtenção da conquista do Reconhecimento Internacional de Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação a qual será homologada pela Organização Internacional da Saúde no próximo dia 27 de maio de 2021. Esse novo status sanitário permitirá a conquista e manutenção de mercados importantes e com melhor remuneração dos produtos paranaenses.

No entanto, a realidade mostra que o Governo do Paraná, até agora sem a reação das entidades que representam o agronegócio paranaense, optou por não agir proporcionalmente a importância econômica e social que o agronegócio, Defesa Agropecuária e Servidores da ADAPAR representam para o Paraná e seus cidadãos.

A ADAPAR e seus servidores não estão recebendo a merecida valorização o que dificulta a manutenção de seus serviços de excelência. O número de servidores ativos sempre deixou a desejar. De 2008 a 2018 ingressaram na Instituição 441 servidores e saíram 195 neste período, ou seja, houve saída de 47,4% ocasionando perdas de excelentes e qualificados profissionais. Nos últimos cinco anos os servidores não tem seus salários reajustados conforme o índice de inflação.

Os serviços prestados pela ADAPAR são típicos de Estado e indelegáveis, mas contrariando o seu Decreto Estadual nº4317/2020 que reconhece os serviços da Agência como Atividade Essencial, o Governo do Estado manteve o congelamento da contagem de tempo de serviço para fins de progressões e promoções, mesmo os servidores da ADAPAR não interrompendo os serviços prestados na Agropecuária em Defesa da Saúde Animal e Sanidade Vegetal durante toda a pandemia do COVID19. Neste período, o Valor Bruto da Produção gerados pelo agronegócio apresentaram os melhores resultados nas exportações, sustentando as vendas de inúmeros produtos para outros países e garantindo o abastecimento do mercado interno.

Neste momento de celebração pela conquista e importante Reconhecimento Internacional de Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação é oportuno e necessário memorar os servidores da ADAPAR que estão na linha de frente garantindo a excelência dos trabalhos de vigilância sanitária em prol da execução Defesa Agropecuária e sustentação ao agronegócio e preparados para o enfrentamento de outras possíveis crises sanitárias ou fitossanitárias.

O congelamento de progressões e promoções, somadas a cinco anos sem reposição salarial, se traduz em desestímulo aos servidores que executam o serviço oficial de Defesa Agropecuária do Paraná. Diante do exposto, os servidores da ADAPAR solicitam apoio ao agronegócio paranaense para interceder junto ao Governo do Estado do Paraná no restabelecimento das progressões e promoções das carreiras da ADAPAR, fazendo justiça aos servidores que não interromperam os serviços de vigilância, fiscalização e certificação sanitária e fitossanitária e mantiveram a sanidade  agropecuária paranaense.

Fonte:
Adapar

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário