O que você precisa saber sobre a nova variante da Covid-19 que desafia até as vacinas

Publicado em 26/11/2021 18:08 e atualizado em 30/11/2021 10:08 3738 exibições
Petróleo WTI e Brent caíam nesta 6ª feira mais de 10%; nas agrícolas, soja, trigo e café caíram mais de 1%, açúcar perdeu mais de 2%, mas milho reagiu

Logotipo Notícias Agrícolas

O mercado de commodities iniciou a sessão desta sexta-feira (26), pós-feriado do Dia de Ação de Graças, com o susto da nova variante da Covid-19 detectada na África do Sul que desafia até as vacinas já existentes, pois teria uma capacidade maior de mutação.

Cientistas consideraram a nova variante (B.1.1.529) da África do Sul como a mais significativa encontrada até agora e afirmam ainda que ela poderia restringir as viagens e reduzir o crescimento econômico e a demanda por combustível em todo o mundo.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) nomeou nesta tarde a cepa de ômicron.

"O que sabemos é que há um número significativo de mutações, talvez o dobro do número de mutações que vimos na variante Delta", afirmou o secretário inglês de Saúde Sajid Javid à imprensa. "E isso pode indicar que ela pode ser mais transmissível e que as atuais vacinas que temos podem ser menos eficientes".

Abaixo, o Notícias Agrícolas listou o que se sabe até o momento sobre a nova variante:

• Cientistas do Reino Unido consideraram a nova variante da África do Sul como a mais preocupante encontrada até agora.

• A nova cepa pode tornar as vacinas menos eficientes, pois tem uma proteína spike que difere drasticamente das do coronavírus original, a qual as vacinas criadas até o momento foram baseadas.

• A variante da África do Sul tem mutações que também podem evadir a resposta imunológica gerada pelas infecções anteriores.

• O Centro para Resposta Epidêmica e de Inovação, na África do Sul, disse que foram localizadas 50 mutações dessa variante. Dessas, mais de 30 na proteína spike.

• Foram confirmados, até o momento, 77 casos da nova cepa na África do Sul, além de outros casos na Bélgica, Botsuana, Hong Kong e Israel.

• Até o momento, a África do Sul tem menos de 25% da população totalmente vacinada. Dessa forma, países com maior taxa de vacinação podem ter uma resposta melhor à variante.

• O laboratório alemão BioNTech, sócio da Pfizer, disse que levará até duas semanas para verificar se sua vacina é ou não eficaz contra a cepa. E, em menos de 100 dias, poderiam ajustar seus imunizantes.

• A OMS (Organização Mundial da Saúde) classificou como 'preocupante' a variante B.1.1.529 do coronavírus.

• A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomendou restrições de voos vindos da África do Sul e cinco vizinhos - Botsuana, Suazilândia (Essuatíni), Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

• O presidente Jair Bolsonaro descartou fechar aeroportos para tentar conter uma nova onda de Covid-19 relacionada com a nova variante no Brasil.

• Os Estados Unidos disseram que vão impor restrições a voos de países africanos por conta da variante ômicron, além da União Europeia e Canadá.

Impacto sobre as commodities agrícolas

Acompanhando as baixas do petróleo no dia, considerado o pai das commodities, as agrícolas na Bolsa de Chicago (CBOT) retomaram os negócios do feriado do Dia de Ação de Graças com perdas expressivas, assim como as softs commodities na Bolsa de Nova York e Londres.

A soja, o trigo e o café caíram mais de 1% no dia, o açúcar perdeu mais de 2%, pois está ainda mais relacionado ao mercado de energia, o algodão perdeu mais de 3%, mas milho reagiu na CBOT. O óleo de soja recuou 3% e o farelo menos de 0,50%.

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário